As vir­tu­des do pa­pel

Metro Portugal (Lisbon) - - ECONOMIA - FI­LI­PE GARCIA ECO­NO­MIS­TA DA IMF

A he­ge­mo­nia da in­for­ma­ção on­li­ne so­bre o pa­pel car­re­ga cus­tos es­con­di­dos. Co­mo to­dos os que têm mais de 30 anos, cres­ci a ler em pa­pel. Li­vros, jor­nais, re­vis­tas, su­ple­men­tos e até ca­tá­lo­gos eram avi­da­men­te con­su­mi­dos. Mui­tas ve­zes, lia-se de fio a pa­vio, o que per­mi­tia co­nhe­cer as­sun­tos e opi­niões dis­tin­tas. No­tei que fi­co a sa­ber coi­sas bem di­fe­ren­tes se ler di­a­ri­a­men­te as pu­bli­ca­ções on­li­ne (ou os fe­eds) ou fa­zer o mes­mo em pa­pel – ain­da leio 2 jor­nais di­a­ri­a­men­te. É ver­da­de que no on­li­ne gas­to me­nos tem­po, ape­nas por­que leio me­nos ar­ti­gos e só “o que me in­te­res­sa”. Mui­ta in­for­ma­ção e as­sun­tos aca­bam ig­no­ra­dos. Em pa­pel, tal co­mo acon­te­ce aqui no metro, a in­for­ma­ção vem ter con­nos­co. E is­so, aper­ce­bo-me, tem mais uti­li­da­de do que eu jul­ga­va.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.