Cal­çar umas Kan­go­os e pôr as hor­mo­nas do bem-es­tar aos sal­tos

Po­de, ao iní­cio, pa­re­cer es­tra­nho, mas uma au­la de Kan­go­os nos pés é si­nal de sor­ri­so no fim. Mais do que pre­pa­rar o cor­po pa­ra o ve­rão, te­mos que pre­pa­rar o cor­po pa­ra ser sau­dá­vel... e fe­liz. Va­mos a is­so?

Metro Portugal (Lisbon) - - PRIMEIRA PÁGINA - CA­TA­RI­NA PO­DE­RO­SO

Co­mo di­ria Fer­nan­do Pes­soa de­pois de ter pro­va­do uma co­nhe­ci­da mar­ca de re­fri­ge­ran­tes: “Pri­mei­ro es­tra­nha-se, de­pois en­tra­nha-se.”

San­dra Ma­teus re­ce­beu-nos com uma ener­gia con­ta­gi­an­te du­ran­te uma das au­las que a Kan­goo Club KWa­ves tem no es­pa­ço da Ma­lo Cli­nic Sports, em Lis­boa. O en­tu­si­as­mo foi tan­to que, ape­sar de ir­mos com “rou­pa de tra­ba­lho”, qua­se so­mos ten­ta­dos a co­me­çar a pu­lar com a tur­ma.

Afi­nal, o que é is­to das Kan­go­os? “São bo­tas de ab­sor­ção de im­pac­to que, por cau­sa da es­tru­tu­ra, con­se­guem ab­sor­ver o im­pac­to do pe­so, tor­nan­do-as ide­ais pa­ra aju­dar pes­so­as com ex­ces­so de pe­so a fa­zer exer­cí­cio. Mes­mo pa­ra quem so­fre de ar­tri­te reu­ma­toi­de, o uso de Kan­go­os po­de ser a úni­ca ma­nei­ra de fa­zer exer­cí­cio de for­ma se­gu­ra, pois vai for­ti­fi­car a es­tru­tu­ra mus­cu­lar e o es­que­le­to”, con­ta-nos San­dra, ins­tru­to­ra in­ter­na­ci­o­nal de Kan­go­os e de Kan­goo Dan­ce há qua­tro anos.

O su­ces­so des­tas bo­tas sal­ti­tan­tes ain­da é tí­mi­do: “Quan­do che­ga­ram a Portugal, acho que o País ain­da não es­ta­va pre­pa­ra­do pa­ra as re­ce­ber, afi­nal, olhan­do pa­ra elas, pa­re­cem ser só umas bo­tas”, con­fes­sa San­dra. “Ho­je em dia é di­fe­ren­te, por exem­plo, em to­das as lo­jas de rou­pa já há uma sec­ção de des­por­to. Já há es­ta ver­ten­te de bem-es­tar e boa con­di­ção fí­si­ca. Es­tá no tem­po cer­to pa­ra se de­sen­vol­ver.”

E os be­ne­fí­ci­os são tan­tos: “Quan­do as cal­ça­mos, o nos­so cor­po es­tá a tra­ba­lhar, mas nós es­ta­mos fas­ci­na­dos com o efei­to de sal­tar. E a adre­na­li­na aca­ba por li­ber­tar en­dor­fi­nas: a pri­mei­ra re­a­ção ao ca­mi­nhar com Kan­go­os é sem­pre um sor­ri­so. As pes­so­as vão fa­zen­do sem se aper­ce­be­rem. Fi­ca­mos mais al­tos, mais di­rei­ti­nhos, a nos­sa au­to­es­ti­ma au­men­ta, trei­na­mos mais cor­re­ta­men­te, é sem­pre a su­bir.”

JOÃO FERRÃO

JOÃO FERRÃO

Mes­mo ten­do fa­la­do com a San­dra de­pois da au­la, a ener­gia não pa­ra. Fa­tor Kan­go­os?

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.