Pro­fes­so­res em si­lên­cio

Há uma ini­bi­ção da de­nún­cia da fraude aca­dé­mi­ca por par­te dos do­cen­tes, mo­ti­va­da pe­lo grau de des­con­fi­an­ça nos pro­ces­sos ad­mi­nis­tra­ti­vos da ins­ti­tui­ção.

Metro Portugal (Lisbon) - - PRIMERA PÁGINA -

Do­cen­tes pre­fe­rem não de­nun­ci­ar si­tu­a­ções de fraude ou plá­gio

Os do­cen­tes uni­ver­si­tá­ri­os não es­tão pre­dis­pos­tos pa­ra de­nun­ci­ar si­tu­a­ções de fraude aca­dé­mi­ca e plá­gio, de­vi­do, em par­te, a um “grau de des­con­fi­an­ça e des­cren­ça nos pro­ces­sos ad­mi­nis­tra­ti­vos” e na “ca­pa­ci­da­de pu­ni­ti­va” das ins­ti­tui­ções do en­si­no su­pe­ri­or por­tu­guês, dis­se à Lu­sa Filipe Al­mei­da, co­or­de­na­dor do es­tu­do do Cen­tro de Es­tu­dos So­ci­ais da Uni­ver­si­da­de de Coim­bra “A éti­ca dos alu­nos e a to­le­rân­cia de pro­fes­so­res e ins­ti­tui­ções pe­ran­te a fraude aca­dé­mi­ca no en­si­no su­pe­ri­or”.

Ou­tra das ex­pli­ca­ções avan­ça­das pa­ra os do­cen­tes não es­ta­rem “ab­so­lu­ta­men­te com­pro­me­ti­dos no com­ba­te à fraude” cen­tra-se com o fac­to de a ava­li­a­ção da car­rei­ra do­cen­te uni­ver­si­tá­ria es­tar fo­ca­da “na di­men­são ci­en­tí­fi­ca e não na pe­da­gó­gi­ca”. Os in­cen­ti­vos são “pou­cos” pa­ra que os pro­fes­so­res “se pre­o­cu­pem com o que se pas­sa na sa­la de au­la”, sen­do que dos 2.727 do­cen­tes in­qui­ri­dos, 30% não sa­bi­am “se­quer se ha­via al­gum có­di­go de con­du­ta ou éti­ca na sua ins­ti­tui­ção”. “Is­to si­na­li­za o des­com­pro­mis­so”, afir­mou.

Os re­sul­ta­dos do es­tu­do de­mons­tram que os es­tu­dan­tes têm uma per­ce­ção de que a fraude é “ge­ne­ra­li­za­da”. Dos in­qui­ri­dos, 54,2% con­si­de­ram que se co­pia pa­ra tra­ba­lhos com al­gu­ma re­gu­la­ri­da­de, mais de 70% con­si­de­ram que se usam cá­bu­las com frequên­cia em exa­me es­cri­to, 73% dos alu­nos ad­mi­tem que apre­sen­ta­ri­am o mes­mo tra­ba­lho em vá­ri­as dis­ci­pli­nas, 65% que for­ne­ce­ri­am res­pos­tas a um co­le­ga no exa­me e 52% que co­pi­a­ri­am.

JOÃO FER­RÃO

Es­tu­dan­tes ele­gem a re­la­ção de pro­xi­mi­da­de en­tre do­cen­tes e alu­nos co­mo fa­tor que “ini­bi­ria a prá­ti­ca frau­du­len­ta”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.