Oba­ma re­ve­la pla­no pa­ra re­du­zir nú­me­ro de mor­tos por ar­mas no país

EUA. Pre­si­den­te dos EUA re­cor­dou que há “30.000 ví­ti­mas mor­tais to­dos os anos” e, por is­so, “já não há des­cul­pa pa­ra não agir”

Metro Portugal (Lisbon) - - PRIMEIRA PÁGINA - LUÍS CAR­MO

Ro­de­a­do de so­bre­vi­ven­tes e fa­mi­li­a­res des­ses so­bre­vi­ven­tes de ti­ro­tei­os nos úl­ti­mos cin­co anos, Ba­rack Oba­ma apre­sen­tou on­tem em Washington as me­di­das que pre­ten­de ver im­ple­men­ta­das pa­ra re­du­zir o nú­me­ro de mor­tos que to­dos os anos se re­gis­tam nos EUA, em in­ci­den­tes com ar­mas de fo­go. O pre­si­den­te nor­te-ame­ri­ca­no re­cor­dou que se re­gis­tam “30.000 ví­ti­mas mor­tais to­dos os anos” e que, por is­so, “já não há des­cul­pa pa­ra não agir”.

“Há um sen­ti­men­to que es­tes ti­ro­tei­os se tor­na­ram uma ro­ti­na”, afir­mou Oba­ma, num dis­cur­so emo­ci­o­na­do que o le­vou mes­mo a ver­ter uma lá­gri­ma. “To­dos os di­as mor­rem pes­so­as” ví­ti­mas de ar­mas de fo­go, o que não acon­te­ce nos ou­tros paí­ses de­sen­vol­vi­dos.

Oba­ma tem “ur­gên­cia” em re­sol­ver es­te pro­ble­ma e foi com es­se in­tui­to que apre­sen­tou vá­ri­as me­di­das, mes­mo à re­ve­lia do Con­gres­so, que é na mai­o­ria re­pu­bli­ca­no e qua­se sem­pre re­sis­tiu a mu­dan­ças nes­ta ma­té­ria. As­sim, o pre­si­den­te nor­te-ame­ri­ca­no avan­ça por ini­ci­a­ti­va pre­si­den­ci­al, con­tor­nan­do o Con­gres­so que é quem tem o po­der de le­gis­lar, adi­vi­nhan­do-se uma du­ra ba­ta­lha nos tri­bu­nais.

O dis­cur­so de Oba­ma não ter­mi­nou sem um re­ca­do: “O lobby das ar­mas po­de es­tar a fa­zer o Con­gres­so re­fém ago­ra mes­mo, mas eles não po­dem to­mar os EUA co­mo re­féns.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.