O adeus a Ca­mi­lo de Oli­vei­ra

O ator fa­le­ceu es­te sá­ba­do à noi­te, aos 91 anos. De acor­do com fon­te fa­mi­li­ar, es­tá pre­vis­ta pa­ra ama­nhã uma ce­ri­mó­nia na Ba­sí­li­ca da Es­tre­la, em Lis­boa.

Metro Portugal (Lisbon) - - CULTO -

O ator pi­sou os pal­cos pe­la pri­mei­ra vez aos cin­co anos e es­tre­ou-se pro­fis­si­o­nal­men­te aos 15, em Lis­boa. Ca­mi­lo de Oli­vei­ra pro­ta­go­ni­zou uma car­rei­ra mar­ca­da pe­la co­mé­dia e pe­lo te­a­tro de revista.

Fo­ram qu­a­se 70 anos nos te­a­tros de Lis­boa e em di­gres­sões pe­lo País, so­bre­tu­do de­di­ca­dos ao ri­so, mui­tas ve­zes em par­ce­ria, com ato­res co­mo Be­a­triz Costa e Ivo­ne Sil­va, Nuno Me­lo e António Feio ou Ma­ria Emí­lia Cor­reia, a cri­ar per­so­na­gens co­mo Agos­ti­nho ou Pa­dre Pi­men­ti­nha. Com Ivo­ne Sil­va pro­ta­go­ni­zou um dos pa­res de mai­or su­ces­so da te­le­vi­são, “Os Agos­ti­nhos”, no pro­gra­ma “Sa­ba­da­ba­dú”, em 1981 foi dis­tin­gui­do in­ter­na­ci­o­nal­men­te com uma men­ção hon­ro­sa no Fes­ti­val Ro­sa de Ou­ro de Mon­treux, Suí­ça.

Ca­mi­lo de Oli­vei­ra nas­ceu a 23 de ju­lho de 1924, em Bu­ar­cos, pró­xi­mo da Fi­guei­ra da Foz, na Bei­ra Li­to­ral, cu­ri­o­sa­men­te num ca­ma­ro­te, du­ran­te uma di­gres­são da Com­pa­nhia de Te­a­tro Ren­ti­ni, on­de atu­a­vam os seus pais.

Au­sen­te dos ecrãs te­le­vi­si­vos des­de 2011, de­ci­diu aban­do­nar os pal­cos aos 90 anos.

BRU­NO COLAÇO/CM

O ator é au­tor do li­vro “As Re­gras da Mi­nha Vi­da”. Em 1964 re­ce­beu o Pré­mio Im­pren­sa pa­ra o Me­lhor Ator do Ano.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.