In­ves­ti­ga­do­ra de­fen­de es­ta­tu­to pró­prio pa­ra robôs

Metro Portugal (Lisbon) - - JORNAL -

Uma in­ves­ti­ga­do­ra de Coimbra ad­mi­te a ne­ces­si­da­de de cri­ar um es­ta­tu­to pró­prio pa­ra os robôs, cu­jas re­la­ções com os hu­ma­nos le­van­tam ques­tões co­mo com­pen­sa­ções de da­nos e pa­ra as quais o Di­rei­to não tem res­pos­ta.

“O Di­rei­to não es­tá pre­pa­ra­do pa­ra re­gu­lar as re­la­ções so­ci­ais, pro­fis­si­o­nais e pes­so­ais en­tre hu­ma­nos e robôs”, que são má­qui­nas ca­da vez mais so­fis­ti­ca­das e in­te­li­gen­tes, afir­ma Ana Eli­sa­be­te Fer­rei­ra, do Cen­tro de Di­rei­to Bi­o­mé­di­co (CDB) da Fa­cul­da­de de Di­rei­to da Uni­ver­si­da­de de Coimbra (UC). “A pro­gra­ma­ção da in­te­li­gên­cia ar­ti­fi­ci­al é ho­je mui­to com­ple­xa e já não se li­mi­ta a di­zer ao robô o que fa­zer – pre­pa­ra o robô pa­ra fa­zer es­co­lhas éti­cas, com ba­se na­qui­lo que um ser hu­ma­no, em re­gra, fa­ria”, afir­ma.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.