Blasph e Bewa­re Jack ri­mam em “O Pro­ces­so”. His­tó­ri­as que po­di­am ser re­ais

Dis­co. Blasph e Bewa­re Jack são com­pa­nhei­ros de ri­mas há al­gum tem­po. As co­la­bo­ra­ções fa­zem par­te da tra­di­ção do rap nos dis­cos a so­lo. Em “O Pro­ces­so” as­su­mem a par­ce­ria à sé­ria num dis­co de his­tó­ri­as que, se não são re­ais, po­di­am bem sê-lo.

Metro Portugal (Lisbon) - - PRIMEIRA PÁGINA -

“Em ‘O Pro­ces­so’ pu­xa­mos mui­to pe­las per­so­na­gens, mas es­tá ali mui­ta re­a­li­da­de. Re­a­li­da­de até de­mais” Blasph

Um é de Al­ma­da e o ou­tro é de Odi­ve­las, du­as im­por­tan­tes es­co­las do hip hop na­ci­o­nal que os tor­na­ram mes­tres nas ri­mas, no story­tel­ling, no pun­ch­li­ne, nas pi­a­das e na jin­ga das ri­mas. Já tí­nha­mos es­cu­ta­do Bewa­re Jack nou­tras par­ce­ri­as – em Bling Pro­jekt e no tra­ba­lho a so­lo “Coi­sas de 1 Por­co”; Blasph no dis­co de es­treia “Fran­kie Di­lú­vio Vol.1”. E em mui­tas ou­tras co­la­bo­ra­ções co­mo “Pon­ta­pé nas Cos­tas”, dos Co­ro­na. Ago­ra “O Pro­ces­so” é ou­tro. Es­te é um dis­co de per­so­na­gens. A co­me­çar pe­los pró­pri­os rap­pers: es­ta du­pla de “Fá­bi­os” con­ta his­tó­ri­as, umas mais pes­so­ais e bi­o­grá­fi­cas, ou­tras mais ima­gi­na­das. “Mas po­des não con­se­guir dis­tin­guir a per­so­na­gem da re­a­li­da­de! E é is­so que que­ro: dar-te um só mun­di­nho. Não que­ro dis­tin­ções, não há dois mun­dos”, diz o ho­mem de Al­ma­da, Blasph. E as­sim va­mos en­con­tran­do vá­ri­as per­so­na­gens ao lon­go das 12 fai­xas que com­põem “O Pro­ces­so”: des­de a fi­gu­ra do gangs­ter “Johnny Cri­me”, pas­san­do pe­la ir­re­sis­tí­vel “Vul­câ­ni­ca”, que os le­va às lou­cu­ras etí­li­cas de “Jor­ge Pal­ma” ou a à pró­pria “Ci­da­de Vi­ga­ra”, on­de con­vi­vem pa­ci­fi­ca­men­te to­das es­tas fi­gu­ras. É um dis­co mui­to vi­su­al, qua­se co­mo se fos­sem vá­ri­os en­re­dos e ar­gu­men­tos pa­ra ti­ras de Frank Mil­ler ou pa­ra as len­tes de Qu­en­tin Ta­ran­ti­no e Ro­bert Ro­dri­guez. “É pa­ra ser es­cu­ta­do com re­la­ti­va aten­ção, se não vai pas­sar-te um bo­ca­di­nho ao la­do. E não es­tou a di­zer que so­mos mais pro­fun­dos que os de­mais! É só por­que a coi­sa é mes­mo mui­to vi­su­al”, con­fir­ma-nos o ho­mem de Odi­ve­las, Bewa­re Jack.

Nes­te pro­ces­so apa­re­cem ain­da mais du­as fi­gu­ras: o DJ Nel’As­sas­sin nos cor­tes e scrat­ches clás­si­cos do hip hop da ve­lha gu­ar­da; e o rap­per e pro­du­tor Ki­lú, con­si­de­ra­do um dos no­mes mais ca­ris­má­ti­cos da his­tó­ria do rap por­tu­guês, e que foi fun­da­men­tal no en­ro­la­men­to de “O Pro­ces­so” na es­té­ti­ca bo­om-bap, de que Blasph e Bewa­re são in­con­di­ci­o­nais e dois exí­mi­os exe­cu­tan­tes.

A con­fe­rir em dis­co, com edi­ção Ma­no a Ma­no, e im­per­dí­veis ao vi­vo dia 17 de ju­nho, no Vil­la­ge Un­der­ground Lis­boa.

DR

CHIKOLAEV

Blasph (dta, em bai­xo) e Bewa­re Jack (à por­ta) têm vi­a­ja­do com “O Pro­ces­so” e dia 17 de ju­nho to­cam no Vil­la­ge Un­der­ground Lis­boa.

MARGARIDA VAZ

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.