País con­ti­nua em “standby”

Po­lí­ti­ca. Por­tu­gal es­pe­ra por no­vo Go­ver­no, após a que­da do Exe­cu­ti­vo mi­no­ri­tá­rio do PSD/CDS- PP, no Par­la­men­to, com os vo­tos da mai­o­ria de es­quer­da: PS/PCP/BE/Os Ver­des.

Metro Portugal (Lisbon) - - JORNAL -

O Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, a quem ca­be a de­ci­são quan­to a um no­vo Exe­cu­ti­vo, re­a­li­zou, des­de dia 12 de no­vem­bro, 31 audiências com con­fe­de­ra­ções pa­tro­nais, as­so­ci­a­ções em­pre­sa­ri­ais, cen­trais sin­di­cais, ban­quei­ros, eco­no­mis­tas e par­ti­dos re­pre­sen­ta­dos no Par­la­men­to elei­to nas le­gis­la­ti­vas de 4 de ou­tu­bro.

Até on­tem, a Pre­si­dên­cia não anun­ci­ou nem no­vas audiências nem a da­ta em que co­mu­ni­ca­rá uma de­ci­são – cons­ti­tu­ci­o­nal­men­te não há qual­quer pra­zo de­fi­ni­do pa­ra tal. Na sex­ta-fei­ra, Ca­va­co Sil­va re­ce­beu os par­ti­dos com as­sen­to par­la­men­tar, PSD, CDS-PP, PS, BE, “Os Ver­des” e o PAN.

A co­li­ga­ção PSD/CDS-PP ven­ceu as elei­ções le­gis­la­ti­vas de 4 de ou­tu­bro, com 38,4%, à fren­te do PS ( 32,32%), BE ( 10,19%) e CDU (8,25%). O PAN con­se­guiu ele­ger um de­pu­ta­do com 1,39%.

Ca­va­co Sil­va in­di­gi­tou Pe­dro Pas­sos Co­e­lho co­mo pri­mei­ro-mi­nis­tro, mas o Exe­cu­ti­vo, mi­no­ri­tá­rio, caiu na As­sem­bleia da Re­pú­bli­ca com o chum­bo, pe­la mai­o­ria de es­quer­da, do seu pro­gra­ma de Go­ver­no.

Nes­se mes­mo dia, 10 de no­vem­bro, PS, PCP, BE e PEV as­si­na­ram acor­dos de in­ci­dên­cia par­la­men­tar pa­ra vi­a­bi­li­zar um exe­cu­ti­vo li­de­ra­do por An­tó­nio Cos­ta.

© PAU­LO NO­VAIS/LUSA

Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Ca­va­co Sil­va, de­ve­rá anun­ci­ar nos pró­xi­mos di­as se op­ta por um Exe­cu­ti­vo de ges­tão ou se dá pos­se a um Go­ver­no do PS com o apoio da es­quer­da.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.