Sai Por­tas, en­tra Cris­tas

Par­ti­dos. O 26º Con­gres­so do CDS-PP con­sa­grou on­tem Assunção Cris­tas co­mo a sé­ti­ma lí­der do par­ti­do, e a pri­mei­ra mu­lher nes­se car­go. Che­ga as­sim ao fim a mais lon­ga pre­si­dên­cia cen­tris­ta.

Metro Portugal (Lisbon) - - NACIONAL -

No dis­cur­so de en­cer­ra­men­to, Assunção Cris­tas aban­do­nou o re­gis­to pes­so­al, que ti­nha mar­ca­do a in­ter­ven­ção prin­ci­pal no pri­mei­ro dia do con­gres­so, em Gon­do­mar, e dei­xou pro­pos­tas con­cre­tas: um de­sa­fio ao PS pa­ra par­ti­ci­par nu­ma re­for­ma do sis­te­ma de pen­sões e a re­vi­são da re­gu­la­ção do sis­te­ma fi­nan­cei­ro, in­cluin­do a for­ma de no­me­a­ção do go­ver­na­dor do Ban­co de Por­tu­gal.

A no­va lí­der anun­ci­ou ain­da que irá pro­por aos ór­gãos do par­ti­do a re­no­va­ção do apoio a Rui Mo­rei­ra, ca­so es­te se re­can­di­da­te à Câ­ma­ra do Por­to, e uma can­di­da­tu­ra “for­te e am­bi­ci­o­sa” à ca­pi­tal, na tra­di­ção de Nu­no Krus Abe­ca­sis.

Se a di­re­ção de Assunção Cris­tas foi elei­ta de for­ma es­ma­ga­do­ra (95,59% dos vo­tos, mais do que a úl­ti­ma de Pau­lo Por­tas), per­deu lu­ga­res no Con­se­lho Na­ci­o­nal. Fi­li­pe Lo­bo d’Ávi­la en­ca­be­çou a lis­ta al­ter­na­ti­va ao “par­la­men­to” do par­ti­do, e con­se­guiu 23% dos vo­tos e 16 lu­ga­res di­re­tos (num to­tal de 70).

ES­TE­LA SIL­VA/LU­SA

A lí­der do CDS-PP propôs uma re­vi­são da re­gu­la­ção e su­per­vi­são do se­tor fi­nan­cei­ro, in­cluin­do da de­sig­na­ção do go­ver­na­dor do Ban­co de Por­tu­gal.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.