Águia à pro­cu­ra do so­nho

Ben­fi­ca ten­ta “mei­as” da Cham­pi­ons con­tra o po­de­ro­so Bayern

Metro Portugal (Lisbon) - - PRIMEIRA PÁGINA - R.A.C.

Pri­mei­ro, os con­vi­da­dos: as­sim faz a UEFA, nas an­te­vi­sões aos jo­gos das su­as pro­vas, e as­sim fa­re­mos nós.

Pois bem, que te­ve a di­zer Thi­a­go Al­cân­ta­ra so­bre o “In­fer­no da Luz”, sa­ben­do que o Bayern te­rá de en­fren­tar 65.000 pes­so­as pa­ra se apu­rar? Dis­se is­to, com um sor­ri­so: “In­fer­no? É a coi­sa mais lin­da po­der jo­gar num es­tá­dio cheio. É uma mo­ti­va­ção. In­fer­no é não jo­gar fu­te­bol.”

E Pep Gu­ar­di­o­la, já ago­ra? “Te­mos de mos­trar fren­te a 65.000 pes­so­as o nos­so ca­rá­ter; mos­trar que so­mos gran­des fu­te­bo­lis­tas”, re­fe­riu o téc­ni­co do Bayern, que já fi­ca­va sa­tis­fei­to em ver os seus jo­ga­do­res “fo­ca­dos, a de­fen­der bem, a jo­gar o me­lhor pos­sí­vel e a mar­car um go­lo pa­ra pas­sar à pró­xi­ma ron­da”, dis­se.

Ao fa­lar as­sim, Pep não es­ta­rá à es­pe­ra que o Ben­fi­ca fa­ça três go­los. Con­ta que mar­car um go­lo che­gue aos ale­mães. Só que Rui Vi­tó­ria pen­sa o mes­mo, ou se­ja, que um go­lo po­de va­ler ao Ben­fi­ca o apu­ra­men­to, ca­so de­pois se­ja fe­liz nos cas­ti­gos máximos. “Tra­ba­lhá­mos tu­do o que pos­sa acon­te­cer. Con­cre­ta­men­te, os pe­nál­tis, tam­bém os tra­ba­lhá­mos.”

O ti­mo­nei­ro do bi­cam­peão na­ci­o­nal pro­je­tou “um jo­go mui­to di­fí­cil”, no qual as águi­as te­rão de es­tar “nos li­mi­tes da de­di­ca­ção, da ins­pi­ra­ção e da mo­ti­va­ção”. Com, ou sem Gai­tán, que tem ques­tões mus­cu­la­res pa­ra re­sol­ver, é coi­sa pa­ra só se sa­ber “à ho­ra de jo­go”, dis­se.

© REUTERS

Ausência de Jonas (cas­ti­go) e dú­vi­das fa­ce a Gai­tán de­vem fa­zer avan­çar Raúl Ji­mé­nez (esq.) pa­ra o on­ze ti­tu­lar das águi­as – ele que sal­tou do ban­co pa­ra dar a vi­tó­ria an­te a Aca­dé­mi­ca.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.