À

OftalPro - - REPORTAGEM -

ho­ra mar­ca­da, 20h30, já es­ta­vam pre­sen­tes qua­se to­dos os pro­fis­si­o­nais da vi­são dos cen­tros mé­di­cos Ins­ti­tu­to cuf Por­to, Hos­pi­tal cuf Por­to, Hos­pi­tal de Bra­ga e do Ser­vi­ço de Of­tal­mo­lo­gia San­ti­a­go do Cacém, pre­dis­pos­tos a co­lo­car o tra­ba­lho em se­gun­do pla­no pa­ra dar a pri­ma­zia ao con­ví­vio. “É uma reu­nião tra­di­ci­o­nal da Ibe­rof­tal. Co­me­çá­mos por fa­zer o jan­tar de na­tal des­ta ‘fa­mí­lia’, mas de­vi­do à con­tin­gên­cia da épo­ca, pas­sou pa­ra jan­tar de reis que, por sua vez, pas­sa a de­cor­rer ago­ra em cli­ma mais ‘car­na­va­les­co’. O que in­te­res­sa é o es­pí­ri­to da equi­pa to­da reu­ni­da e o sen­ti­men­to par­ti­lha­do nes­te lo­cal, co­mo se se tra­tas­se de um ni­nho”, ex­pli­cou Ma­nu­el Cas­tro Neves, o “an­fi­trião” da fes­ta ten­do em con­ta que de­cor­reu nas ime­di­a­ções da sua ca­sa. Do­mi­na o “es­pí­ri­to fra­ter­nal”, a “es­pon­ta­nei­da­de” e a mú­si­ca, pro­por­ci­o­na­da pe­la ban­da “En­saio Úni­co” dos pro­fis­si­o­nais da Ibe­rof­tal, da qual o pró­prio Cas­tro Neves faz par­te. “A es­sên­cia é man­ter o es­pí­ri­to da equi­pa fo­ra do tra­ba­lho, fo­ra das ques­tões do dia a dia e pa­ra as pes­so­as sen­ti­rem que es­tão com um con­jun­to de ami­gos. É igual­men­te um ce­ná­rio que con­vi­da os ele­men­tos mais no­vos a per­ma­ne­ce­rem, tal co­mo os mais ve­lhos”. Es­te não é o úni­co mo­men­to di­to “fes­ti­vo” da Ibe­rof­tal. “As coi­sas não são só tra­ba­lho e nú­me­ros, há uma cadência ao lon­go do ano. Pa­ra além do jan­tar de reis,

Pau­lo Ro­la e Cas­tro Neves

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.