Tra­ba­lho in­di­vi­du­a­lis­ta

So­ci­e­da­de. Portugal, Tur­quia e a Gré­cia são os paí­ses eu­ro­peus on­de me­nos se tra­ba­lha em equi­pa, com va­lo­res abai­xo dos 50%, ao con­trá­rio do que acon­te­ce na No­ru­e­ga e Sué­cia.

Metro Portugal (Lisbon) - - PRIMEIRA PÁGINA -

Me­nos de me­ta­de dos por­tu­gue­ses tra­ba­lha em equi­pa

Se­gun­do os da­dos do Inqué­ri­to Eu­ro­peu às Con­di­ções de Tra­ba­lho de 2010, mais de 50% dos tra­ba­lha­do­res afir­mam tra­ba­lhar em equi­pa na mai­or par­te do tem­po. Con­tu­do, es­ta é uma re­a­li­da­de di­fe­ren­ci­a­da por país: Tur­quia (30,9%), Gré­cia (40,4%) e Portugal (42,4%) são os paí­ses eu­ro­peus on­de me­nos se tra­ba­lha em equi­pa, “on­de os va­lo­res des­ta for­ma de or­ga­ni­zar o tra­ba­lho não che­gam aos 50%”, re­fe­re o es­tu­do pu­bli­ca­do no Ob­ser­va­tó­rio das De­si­gual­da­des.

Pe­lo con­trá­rio, na No­ru­e­ga e na Sué­cia o tra­ba­lho em equi­pa abran­ge mais de 70% dos in­qui­ri­dos.

Na Eu­ro­pa, os me­no­res ní­veis de tra­ba­lho em equi­pa en­con­tram-se no gru­po dos ope­rá­ri­os, ar­tí­fi­ces e tra­ba­lha­do­res si­mi­la­res, abai­xo dos 30%, se­guin­do-se os tra­ba­lha­do­res das for­ças ar­ma­das e os tra­ba­lha­do­res não qua­li­fi­ca­dos.

A in­ves­ti­ga­ção ana­li­sou “co­mo a pre­ca­ri­za­ção das re­la­ções de em­pre­go, e mais con­cre­ta­men­te, o sen­ti­men­to de in­se­gu­ran­ça no tra­ba­lho, po­de es­tar as­so­ci­a­do a di­fi­cul­da­des no es­ta­be­le­ci­men­to de re­la­ções es­tá­veis e co­o­pe­ra­ti­vas en­tre co­le­gas”.

© JOÃO FERRÃO

O ar­ti­go, da au­to­ria da so­ció­lo­ga Margarida Bar­ro­so, ana­li­sou as “De­si­gual­da­des ocu­pa­ci­o­nais na di­men­são re­la­ci­o­nal do tra­ba­lho”, com ba­se em da­dos do Inqué­ri­to Eu­ro­peu às Con­di­ções de Tra­ba­lho, que in­te­gra 34 paí­ses.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.