No­vo mo­de­lo de uma his­tó­ria de su­ces­so

Opel. O no­vo As­tra che­gou es­te mês de no­vem­bro aos stands de Por­tu­gal. A 11ª ge­ra­ção de um dos mo­de­los de mai­or su­ces­so da mar­ca ger­mâ­ni­ca apre­sen­ta-se com uma no­va ar­qui­te­tu­ra, mo­to­res da mais re­cen­te ge­ra­ção e tec­no­lo­gia dos seg­men­tos su­pe­ri­o­res.

Metro Portugal (Lisbon) - - FOCUS - M.A.

“O pri­mei­ro Ka­dett nas­ceu em 1936, ti­nha 23 ca­va­los e atin­gia os 100 km/h”, lem­bra Pe­dro La­za­ri­no. O no­vo As­tra con­ti­nua o le­ga­do do Ka­dett, que mu­dou em 1990 pa­ra a atu­al de­sig­na­ção. “O As­tra é o se­gun­do mo­de­lo mais ven­di­do em to­da a in­dús­tria eu­ro­peia”, acres­cen­ta. “O seg­men­to re­pre­sen­ta 28% do mer­ca­do eu­ro­peu e é mai­or ain­da em Por­tu­gal”, diz La­za­ri­no, res­pon­sá­vel pe­lo de­sen­vol­vi­men­to do no­vo As­tra.

Es­te mo­de­lo “vai dar con­ti­nui­da­de à nos­sa po­lí­ti­ca de co­lo­car ao al­can­ce de um pú­bli­co mui­to vas­to ino­va­ções que só es­tão dis­po­ní­veis em seg­men­tos su­pe­ri­o­res. Os nos­sos en­ge­nhei­ros de­sen­vol­ve­ram es­te mo­de­lo sem­pre com três ob­je­ti­vos em men­te: efi­ci­ên­cia, co­ne­ti­vi­da­de e di­nâ­mi­ca”, re­su­me Karl-Tho­mas Neu­mann. “O no­vo As­tra es­tá até 200 kg mais le­ve. As di­men­sões ex­te­ri­o­res fo­ram re­du­zi­das, mas o es­pa­ço e o con­for­to no in­te­ri­or au­men­ta­ram con­si­de­ra­vel­men­te. Sob o capô só há mo­to­res da nos­sa mais re­cen­te ge­ra­ção”, acres­cen­tou o CEO da Opel.

O me­tro te­ve opor­tu­ni­da­de de tes­tar to­das es­tas va­li­as na apre­sen­ta­ção in­ter­na­ci­o­nal do mo­de­lo em Bra­tis­la­va, Es­lo­vá­quia, no iní­cio do ou­to­no. A vi­a­gem co­me­çou em Vi­e­na, ca­pi­tal aus­tría­ca, com uma vi­a­gem por au­to­es­tra­da, de pou­co mais de 60 km, até aos ar­re­do­res da ca­pi­tal es­lo­va­ca. No lu­gar do pen­du­ra des­fru­tá­mos do con­for­to dos as­sen­tos, ape­tre­cha­dos com um sis­te­ma de mas­sa­gem e ven­ti­la­ção que nos re­tem­pe­rou após um voo de ma­dru­ga­da.

Um pou­co a nor­te de Bra­tis­la­va es­tão os Pe­que­nos Cár­pa­tos, uma ca­deia mon­ta­nho­sa de gran­de be­le­za e o lo­cal ide­al pa­ra po­der per­ce­ber e co­nhe­cer o no­vo As­tra. Es­te re­ve­lou-se se­gu­ro e en­tu­si­as­man­te. Com uma boa ca­pa­ci­da­de de ace­le­ra­ção, mes­mo a su­bir, o mo­tor en­sai­a­do (1.400 cc de 150 cv) re­ve­lou-se so­lí­ci­to e rá­pi­do na res­pos­ta, ga­ran­tin­do se­gu­ran­ça na con­du­ção. Es­ta tam­bém se ma­ni­fes­tou na pre­ci­são da cai­xa e no com­por­ta­me­to di­nâ­mi­co, com a di­re­ção afi­na­da e a fa­zer as cur­vas de acor­do com as tra­je­tó­ri­as so­li­ci­ta­das pe­lo con­du­tor.

O ca­mi­nho pa­ra o ho­tel – jun­to ao Da­nú­bio, e per­to do cen­tro da ci­da­de –, foi fei­to em rit­mo de pas­seio, ti­ran­do par­ti­do das fa­ci­li­da­des de na­ve­ga­ção e co­mu­ni­ca­ção, no­me­a­da­men­te a In­ter­net a bor­do, num sis­te­ma que se re­ve­lou sim­ples e efi­caz.

Pa­ra o fi­nal do dia es­ta­va re­ser­va­da a pos­si­bi­li­da­de de uti­li­za­ção de uma das ca­ra­te­rís­ti­cas em es­treia ab­so­lu­ta no seg­men­to: os fa­róis In­tel­liLux LED. Es­ta é uma ilu­mi­na­ção ma­tri­ci­al, in­te­gral­men­te for­ma­da por LED, que per­mi­te con­du­zir fo­ra das zo­nas ur­ba­nas sem­pre com os “má­xi­mos” e sem en­ca­de­ar. Es­ta tec­no­lo­gia adap­ta de for­ma cons­tan­te e au­to­má­ti­ca a ilu­mi­na­ção a ca­da si­tu­a­ção de trân­si­to. Nu­ma pe­que­na vi­a­gem até ao Mu­seu de Ar­te Mo­der­na Da­nu­bi­a­na – um mu­seu que va­le mui­to a pe­na vi­si­tar – hou­ve opor­tu­ni­da­de de usar es­te sis­te­ma de ilu­mi­na­ção e cons­ta­tar a sua mais-va­lia pa­ra a con­du­ção.

Num seg­men­to em que a con­cor­rên­cia é fe­roz e os vá­ri­os ri­vais têm ar­gu­men­tos de pe­so, o no­vo As­tra pro­me­te dar cartas.

GM COM­PANY

“O As­tra é, sem dú­vi­da, o me­lhor au­to­mó­vel que a Opel já pro­du­ziu”, de­fen­de o di­re­tor-ge­ral da Opel em Por­tu­gal, João Falcão Neves.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.