Mi­lhões de pes­so­as as­si­na­lam Dia In­ter­na­ci­o­nal com exer­cí­cio e me­di­ta­ção

Io­ga.

Metro Portugal (Lisbon) - - PRIMEIRA PÁGINA - LUÍS CARMO

Mai­or mes­tre de Por­tu­gal ex­pli­ca uma mo­da­li­da­de que tem ca­da vez mais pra­ti­can­tes. Che­fe do go­ver­no in­di­a­no dá au­la glo­bal

“Co­me­çá­mos com es­ta ini­ci­a­ti­va em 2002. Fo­mos o pri­mei­ro país do mun­do a lan­çar es­ta ideia e des­de en­tão to­dos os anos, no dia 21 de ju­nho, no sols­tí­cio de ve­rão, reu­ni­mos em Por­tu­gal mais de 1.000 pro­fes­so­res de io­ga por­que é o mai­or dia do ano, o dia em que o sol es­tá mais tem­po no ho­ri­zon­te, e ho­je a hu­ma­ni­da­de pre­ci­sa de luz.” Jor­ge Vei­ga e Cas­tro, gran­de mes­tre in­ter­na­ci­o­nal do io­ga, ex­pli­ca as­sim ao

me­tro por­que mo­ti­vo é im­por­tan­te ter um Dia Mun­di­al do Io­ga.

Jor­ge Vei­ga e Cas­tro acre­di­ta que o pla­ne­ta pre­ci­sa de um dia glo­bal por­que as pes­so­as “já não vi­vem em va­les e em ilhas e a glo­ba­li­da­de não se faz só pe­las mul­ti­na­ci­o­nais ou pe­la In­ter­net”. “Te­mos um ADN co­mum e de­ve­mos re­sol­ver as nos­sas di­ver­gên­ci­as com so­lu­ções di­plo­má­ti­cas. So­mos, de fac­to, uma ir­man­da­de nes­te pe­que­no ca­lhau aqui à vol­ta do sol”, re­fe­re Jor­ge Vei­ga e Cas­tro – ou H.H. Ja­gat Gu­ru Amr­ta Súryá­nan­da Mahá Rá­ja, co­mo es­tá no si­te da Con­fe­de­ra­ção Por­tu­gue­sa do Yo­ga –, acres­cen­tan­do: “é im­por­tan­te ser­mos fra­ter­nos e dar as mãos, em vez de nos agre­dir­mos”.

O pre­si­den­te da Con­fe­de­ra­ção Por­tu­gue­sa do Yo­ga ex­pli­ca que há vá­ri­os be­ne­fí­ci­os no io­ga, fi­can­do os pra­ti­can­tes com “mais for­ça mus­cu­lar, elas­ti­ci­da­de, fle­xi­bi­li­da­de e equi­lí­brio”. Mais: Jor­ge Vei­ga e Cas­tro as­se­gu­ra que os yo­gis têm “mais ener­gia, vi­ven­do mais de­sin­to­xi­ca­dos e ale­gres”, so­bre­tu­do por­que uti­li­zam o cé­re­bro “de for­ma ex­ce­ci­o­nal de­vi­do aos exer­cí­ci­os de con­cen­tra­ção con­tí­nua e me­di­ta­ção, que são a par­te mais cé­le­bre e im­por­tan­te do io­ga”.

Qu­es­ti­o­na­do se o io­ga es­tá a cres­cer em Por­tu­gal, o pre­si­den­te da Con­fe­de­ra­ção Por­tu­gue­sa do Yo­ga res­pon­de afir­ma­ti­va­men­te até por­que, as­se­gu­ra, as pes­so­as quan­do pra­ti­cam gos­tam e “fi­cam fãs”. Ou­tro fa­tor que con­tri­bui pa­ra o cres­ci­men­to do io­ga no País re­si­de nas cri­an­ças que “ado­ram” a prá­ti­ca. “Um dos ob­je­ti­vos des­te dia é que o io­ga en­tre nos cur­rí­cu­los das nos­sas es­co­las, des­de que o quei­ram. Acha­mos que o io­ga – por um con­jun­to de exer­cí­ci­os fí­si­cos, ene­gé­ti­cos e de con­tro­lo emo­ci­o­nal e men­tal – se­rá o exer­cí­cio do sé­cu­lo XXI”, diz Jor­ge Vei­ga e Cas­tro, ar­gu­men­ta­do a fa­vor des­ta ideia que, na re­gião de Avei­ro, “aca­ba­ram as tur­mas di­fí­ceis, os pro­ces­sos dis­ci­pli­na­res e os re­sul­ta­dos es­co­la­res me­lho­ra­ram ex­ce­ci­o­nal­men­te”.

“O io­ga pro­por­ci­o­na um gran­de com­ba­te ao stres­se e pro­por­ci­o­na-nos um so­no no­tur­no de qua­li­da­de” Jor­ge Vei­ga e Cas­tro, pre­si­den­te da Con­fe­de­ra­ção Por­tu­gue­sa do Yo­ga

123RF

“O io­ga tem su­ces­so e es­tá a cres­cer no País por­que as pes­so­as quan­do ex­pe­ri­men­tam gos­tam e fi­cam fãs”, diz o Pre­si­den­te da Con­fe­de­ra­ção Por­tu­gue­sa do Yo­ga.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.