Ta­ça da Li­ga. Ben­fi­ca go­leia em Mo­rei­ra de Có­ne­gos (6-1). Spor­ting eli­mi­na­do da pro­va

Ta­ça da Li­ga. Ben­fi­ca dei­xa Mo­rei­ren­se KO num ápi­ce e se­gue pa­ra as mei­as-fi­nais com go­le­a­da (6-1). Spor­ting ven­ce em Arou­ca (1-0), mas cai. Apu­ra­men­to his­tó­ri­co pa­ra o Por­ti­mo­nen­se.

Metro Portugal (Lisbon) - - PRIMEIRA PÁGINA - R.A.C. R.A.C.

Ta­lis­ca, hat-trick, Gai­tán, dois, e Ji­mé­nez fi­ze­ram on­tem os go­los dos en­car­na­dos con­tra o Mo­rei­ren­se. Iu­ri fez o ten­to dos da ca­sa. Vi­tó­ria dos leões em Au­ro­ca por 1-0 in­su­fi­ci­en­te pa­ra um lu­gar nas mei­as-fi­nais

Em Mo­rei­ra de Có­ne­gos, bar­ri­ga­da de go­los pa­ra quem de go­los tem en­chi­do a bar­ri­ga, jo­go após jo­go. Só nos úl­ti­mos seis en­con­tros, fo­ram 22 os re­ma­tes cer­tei­ros do Ben­fi­ca, que vai em no­ve vi­tó­ri­as se­gui­das.

Um em­pa­te bas­ta­va pa­ra os de Rui Vi­tó­ria pas­sa­rem à fa­se se­guin­te, mas um bis de Ta­lis­ca e uma obra-pri­ma de Gai­tán nos pri­mei­ros 20m mos­tra­ram ao que as águi­as iam. E nem o go­lo de res­pos­ta de Iu­ri ser­viu de pe­dra no sa­pa­to en­car­na­do. O Ben­fi­ca con­ti­nu­a­va con­for­tá­vel, e mais fi­cou quan­do Ji­mé­nez fez um cha­péu a Nil­son, va­li­da­do co­mo go­lo, ain­da que nin­guém pos­sa ga­ran­tir que en­trou, ou não. Hou­ve um cor­te so­bre a li­nha de ba­li­za: te­rá si­do a tem­po? Im­pos­sí­vel ga­ran­tir, sem au­xí­lio tec­no­ló­gi­co.

Quan­to à se­gun­da par­te, ar­ras­tou-se sem gran­des cor­re­ri­as. O des­fe­cho es­ta­va fei­to, mais go­lo, me­nos go­lo. Por fa­lar em go­los, Ta­lis­ca ain­da che­gou ao seu hat-trick; e Gai­tán ao seu bis. Ca­te­gó­ri­co, o Ben­fi­ca, que ali vol­ta no do­min­go. A pre­ci­sar de um con­jun­to de fa­to­res fa­vo­rá­veis pa­ra se apu­rar que in­cluía ven­cer, es­pe­rar que o Por­ti­mo­nen­se per­des­se e anu­lar cin­co go­los de des­van­ta­gem, o Spor­ting fez o que lhe com­pe­tia: ga­nhou em Arou­ca (1-0) – go­lo de Ze­e­ge­la­ar (80m). Mas em vão: o Por­ti­mo­nen­se não só não per­deu na Ma­ta Re­al co­mo até ga­nhou por 3-2, re­cu­pe­ran­do de um atra­so de 2-0. No­tá­vel, o per­cur­so dos al­gar­vi­os no Gru­po C, ven­cen­do os pri­mo­di­vi­si­o­ná­ri­os Arou­ca e Spor­ting, em ca­sa, e o Pa­ços, fo­ra.

Não se po­de di­zer que o Spor­ting te­nha fei­to tu­do pa­ra mar­car mui­tos go­los ao Arou­ca, o que po­de­ria ter da­do jei­to. O on­ze es­ta­va re­ple­to de es­co­lhas al­ter­na­ti­vas e até ha­via um tal de Az­be Jug na ba­li­za, em es­treia ab­so­lu­ta – mos­trou se­gu­ran­ça.

De res­to, um jo­go mor­no, com si­nal mais do Arou­ca na pri­mei­ra par­te e do Spor­ting na se­gun­da, mui­to por cul­pa da en­tra­da de Ma­né, pa­ra se­gun­do avan­ça­do, ao in­ter­va­lo. No fim, so­bra­ram sor­ri­sos ama­re­los ao leão, pe­ran­te um triun­fo inú­til.

MA­NU­EL AZE­VE­DO

Ao se­gun­do jo­go pe­lo Spor­ting, Mar­vin Ze­e­ge­la­ar (esq.) já mar­cou.

HU­GO DEL­GA­DO/LU­SA

Ta­lis­ca (três go­los) e Gai­tán (dois) as­si­na­ram cin­co dos go­los do Ben­fi­ca.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.