Pul­sei­ras do Se­nhor do Bon­fim da Bahia

Metro Portugal (Lisbon) - - LAZER - cA­TA­RI­NA PO­DE­RO­SO

1809 – Bahia, Bra­sil Na dé­ca­da de 1990, di­fí­cil era en­con­trar ado­les­cen­tes sem es­ta pul­sei­ra. E to­dos com um pro­pó­si­to: pe­dir três de­se­jos. Pa­ra tal, a pul­sei­ra ti­nha que dar du­as vol­tas ao pul­so e ser ata­da em três nós – em ca­da nó era fei­to um pe­di­do, que nun­ca po­dia ser di­to em voz al­ta. Até pa­re­ce fá­cil, mas os de­se­jos só se con­cre­ti­za­vam de­pois de a pul­sei­ra cair por si só... ou se­ja, era pre­ci­so es­pe­rar! Ca­da pul­sei­ra tem 47 cen­tí­me­tros, a me­di­da do bra­ço di­rei­to da ima­gem de Je­sus Cris­to (que foi fei­ta em Por­tu­gal, em Se­tú­bal, no sé­cu­lo XVIII) que es­tá no al­tar-mor da Ba­sí­li­ca do Se­nhor do Bon­fim em Sal­va­dor, na Bahia, Bra­sil. Co­me­çou por ser usa­da ao pes­co­ço co­mo for­ma de cum­prir pro­mes­sa a uma pre­ce aten­di­da. Co­mo foi pa­rar ao pul­so não se sa­be, mas sa­be-se sim que ca­da cor equi­va­le a um Ori­xá.

LEANDRO NEUMANN CIUFFO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.