Em­pre­en­de­do­ris­mo em Por­tu­gal e ou­tros ‘is­mos’

Metro Portugal (Lisbon) - - LAZER -

Leio (...) que “dis­pa­ra a pro­du­ção de ca­ná­bis em Por­tu­gal”. Só em Gui­ma­rães ope­ra­vam a to­do o va­por “es­tu­fas e fá­bri­cas es­pa­lha­das por qua­tro apartamentos-em­pre­sa”. A ‘se­nho­ra’ dro­ga, ob­ti­da la­bo­ra­to­ri­al­men­te em tais fá­bri­cas to­po de ga­ma, era da mais pu­ra pos­sí­vel (...). En­tre­tan­to, os cri­mi­no­sos ra­di­ca­li­za­dos, num ex­tre­mis­mo sem pre­ce­den­tes, fa­zem ajoelhar a Eu­ro­pa, que ora sem sa­ber a quem re­zar, en­quan­to tais cruéis car­ni­cei­ros nos ma­tam, usan­do o no­me de Alá. Por­tan­to, que o Deus úni­co in­cu­ta no ho­mem que não de­ve ma­tar por ma­tar, mas, is­so sim, que po­nha o seu co­ra­ção ao ser­vi­ço do bem co­mum. En­tre­tan­to, es­te­ja­mos mui­to aten­tos pe­ran­te aqui­lo que saia pa­ra lá das nor­mas ad­mis­sí­veis e acei­tes por to­dos nós, pois qual­quer is­mo exa­cer­ba­do põe o mun­do mais con­tur­ba­do e pe­ri­go­sa­men­te mor­tí­fe­ro. Se­ja­mos fir­mes pe­ran­te a se­guin­te afron­ta letal: “ne­nhu­ma mi­se­ri­cór­dia de­ve ser mos­tra­da em re­la­ção ao Oci­den­te”,

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.