Ame­a­ça nu­cle­ar es­tá de vol­ta e vem do Ori­en­te

Co­reia do Nor­te anun­cia de­to­na­ção de bom­ba de hi­dro­gé­nio. Pla­ne­ta em unís­so­no nas crí­ti­cas

Metro Portugal (Lisbon) - - PRIMEIRA PÁGINA - RUI ALE­XAN­DRE CO­E­LHO

A no­tí­cia foi avan­ça­da on­tem pe­la te­le­vi­são es­ta­tal do país. Se­gun­do a apre­sen­ta­do­ra do ca­nal, o tes­te com um ar­te­fac­to nu­cle­ar de hi­dro­gé­nio foi “um su­ces­so com­ple­to”, e ser­ve co­mo ga­ran­te da au­to­de­fe­sa do país fa­ce aos EUA, “que têm vá­ri­as e enor­mes ar­mas nu­cle­a­res”.

A co­mu­ni­ca­ção do re­gi­me de Kim Jong-un sur­giu pe­las 10h00 lo­cais (01h30 por­tu­gue­sas), pou­co de­pois do tes­te. No en­tan­to, as pri­mei­ras in­for­ma­ções sur­gi­ram sob a for­ma de um sis­mo de mag­ni­tu­de 5.1 na es­ca­la de Ri­ch­ter, com epi­cen­tro em Punggye-ri (nor­te), a me­nos de 100 km da fron­tei­ra com a Chi­na e a apro­xi­ma­da­men­te 200 km de Vla­di­vos­tok (les­te da Rús­sia).

A Co­reia do Nor­te é o país mais iso­la­do do mun­do; por is­so, qual­quer ava­li­a­ção do tes­te te­rá de ser ex­ter­na. Nes­se sen­ti­do, a vi­zi­nha Co­reia do Sul foi um dos ob­ser­va­do­res in­ter­na­ci­o­nais a abor­dar o tes­te, ques­ti­o­nan­do se a na­tu­re­za do mes­mo foi co­mo Pyongyang a re­por­tou: é que o en­saio pro­vo­cou uma ex­plo­são equi­va­len­te a seis qui­lo­to­ne­la­das, idên­ti­ca à do úl­ti­mo tes­te nu­cle­ar ali efe­tu­a­do em fe­ve­rei­ro de 2013. Uma po­tên­cia mui­to abai­xo da que te­ria uma ver­da­dei­ra bom­ba H – as­cen­de a 50 qui­lo­to­ne­la­das.

“Po­dem ter tes­ta­do um en­ge­nho mis­to, a meio ca­mi­nho en­tre uma bom­ba A e uma bom­ba H; mas, a não ser que eles pro­du­zam al­gu­ma pro­va cla­ra, é di­fí­cil con­fi­ar na sua rei­vin­di­ca­ção”, dis­se Yang Uk, ana­lis­ta sé­ni­or do Fó­rum de Se­gu­ran­ça e De­fe­sa da Co­reia.

To­dos os paí­ses que co­men­ta­ram o tes­te con­de­na­ram-no. Mai­or ali­a­do da Co­reia do Nor­te in­cluí­do. Atra­vés da por­ta-voz da sua di­plo­ma­cia, a Chi­na “opôs-se fir­me­men­te” ao tes­te. Hua Chunying pe­diu ain­da que Pyongyang res­pei­te o seu “com­pro­mis­so de des­nu­cle­a­ri­za­ção” e sus­pen­da “qual­quer ação que pos­sa tor­nar a si­tu­a­ção ain­da pi­or”.

Quan­to ao Con­se­lho de Se­gu­ran­ça da ONU, “con­de­nou fir­me­men­te” o en­saio e anun­ci­ou que vai pre­pa­rar “me­di­das su­ple­men­ta­res” con­tra Pyongyang.

REU­TERS

Re­a­li­za­ção de ale­ga­do pri­mei­ro tes­te com bom­ba H da Co­reia do Nor­te sur­ge na an­te­câ­ma­ra do 33º ani­ver­sá­rio do lí­der do país, Kim Jong-un, que acon­te­ce ama­nhã.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.