Mães ge­rem me­lhor o tem­po

Em­pre­go. Mais de me­ta­de dos por­tu­gue­ses va­lo­ri­za em ter­mos pro­fis­si­o­nais as com­pe­tên­ci­as e a ex­pe­ri­ên­cia das mu­lhe­res que fo­ram mães re­cen­te­men­te, re­ve­la es­tu­do re­cen­te.

Metro Portugal (Lisbon) - - JORNAL -

As mu­lhe­res, após a gra­vi­dez, re­gres­sam ao tra­ba­lho mais pro­du­ti­vas e me­lho­res ges­to­ras do tem­po, con­clui uma pes­qui­sa da Re­gus, que con­tou com mais de 44.000 pro­fis­si­o­nais em mais de 100 paí­ses em to­do o mun­do. “A ní­vel glo­bal, 83% dos co­la­bo­ra­do­res acre­di­tam que o tra­ba­lho fle­xí­vel é a cha­ve pa­ra atrair e man­ter es­tas co­la­bo­ra­do­ras, de mo­do a per­mi­tir con­ci­li­ar a ma­ter­ni­da­de com a vi­da pro­fis­si­o­nal”, lê-se no es­tu­do.

O es­tu­do avan­ça ain­da que as “mães que re­gres­sam ao ati­vo são me­nos pro­pen­sas a mu­dar de em­pre­go nes­ta fa­se, o que é be­né­fi­co pa­ra as em­pre­sas, que pou­pam o cus­to de re­cru­ta­men­to e de­vi­da in­te­gra­ção”.

Se­gun­do a in­ves­ti­ga­ção, “mais de um quar­to das em­pre­sas afir­ma que pre­ten­de re­cru­tar em 2015 mais mu­lhe­res que fo­ram mães re­cen­te­men­te, em com­pa­ra­ção com 2014”. “As mães que re­tor­nam ao ati­vo são va­lo­ri­za­das pe­las sua ex­pe­ri­ên­cia e ca­pa­ci­da­des (55%) e são vis­tas co­mo mais con­fiá­veis (30%) e or­ga­ni­za­das (31%) do que os ou­tros co­la­bo­ra­do­res. No ca­so dos por­tu­gue­ses, pa­ra os mes­mos pon­tos 54,5% e 18,2%, res­pe­ti­va­men­te”, lê-se. “As mães que re­gres­sam ao tra­ba­lho tam­bém são con­si­de­ra­das mais tra­ba­lha­do­ras (23%) e são di­re­to­ras mais aten­tas às ne­ces­si­da­des dos co­la­bo­ra­do­res (23%). No ca­so dos por­tu­gue­ses, pa­ra os mes­mos pon­tos 21,1% e 30,5%, res­pe­ti­va­men­te.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.