Dois de di­fe­ren­ça foi go­le­a­da!

Se­le­ção. As­si­na­tu­ras de André André e Na­ni no pri­mei­ro triun­fo da era Fer­nan­do San­tos sem ser pe­la mar­gem mí­ni­ma.

Metro Portugal (Lisbon) - - SPORT - RUI ALE­XAN­DRE CO­E­LHO

Se a úl­ti­ma ima­gem é a que fi­ca, Por­tu­gal não sai mal na fo­to­gra­fia. Mas quem qui­ser olhar pa­ra os dez jo­gos da Se­le­ção no ano ci­vil de 2015 tam­bém te­rá de dar o bra­ço a tor­cer: no es­sen­ci­al, a tur­ma das qui­nas cum­priu o que se lhe pe­dia. Jo­gos a do­er, ga­nhou os cin­co que dis­pu­tou, re­la­ti­vos à fa­se de apu­ra­men­to pa­ra o Eu­ro 2016. O que es­tra­gou a es­ta­tís­ti­ca fo­ram os jo­gos par­ti­cu­la­res. Em cin­co, qua­tro der­ro­tas e uma vi­tó­ria. A de on­tem.

Ga­nhar ao Lu­xem­bur­go não con­fi­gu­ra na­da de es­pe­ta­cu­lar, mas a equi­pa na­ci­o­nal do grão-du­ca­do tam­bém já não é o “sa­co de pan­ca­da” de ou­tros tem­pos. Há di­as ga- nhou ao cam­peão do Eu­ro 2004, uma tal de Gré­cia, por exem­plo.

Só so­brou André André do on­ze que per­de­ra na Rús­sia. E em boa ho­ra Fer­nan­do San­tos não pres­cin­diu da es­tre­la emer­gen­te do FC Por­to, autor do golo – o seu pri­mei­ro na Se­le­ção – que da­va van­ta­gem ao in­ter­va­lo (31m). Pas­se de Vi­ei­ri­nha. Num cam­po pe­sa­dís­si­mo, Por­tu­gal fez uma exi­bi­ção dig­na e ain­da di­la­tou o re­sul­ta­do por Na­ni, num li­vre di­re­to (88m).

Um golo a pri­o­ri sem re­le­vo, não fos­se o fac­to de pro­pi­ci­ar a pri­mei­ra vi­tó­ria de Fer­nan­do San­tos à fren­te da Se­le­ção por mais do que um golo, em 14 jo­gos.

© LUSA

Por­tis­tas André André e Da­ni­lo fo­ram ti­tu­la­res no adeus da Se­le­ção a 2015.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.