Mor­reu um mi­to do râ­gue­bi

Râ­gue­bi. Do­en­ça re­nal de lon­ga da­ta cei­fa vi­da a Jo­nah Lo­mu. Ne­o­ze­lan­dês ti­nha ape­nas 40 anos. Râ­gue­bi fi­ca ór­fão do seu pri­mei­ro e, até ver, úni­co íco­ne a uma di­men­são pla­ne­tá­ria.

Metro Portugal (Lisbon) - - PRIMEIRA PÁGINA - R.A.C.

Jo­nah Lo­mu, a pri­mei­ra “su­pers­tar” do jo­go, mor­re aos 40 anos

Se se fi­zer um en­saio so­bre o râ­gue­bi, Lo­mu tem de lá es­tar. É co­mum di­zer-se que o no­me de de­ter­mi­na­do atle­ta se con­fun­de com o da mo­da­li­da­de que pra­ti­ca, mas a per­gun­ta im­põe-se: co­mo fu­gir a es­se cha­vão no ca­so do pon­ta es­quer­da?

Lo­mu che­gou à se­le­ção ne­o­ze­lan­de­sa em 1994. Foi o mais no­vo a con­se­gui-lo, com 19 anos e 45 di­as. Pas­sa­do um ano, dis­pu­tou o pri­mei­ro Mun­di­al de­pois da pro­fis­si­o­na­li­za­ção do râ­gue­bi, re­ce­ben­do a dis­tin­ção de me­lhor jo­ga­dor.

En­tre ou­tros fei­tos, so­mou se­te en­sai­os e pro­ta­go­ni­zou, na meia-fi­nal com a In­gla­ter­ra, aque­le que é con­si­de­ra­do o me­lhor en­saio de sem­pre. Uma in­crí­vel pro­va de for­ça, ve­lo­ci­da­de e téc­ni­ca de um miú­do com 1,96m e 120 kg, por es­tes di­as vi­ral nas re­des so­ci­ais.

A Lo­mu, nes­se Mun­di­al de 1995 da Áfri­ca do Sul, só fal­tou o tí­tu­lo, que per­de­ria na fi­nal, pa­ra a se­le­ção an­fi­triã, a pri­mei­ra pós-Apartheid. Cru­el­da­de do des­ti­no, aque­le que, se­gun­do um twe­et de ho­me­na­gem pu­bli­ca­do por um com­pa­tri­o­ta, “era mai­or que El­vis [Pres­ley] na No­va Ze­lân­dia”, não che­gou a ven­cer o tí­tu­lo mun­di­al. Tam­bém só dispôs de du­as ten­ta­ti­vas – dei­xou os “All Blacks” em 2002, aos 27 anos, de­vi­do a uma ra­ra do­en­ça in­ti­tu­la­da Sín­dro­me Ne­fró­ti­ca (afe­ta os rins).

REU­TERS

Além das 63 in­ter­na­ci­o­na­li­za­ções e dos 43 en­sai­os pe­la No­va Ze­lân­dia, Lo­mu dei­xa uma mar­ca eter­na no râ­gue­bi.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.