“PA­RA LÁ DO REL­VA­DO”

Li­vro re­ve­la o fu­te­bol co­mo uma mon­tra do mun­do

Metro Portugal (Lisbon) - - PRIMEIRA PÁGINA - JOÃO FERRÃO

As Re­la­ções In­ter­na­ci­o­nais co­mo for­ma­ção aca­dé­mi­ca: é in­ves­ti­ga­do­ra do Ins­ti­tu­to Por­tu­guês de Re­la­ções In­ter­na­ci­o­nais da Uni­ver­si­da­de No­va de Lis­boa e pro­fes­so­ra de Es­tu­dos Asiá­ti­cos na Fa­cul­da­de de Ci­ên­ci­as So­ci­ais e Hu­ma­nas da mes­ma fa­cul­da­de. O fu­te­bol por pai­xão: um sau­dá­vel ví­cio que a le­va a ver, em mé­dia, seis jo­gos de fu­te­bol por se­ma­na – em fun­ção de ser, ou não, se­ma­na de Li­ga dos Cam­peões! “O fu­te­bol faz par­te da mi­nha vi­da des­de sem­pre. Em mi­nha ca­sa sem­pre foi am­pla­men­te dis­cu­ti­do e vi­vi­do – a mi­nha mãe era uma adep­ta in­con­di­ci­o­nal do FC Por­to. Em con­tras­te com o meu avô, que era um adep­to in­con­di­ci­o­nal do Ben­fi­ca”, con­ta-nos. Ra­quel Vaz-Pin­to dei­xou-se se­du­zir pe­lo ver­me­lho das “pa­poi­las sal­ti­tan­tes”, mas te­ve sem­pre de cri­ar ar­gu­men­ta­ção pa­ra tu­do o que era o de­ba­te fu­te­bo­lís­ti­co.

O no­vo li­vro “Pa­ra Lá do Rel­va­do – O que Po­de­mos Apren­der com o Fu­te­bol” nas­ce da união das du­as pai­xões. “É uma so­bre­po­si­ção tre­men­da”, co­me­ça por di­zer. “Se­ja do pon­to de vis­ta eco­nó­mi­co, po­lí­ti­co, es­tra­té­gi­co ou li­de­ran­ça, o fu­te­bol é uma mon­tra do mun­do glo­ba­li­za­do em que vi­ve­mos. É po­ten­ci­a­dor e con­sequên­cia des­sa glo­ba­li­za­ção.”

E tu­do co­me­çou com uma au­la na fa­cul­da­de. A pro­fes­so­ra Vaz-Pin­to, pa­ra ten­tar agar­rar a “pla­teia” da ca­dei­ra de His­tó­ria de Sé­cu­lo XX nu­ma au­la so­bre as ques­tões da Ener­gia, per­gun­ta o porquê de o Atlé­ti­co de Ma­drid – que, nes­se ano, “vi­ria a ser cam­peão de­pois do go­lo do Go­dín no Camp Nou”, lem­bra – ter o pa­tro­cí­nio do Azer­bai­jão nas ca­mi­so­las. Aca­bou por ter su­ces­so e a vi­a­jar pe­la re­la­ção de ou­tros clu­bes com o Ca­tar ou com os Emi­ra­dos Ára­bes Uni­dos.

As ques­tões eco­nó­mi­cas ca­da vez mais pre­sen­tes no fu­te­bol são ape­nas um ca­pí­tu­lo num li­vro que per­cor­re dé­ca­das na his­tó­ria do des­por­to-rei e múl­ti­plos te­mas, co­mo po­lí­ti­ca, his­tó­ria, es­tra­té­gia, li­de­ran­ça e até o seu pa­pel na cri­a­ção de iden­ti­da­des – o exem­plo ita­li­a­no e es­pa­nhol –, e no de­sen­vol­vi­men­to de um país – dan­do o exem­plo do pre­si­den­te chi­nês Xi Jin­ping, “que na sua ideia do re­nas­ci­men­to” da na­ção vê no “fu­te­bol um pa­pel im­por­tan­te”, daí o investimento de mi­lhões no se­tor.

Ra­quel Vaz-Pin­to, co­mo já deu pa­ra per­ce­ber, é uma ver­da­dei­ra afi­ci­o­na­da do jo­go. Mas con­vi­ve bem com es­ta fa­ce­ta do “fu­te­bol-ne­gó­cio”. “É uma re­a­li­da­de eéo mer­ca­do. Mas exi­ge-se en­tre­ga e pro­fis­si­o­na­lis­mo e a ca­pa­ci­da­de de qu­a­se não fa­lhar. Os jo­ga­do­res têm as vi­das es­cru­ti­na­das ao mi­lí­me­tro. E, ho­je em dia, são op­ções de vi­da que são to­ma­das com dez ou 12 anos! E pa­ra mui­tos de­les, é a pos­si­bi­li­da­de de ter uma vi­da co­mo nun­ca so­nha­ram.”

“O fu­te­bol é uma mon­tra do mun­do glo­ba­li­za­do em que vi­ve­mos. É po­ten­ci­a­dor e con­sequên­cia des­sa glo­ba­li­za­ção”

JOÃO FERRÃO

No seu li­vro, Ra­quel Vaz-Pin­to dei­xa de fo­ra tu­do o que es­tá re­la­ci­o­na­do com fu­te­bol por­tu­guês, con­fes­san­do: “Há um con­fli­to en­tre a ob­je­ti­vi­da­de e o Ben­fi­ca.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.