Ap­ple re­cu­sa aces­so ao FBI

EUA. Es­ta­rá a pri­va­ci­da­de in­di­vi­du­al à fren­te da se­gu­ran­ça co­le­ti­va? A Ap­ple diz que sim, por is­so anun­ci­ou que não da­rá aces­so ao da­dos do te­le­fo­ne de um ter­ro­ris­ta, co­mo o FBI quer.

Metro Portugal (Lisbon) - - MUNDO - R.A.C. COM LU­SA

A po­si­ção da em­pre­sa da ma­çã é de tal mo­do in­fle­xí­vel que con­tra­ria a or­dem de uma juí­za fe­de­ral pa­ra des­blo­que­ar o IPHO­NE uti­li­za­do por um dos au­to­res do ti­ro­teio de de­zem­bro, em San Ber­nar­di­no, EUA (14 mor­tos). Os ser­vi­ços de in­te­li­gên­cia nor­te-ame­ri­ca­na (FBI) in­for­ma­ram a Ap­ple que que­rem cri­ar uma “por­ta dos fun­dos”, por­ta es­sa que se­ria atra­ves­sa­da só es­ta vez. Uma “can­ti­ga” na qual o lí­der da Ap­ple não vai: “Uma vez cri­a­da, es­sa téc­ni­ca po­de­ria ser usa­da re­pe­ti­da­men­te, em quais­quer dis­po­si­ti­vos. No mun­do fí­si­co era o equi­va­len­te a dar aces­so à cha­ve mes­tra, ca­paz de abrir cen­te­nas de mi­lhões de fe­cha- du­ras – de res­tau­ran­tes, de ban­cos, de lo­jas, de ca­sas...”, dis­se Tim Co­ok.

Se­gun­do a or­dem ju­di­ci­al emi­ti­da, a Ap­ple de­ve­rá pro­vi­den­ci­ar ao FBI “as­sis­tên­cia téc­ni­ca ra­zoá­vel” pa­ra que ace­da ao te­le­mó­vel, o que, na prá­ti­ca, sig­ni­fi­ca “pi­ra­teá-lo” pa­ra de­sa­ti­var o sis­te­ma de se­gu­ran­ça que eli­mi­na os da­dos do apa­re­lho se não for in­tro­du­zi­do o có­di­go cor­re­to após um de­ter­mi­na­do nú­me­ro de ten­ta­ti­vas. Se a Ap­ple de­sa­ti­var es­ta fun­ção, os in­ves­ti­ga­do­res fe­de­rais po­dem ten­tar to­das as com­bi­na­ções pa­ra o có­di­go de se­gu­ran­ça pes­so­al sem re­ceio de que se per­cam os da­dos. Tim Co­ok anun­ci­ou que vai apre­sen­tar re­cur­so.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.