PS. Go­ver­nos em ges­tão são in­ci­den­tes de per­cur­so

Metro Portugal (Lisbon) - - FOCUS -

O de­pu­ta­do so­ci­a­lis­ta Pe­dro Ba­ce­lar de Vas­con­ce­los de­fen­deu on­tem os pre­cei­tos cons­ti­tu­ci­o­nais da so­lu­ção al­ter­na­ti­va de go­ver­no pro­ta­go­ni­za­da em con­jun­to com BE, PCP e PEV, clas­si­fi­can­do go­ver­nos em ges­tão co­mo “in­ci­den­tes de per­cur­so” do re­gi­me de­mo­crá­ti­co. “Não são uma so­lu­ção, são um cons­tran­gi­men­to tran­si­tó­rio que sem­pre se de­se­ja tão bre­ve quan­to pos­sí­vel. São ape­nas uma cir­cuns­tân­cia ex­ce­ci­o­nal, cu­ja per­sis­tên­cia se tor­na es­pe­ci­al­men­te pe­no­sa e im­pró­pria”, afir­mou o cons­ti­tu­ci­o­na­lis­ta do PS, em de­cla­ra­ção po­lí­ti­ca.

Por seu tur­no, o BE lem­brou que PSD e CDS-PP fo­ram in­ca­pa­zes de ter uma mai­o­ria po­lí­ti­ca de Go­ver­no e, nes­ta fa­se, “já nem os mer­ca­dos” aju­dam a di­rei­ta na “chan­ta­gem do me­do”, ar­gu­men­to que dei­xou o PSD “per­ple­xo”. “Ho­je [on­tem] mes­mo, Por­tu­gal fez uma emis­são de dí­vi­da com ju­ros bai­xís­si­mos”, vin­cou o de­pu­ta­do Jo­sé Ma­nu­el Pu­re­za.

“De fac­to, as coi­sas mu­dam. E o BE pa­re­ce ter mu­da­do mui­to quan­do ci­ta co­mo fon­te de au­to­ri­da­de pa­ra um cer­to ca­mi­nho a pa­la­vra dos mer­ca­dos”, de­cla­rou o de­pu­ta­do so­ci­al-de­mo­cr­ta, An­tó­nio Lei­tão Ama­ro.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.