“No Rio pos­so ob­ter um re­sul­ta­do mui­to bom”

Des­por­to. Ocu­pa o 8º lu­gar do ran­king mun­di­al de triatlo, o me­lhor atle­ta por­tu­guês da ta­be­la. A tem­po­ra­da ter­mi­nou (em gran­de) pa­ra João Pereira, que já an­te­vê 2016 e os Jo­gos Olím­pi­cos.

Metro Portugal (Lisbon) - - FOCUS - LUÍS CAR­MO

“Em de­zem­bro, janeiro, fe­ve­rei­ro e ain­da mar­ço fa­ze­mos a pré-épo­ca e te­mos mui­tas ho­ras de trei­no. Con­ta­bi­li­zan­do gi­ná­sio, che­ga­mos a trei­nar 38 ho­ras por semana.” Por es­ta al­tu­ra co­me­ça­mos a fi­car can­sa­dos só de ou­vir o dia a dia de João Pereira, que, de se­gui­da, de­ta­lha um dia nor­mal de trei­no: “Co­me­ça­mos com na­ta­ção às 7h, en­tre 5.000 a 6.000 me­tros, e aca­ba­mos às 9h pa­ra to­mar um bom pe­que­no-al­mo­ço. Às 10h30 saí­mos pa­ra pedalar três ho­ras – 90 qui­ló­me­tros. Cos­tu­ma­mos ir pa­ra a Ser­ra de Sin­tra fa­zer umas su­bi­das. Vol­ta­mos às 13h30, al­mo­ça­mos, des­can­sa­mos um pou­co e há uma no­va ses­são de na­ta­ção às 17h, que cos­tu­ma ser de cin­co a seis qui­ló­me­tros; ou cor­re­mos en­tão 1h/1h15m. Fa­ze­mos gi­ná­sio das 19h às 20h e de­pois de jan­tar há fi­si­o­te­ra­pia ou mas­sa­gem, de­pen­de. De­pois dei­to-me e re­pi­to tu­do.”

Re­fes­te­la­mo-nos na ca­dei­ra. Pou­sa­mos a ca­ne­ta. Pas­sa­mos do can­sa­ço à exaus­tão ex­tre­ma. Há que re­cu­pe­rar o fô­le­go. E is­to so­mos nós a ima­gi­nar. Já pa­ra João, es­ta é a sua re­a­li­da­de e é al­go que lhe agra­da. “É uma al­tu­ra do ano que gos­to mui­to, ape­sar de an­dar­mos mui­to can­sa­dos.” E não des­can­sa? “Não. Ao do­min­go é mais le­ve, só fa­ze­mos um trei­no de 120 a 130 qui­ló­me­tros de bi­ci­cle­ta, o que dá 4h/4h30m. Te­mos a tar­de de fol­ga.”

João Pereira ter­mi­nou o ran­king do World Tri­ath­lon Se­ri­es de 2014 em 5.º lu­gar, o me­lhor re­sul­ta­do de sem­pre de um por­tu­guês, e em 2015 foi 8.º. O que es­pe­rar de 2016? O fu­tu­ro, res­pon­de, é “im­pre­vi­sí­vel”, mas co­mo es­tá a tra­ba­lhar com “uma es­tru­tu­ra en­vol­ven­te bas­tan­te boa no Ben­fi­ca” e é ori­en­ta­do por Li­no Bar­run­cho, tem “gran­des ex­pe­ta­ti­vas” pa­ra o pró­xi­mo ano. “Um dos gran­des ob­je­ti­vos é che­gar ao Rio de Janeiro [Jo­gos Olím­pi­cos de 2016] nu­ma for­ma que nun­ca con­se­gui e com óti­mas sen­sa­ções. Se o con­se­guir, sei que pos­so ob­ter um re­sul­ta­do mui­to bom”, acre­di­ta.

Já ob­te­ve ex­ce­len­tes re­sul­ta­dos no cir­cui­to mun­di­al, mas ain­da não ven­ceu uma pro­va. Ques­ti­o­na­do se o trun­fo es­tá guar­da­do pa­ra 2016, João res­pon­de que “qual­quer atle­ta do top 10 con­se­gue dis­cu­tir uma me­da­lha”, mas não pro­me­te um triun­fo, por­que é pre­ci­so es­tar mui­to bem nes­se dia. “São mui­tas pro­vas e não con­se­gui­mos, em ter­mos de pla­ne­a­men­to e per­for­man­ce, pro­cu­rar um só re­sul­ta­do. É di­fí­cil, mas é al­go que am­bi­ci­o­no”, ga­ran­te, pros­se­guin­do: “Fi­car no pó­dio no cam­pe­o­na­to do mun­do tam­bém é com­pli­ca­do. Re­pe­tir o top 5 é fi­car per­to do pó­dio, mas não é pó­dio nem vi­tó­ria, lo­go, não es­tou sa­tis­fei­to com os meus re­sul­ta­dos.”

João, 27 anos, ain­da não ga­nhou uma eta­pa do cir­cui­to mun­di­al – ou as World Tri­ath­lon Se­ri­es –, mas ven­ceu, há um mês, uma Taça do Mun­do em An­talya, na Tur­quia. So­bre es­ta me­diá­ti­ca vi­tó­ria, o tri­a­tle­ta en­car­na­do diz que foi pa­ra a pro­va “com bo­as sen­sa­ções” e aca­bou por cor­rer bem, até por­que com­pe­tiu já “no fi­nal da épo­ca, nu­ma al­tu­ra em que já es­ta­va a des­can­sar mais, pois não ti­nha mais pro­va ne­nhu­ma”.

Nou­tra ver­ten­te, e se­gun­do o site Pla­ne­ta­tri­a­tlon, João é um dos mais bo­ni­tos da mo­da­li­da­de. O tri­a­tle­ta da se­le­ção na­ci­o­nal sen­te-se “bas­tan­te li­son­je­a­do”, com a dis­tin­ção, mas con­si­de­ra “sub­je­ti­va es­sa ava­li­a­ção”. Ha­ve­rá um fu­tu­ro co­mo mo­de­lo...? “Te­nho 1,86m, es­tou bas­tan­te ma­gro, mas é um mun­do que ain­da não me fas­ci­na”, con­ta, rin­do. “Ain­da te­nho mui­to a dar pe­lo triatlo. Cla­ro que fi­co con­ten­te pe­la no­me­a­ção, mas o ob­je­ti­vo fi­nal não é es­se.”

MI­GUEL BAR­REI­RA/RE­CORD

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.