Mãe foi “in­cu­ba­do­ra vi­va” e do­ou o cor­po ao fi­lho

Metro Portugal (Lisbon) - - NACIONAL -

A mu­lher em morte cerebral cu­jo be­bé nas­ceu no hos­pi­tal de São Jo­sé foi uma “in­cu­ba­do­ra vi­va” e do­ou o seu cor­po ao fi­lho, nas pa­la­vras da equi­pa de pro­fis­si­o­nais que acom­pa­nhou o ca­so. Em con­fe­rên­cia de im­pren­sa em Lis­boa, o pre­si­den­te da co­mis­são de éti­ca do Cen­tro Hos­pi­ta­lar de Lis­boa Cen­tral (CHLC), Gon­ça­lo Cor­dei­ro Fer­rei­ra, con­si­de­rou es­te ca­so co­mo “uma gran­de vi­tó­ria da vi­da”. O be­bé, um ra­paz, nas­ceu com 2,350 qui­los, de­pois de uma ges­ta­ção de 32 se­ma­nas com a mãe em morte cerebral des­de o dia 20 de fe­ve­rei­ro, ou se­ja, há cer­ca de 15 se­ma­nas.

JOR­GE PAULA

Mãe foi “in­cu­ba­do­ra vi­va e do­ou o seu cor­po ao fi­lho”, dis­se Cor­dei­ro Fer­rei­ra

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.