Car­ta por pon­tos ain­da é um mis­té­rio

Na­ci­o­nal. Qua­se três em ca­da qua­tro por­tu­gue­ses des­co­nhe­cem as prin­ci­pais al­te­ra­ções às re­gras da car­ta de con­du­ção. Mu­dan­ças en­tram em vi­gor ama­nhã e con­du­to­res re­ve­lam pou­co co­nhe­ci­men­to so­bre sis­te­ma a ser im­plan­ta­do

Metro Portugal (Lisbon) - - FOCUS - P.T.

Os re­sul­ta­dos do es­tu­do re­a­li­za­do pe­la Di­rect (Se­gu­ro Di­rec­to) in­di­cam ain­da que 55% dos in­qui­ri­dos “não sa­bem que, re­gra ge­ral, uma con­tra­or­de­na­ção gra­ve im­pli­ca a per­da de dois pon­tos”, e 51% des­co­nhe­cem que “se fo­rem au­tu­a­dos a con­du­zir sob o efei­to de ál­co­ol e se for con­si­de­ra­da uma con­tra­or­de­na­ção gra­ve per­de­rão três pon­tos”.

Qu­an­do ques­ti­o­na­dos so­bre o que acon­te­ce se o con­du­tor es­ti­ver três anos sem co­me­ter in­fra­ções gra­ves ou mui­to gra­ves, 58% não sa­bem que há uma bo­ni­fi­ca­ção de três pon­tos. O es­tu­do re­ve­la ain­da que 68% dos in­qui­ri­dos não sa­bem que “uma con­tra­or­de­na­ção mui­to gra­ve im­pli­ca a per­da de qua­tro pon­tos”. “Se a con­tra­or­de­na­ção mui­to gra­ve for por ex­ces­so de ve­lo­ci­da­de den­tro das zo­nas de co­e­xis­tên­cia, o nú­me­ro de pon­tos per­di­dos so­be pa­ra cin­co. Con­tu­do, ape­nas 32% co­nhe­cem es­ta re­gra”, lê-se ain­da no es­tu­do.

A mai­o­ria dos in­qui­ri­dos (61%) não sa­be que “a fal­ta a uma ação de for­ma­ção em se­gu­ran­ça ro­do­viá­ria, sem jus­ti­fi­ca­ção, im­pli­ca a cas­sa­ção da car­ta de con­du­ção”. E 16% não sa­bem que se per­de­rem to­dos os pon­tos fi­cam sem car­ta de con­du­ção. Ape­nas 22% des­co­nhe­cem que com três ou me­nos pon­tos os in­fra­to­res são obri­ga­dos a re­a­li­zar pro­va teó­ri­ca do exa­me de con­du­ção.

DR

Três ter­ços dos in­qui­ri­dos re­ve­la­ram co­nhe­cer que se ti­ve­rem cin­co ou me­nos pon­tos têm de fre­quen­tar uma ação de for­ma­ção em se­gu­ran­ça ro­do­viá­ria.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.