Mun­do Se­gun­do e Sam The Kid pro­me­tem fes­ta ri­ja na Ca­pa­ri­ca

Fes­ti­val. São cer­ca de 70 mil pes­so­as que a or­ga­ni­za­ção do fes­ti­val O Sol da Ca­pa­ri­ca es­pe­ra re­ce­ber na Cos­ta da Ca­pa­ri­ca en­tre 11 e 14 de agos­to. Mun­do Se­gun­do e Sam The Kid são dois dos no­mes que mar­ca­rão pre­sen­ça no even­to.

Metro Portugal (Lisbon) - - PRIMEIRA PÁGINA - BRU­NO MAR­TINS

São dois no­mes da ve­lha es­co­la do rap em Portugal. Um a Nor­te, ou­tro a Sul. Íco­nes de uma ge­ra­ção que mui­to fez pe­la mú­si­ca es­cri­ta e can­ta­da em por­tu­guês – o hip hop por­tu­guês nun­ca co­lo­cou a hi­pó­te­se de can­tar nou­tra lín­gua. E nun­ca dei­xou de ser uma can­ção de pro­tes­to.

O ei­xo “Gaia-Che­las” – Ed­mun­do Sil­va a Nor­te e Sa­mu­el Mi­ra a Sul – apro­xi­mou-se nos úl­ti­mos anos, ape­sar de já se­rem ami­gos há mui­to tem­po. “Co­nhe­ce­mo-nos em 1996 ou 1997”, re­cor­da Mun­do Se­gun­do. E qua­se du­as dé­ca­das de­pois, de­ci­dem fa­zer um dis­co a mei­as, ain­da sem da­ta de edi­ção pre­vis­ta, mas que já co­nhe­ce dois sin­gles: “Tu Não Sa­bes”, edi­ta­do no ano pas­sa­do, e o re­cen­te “Tam­bém Faz Par­te”. Ain­da as­sim, os dois têm per­cor­ri­do pal­cos de Nor­te a Sul do País, dis­co­te­cas, fes­ti­vais e quei­mas das fi­tas pa­ra pla­tei­as de di­fe­ren­tes ge­ra­ções em ver­da­dei­ras fes­tas de hip hop. “Os nos­sos con­cer­tos ba­sei­am-se mui­to no nos­so re­per­tó­rio do pas­sa­do, nos meus dis­cos, no tra­ba­lho a so­lo do Mun­do – tam­bém po­de­mos can­tar uma ou ou­tra can­ção de uma par­ti­ci­pa­ção, ele tam­bém po­de me­ter umas coi­sas dos De­a­le­ma... Mas tam­bém te­mos con­vi­da­dos. Já ti­ve­mos o Ma­ze, o De­au, o NBC. Mas, de fu­tu­ro, quan­do lan­çar­mos o nos­so dis­co, vai in­cluir mais te­mas, mas nun­ca ab­di­ca­re­mos de to­car as mú­si­cas que to­ca­mos sem­pre mais an­ti­gas”, diz ao me­tro Sam The Kid.

Quan­to ao dis­co, Mun­do Se­gun­do su­bli­nha que não há pra­zos pa­ra ser edi­ta­do e que é im­por­tan­te dar tem­po à cri­a­ção. “Que­re­mos ter umas três ou qua­tro fai­xas sol­tas an­tes de ter o dis­co na rua. Eu e o Sa­mu­el não te­mos um tem­po de­fi­ni­do. Va­mos fa­zen­do ao nos­so gos­to, sem pra­zos. Só dis­se­mos que ía­mos fa­zer o dis­co. O que pro­me­te­mos é que va­mos fa­zer aqui­lo que, pa­ra nós, é me­lhor.”

Pa­ra O Sol da Ca­pa­ri­ca, dia 12 de agos­to, Mun­do Se­gun­do e Sam The Kid pro­me­tem “vá­ri­as sur­pre­sas”, mui­tos ami­gos e con­vi­da­dos. “Va­mos ter sem­pre em con­ta que é um fes­ti­val com um fo­co gran­de na lu­so­fo­nia. As sur­pre­sas po­dem pas­sar pe­los con­vi­da­dos – se­jam eles rap­pers ou dan­ça­ri­nos”, diz Sam The Kid, le­van­tan­do um pou­co o véu.

“Va­mos ter 33 ar­tis­tas, to­dos com a par­ti­cu­la­ri­da­de de te­rem tra­ba­lhos re­cen­tes. A apos­ta na mú­si­ca por­tu­gue­sa e lu­só­fo­na é uma apos­ta ga­nha” An­tó­nio Ma­nu­el Gui­ma­rães, di­re­tor d’O Sol da Ca­pa­ri­ca

AN­DRÉ HEN­RI­QUES

Sam The Kid e Mun­do Se­gun­do co­nhe­cem-se há qua­se 20 anos. O mui­to aguar­da­do dis­co em con­jun­to es­tá em mar­cha.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.