Le­sões trau­má­ti­cas ocu­la­res são a prin­ci­pal cau­sa de ce­guei­ra em cri­an­ças

OftalPro - - NOTÍCIAS -

As le­sões trau­má­ti­cas ocu­la­res são a prin­ci­pal cau­sa de ce­guei­ra em cri­an­ças nos paí­ses de­sen­vol­vi­dos e, mui­tas das que acon­te­cem em ida­de es­co­lar, es­tão re­la­ci­o­na­das com a prá­ti­ca des­por­ti­va. Os pais, pro­fes­so­res e trei­na­do­res têm um pa­pel fun­da­men­tal na pro­te­ção dos olhos das cri­an­ças, de­ven­do in­cen­ti­var a uti­li­za­ção de ma­te­ri­ais de pro­te­ção. Por oca­sião do Dia Mun­di­al da Ati­vi­da­de Fí­si­ca, que se as­si­na­lou a 6 de abril, a So­ci­e­da­de Por­tu­gue­sa de Of­tal­mo­lo­gia (SPO) con­si­de­rou fun­da­men­tal aler­tar a po­pu­la­ção pa­ra a ne­ces­si­da­de da pre­ven­ção de le­sões ocu­la­res du­ran­te a prá­ti­ca des­por­ti­va. “A gran­de mai­o­ria das le­sões ocu­la­res re­la­ci­o­na­das com a prá­ti­ca des­por­ti­va po­de ser pre­ve­ni­da. A ame­a­ça é di­fe­ren­te con­so­an­te a ati­vi­da­de fí­si­ca/des­por­to. Em to­dos os ca­sos, é pos­sí­vel di­mi­nuir dras­ti­ca­men­te o ris­co de le­são ocu­lar atra­vés do uso de pro­te­ção ade­qua­da. Na ver­da­de, a pro­te­ção ocu­lar de­ve ser en­ca­ra­da co­mo par­te in­te­gran­te de qual­quer uni­for­me des­por­ti­vo”, de­fen­deu Ma­ria João Qua­dra­do, pre­si­den­te da SPO. Os des­por­tos com mai­or ris­co de le­são ocu­lar en­vol­vem pro­jé­teis/bo­las de al­ta ve­lo­ci­da­de (squash, paint­ball), ta­cos/ra­que­tes (hó­quei no ge­lo, hó­quei em cam­po) ou um ele­va­do grau de con­tac­to cor­po­ral in­ten­ci­o­nal (des­por­tos de com­ba­te) ou não in­ten­ci­o­nal (basquetebol, fu­te­bol, andebol, etc.). Des­por­tos co­mo na­ta­ção e ginástica es­tão as­so­ci­a­dos a um me­nor ris­co de le­são ocu­lar.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.