Bar­bá­rie

Metro Portugal (Lisbon) - - LAZER -

Não há co­mo ar­gu­men­tar com um fa­ná­ti­co. A fé in­con­di­ci­o­nal anu­via não ape­nas as emo­ções, mas prin­ci­pal­men­te a ca­pa­ci­da­de de jul­ga­men­to. O aten­ta­do em Pa­ris foi um ato ma­te­ma­ti­ca­men­te pla­ne­ja­do por ho­mens que acre­di­tam es­tar de­fen­den­do uma ideia oni­pre­sen­te, oni­po­ten­te e onis­ci­en­te. Usam a vi­o­lên­cia pa­ra con­quis­tar os des­po­jos de um mun­do an­ces­tral-es­pi­ri­tu­al. A pro­vi­dên­cia di­vi­na não co­roa as­sas­si­nos, en­tre­tan­to. A úni­ca con­quis­ta des­tes agen­tes do ca­os foi a eter­na re­pro­va­ção da hu­ma­ni­da­de. Que os mor­tos des­can­sem em paz.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.