O fu­tu­ro do râ­gue­bi na­ci­o­nal

Râ­gue­bi. Luís Cas­si­a­no Neves, o no­vo pre­si­den­te da Fe­de­ra­ção, quer dar um no­vo im­pul­so à mo­da­li­da­de em Por­tu­gal. A ideia pas­sa por apos­tar na for­ma­ção e dis­tri­buir me­lhor o di­nhei­ro.

Metro Portugal (Lisbon) - - PRIMEIRA PÁGINA - LUÍS CAR­MO

En­tre­vis­ta com Luís Cas­si­a­no Neves, no­vo lí­der da Fe­de­ra­ção Por­tu­gue­sa de Rugby, so­bre o es­ta­do atu­al e o fu­tu­ro da “oval” em Por­tu­gal

A Se­le­ção Na­ci­o­nal de râ­gue­bi te­ve o seu ex­po­en­te má­xi­mo quan­do atin­giu o Mun­di­al de 2007. En­tre­tan­to, re­a­li­za­ram-se mais dois cam­pe­o­na­tos do mun­do pa­ra os quais Por­tu­gal não se apu­rou. O me­tro fa­lou com o no­vo pre­si­den­te da Fe­de­ra­ção Por­tu­gue­sa de Rugby (FPR) e per­gun­tou se “Os Lobos”, no­me pe­lo qual é co­nhe­ci­da a equi­pa na­ci­o­nal, têm qua­li­da­de pa­ra se apu­rar pa­ra o Mun­di­al de 2019.

“Es­tou ab­so­lu­ta­men­te con­vic­to que Por­tu­gal tem qua­li­da­de pa­ra fa­zer mui­to me­lhor do que tem fei­to até ago­ra”, res­pon­de Luís Cas­si­a­no Neves. O pre­si­den­te da FPR diz que a Se­le­ção Na­ci­o­nal sé­ni­or te­ve “lam­pe­jos de al­gu­ma com­pe­tên­cia téc­ni­ca”, co­mo uma der­ro­ta tan­gen­ci­al na Geór­gia que “es­tá nou­tro pa­ta­mar”, ou al­gu­mas vi­tó­ri­as que man­têm Por­tu­gal à fren­te da Ale­ma­nha e da Bél­gi­ca no ran­king. Mas, afir­ma, “é fun­da­men­tal vol­tar a ga­nhar à Es­pa­nha ou ao Qué­nia”.

“Es­ta­mos em 27.º e a nos­sa am­bi­ção é che­gar per­to do 20.º lu­gar, pois te­mos jo­ga­do­res pa­ra is­so”, ga­ran­te Cas­si­a­no Neves, que iden­ti­fi­ca um pro­ble­ma: “Acho que há uma ero­são bru­tal da cul­tu­ra da Se­le­ção Na­ci­o­nal. Per­deu-se imen­so o que era a iden­ti­fi­ca­ção dos jo­ga­do­res com os pro­pó­si­tos da se­le­ção e a iden­ti­da­de que exis­tia dos por­tu­gue­ses com o que a se­le­ção re­pre­sen­ta­va. So­mos ama­do­res e te­mos de nos as­su­mir co­mo ama­do­res.”

É pre­ci­sa­men­te a “apos­ta” na Se­le­ção Na­ci­o­nal e na al­ta com­pe­ti­ção da an­te­ri­or di­re­ção que me­re­cem crí­ti­cas. “Acho que vi­ve­mos mui­to co­la­dos à ver­ti­gem do Mun­di­al”, su­bli­nha Cas­si­a­no Neves, acei­tan­do ser “com­pre­en­sí­vel” es­ta po­lí­ti­ca por­que dá “uma vi­si­bi­li­da­de mais ime­di­a­ta à mo­da­li­da­de”. No en­tan­to, avi­sa, hou­ve “um de­sin­ves­ti­men­to” no râ­gue­bi “nos úl­ti­mos qua­tro a oi­to anos”.

As­sim, es­ta di­re­ção quer pro­mo­ver vá­ri­as mu­dan­ças. “Va­mos fa­zer uma es­co­lha es­tra­té­gi­ca di­fe­ren­te e ca­na­li­zar, den­tro do pos­sí­vel, uma mai­or per­cen­ta­gem das re­cei­tas pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to da mo­da­li­da­de, que abar­ca, en­tre ou­tras di­men­sões, a for­ma­ção dos jo­vens”, ex­pli­ca o ex-in­ter­na­ci­o­nal, con­tan­do, não obs­tan­te, que quan­do che­gou à FPR já en­con­trou “con­so­nân­cia das pes­so­as que se ocu­pam do de­sen­vol­vi­men­to e for­ma­ção”.

Ques­ti­o­na­do se ir às es­co­las dar a co­nhe­cer o râ­gue­bi é uma boa so­lu­ção, o ad­vo­ga­do, es­pe­ci­a­lis­ta em Di­rei­to do Des­por­to, res­pon­de que “é a úni­ca so­lu­ção”. Cas­si­a­no Neves des­ta­ca o bom tra­ba­lho fei­to pe­los clu­bes, mas re­cor­da que são es­tru­tu­ras ama­do­ras com li­mi­ta­ções. Re­cor­ren­do às es­co­las con­se­gue-se “mas­si­fi­car” a mo­da­li­da­de e tor­ná-la mais de­mo­crá­ti­ca.

O pre­si­den­te da FPR re­for­ça que quer pre­o­cu­par-se me­nos com os se­ni­o­res, que “é pa­ra on­de vai o gros­so da re­cei­ta”, e de­se­ja in­ves­tir na qua­li­da­de das pes­so­as que tra­ba­lham e que ge­rem o dia a dia do râ­gue­bi na­ci­o­nal. Nes­se as­pe­to do fun­ci­o­na­men­to es­tá confiante, uma vez que, as­se­gu­ra, “a qua­li­da­de das pes­so­as que in­te­gram a di­re­ção e os ór­gãos so­ci­ais au­gu­ram al­go de bom pa­ra o râ­gue­bi na­ci­o­nal”. Na par­te co­mer­ci­al, diz que nos úl­ti­mos anos fez-se “mui­to pou­co” e a cri­se não jus­ti­fi­ca tu­do.

JOÃO FERRÃO

A si­tu­a­ção fi­nan­cei­ra da FPR não é a me­lhor, diz Cas­si­a­no Neves, que fa­la nu­ma dí­vi­da sig­ni­fi­ca­ti­va, em­bo­ra não re­ve­le o mon­tan­te, pois vai pe­dir uma au­di­to­ria in­de­pen­den­te.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.