LD:

OftalPro - - ENTREVISTA -

au­to­má­ti­co. Foi lan­ça­do há um ano e o ob­je­ti­vo é co­lo­cá-lo em clí­ni­cas: an­tes de os pa­ci­en­tes en­tra­rem no con­sul­tó­rio pa­ra se­rem ob­ser­va­dos pe­lo oftalmologista, é fei­ta to­da a aná­li­se pré­via nes­te equi­pa­men­to. Em 1,20 mi­nu­tos, o Vx120 me­de os dois olhos em si­mul­tâ­neo e a in­for­ma­çao pas­sa au­to­ma­ti­ca­men­te pa­ra o mé­di­co. Pa­ra além do di­ag­nós­ti­co, faz o acom­pa­nha­men­to da evo­lu­ção de glau­co­mas e do pós-ope­ra­tó­rio, em ca­sos de trans­plan­tes cor­ne­ais por exem­plo. É um apa­re­lho mais vo­ca­ci­o­na­do pa­ra a of­tal­mo­lo­gia, mas sur­pre­en­de-nos a gran­de pro­cu­ra que te­mos ti­do por par­te da op­to­me­tria.

E pa­ra a op­to­me­tria, que so­lu­ções des­ta­cam?

ba­se­a­do na tec­no­lo­gia wa­ve­front, me­de os rai­os UV e pro­por­ci­o­na uma lei­tu­ra mui­to rá­pi­da e pre­ci­sa. O re­ti­nó­gra­fo di­gi­tal DRS faz fo­to­gra­fi­as do fun­do do olho de uma for­ma cem por cen­to au­tó­no­ma. Cap­tu­ra ima­gens di­gi­tais de gran­de qua­li­da­de, a um cus­to mui­to re­du­zi­do.

Apre­sen­ta­ram ain­da a Bri­ot Per­cep­ti­on. Co­mo des­cre­ve es­te equi­pa­men­to?

É uma má­qui­na de cor­te de len­tes de ga­ma bai­xa. Exe­cu­ta bi­seis e ra­nhu­ras per­mi­tin­do bi­se­lar qual­quer ti­po de ma­te­ri­al, in­cluin­do po­li­car­bo­na­to. Nes­ta má­qui­na, o leitor de ar­ma­ções foi subs­ti­tuí­do por um no­vo sis­te­ma re­gis­ta­do por nós, o Gra­vi­te­ch, que “lê” a for­ma da ocu­lar em três se­gun­dos dis­pen­san­do o re­cur­so a pe­ças me­câ­ni­cas mui­to sus­ce­tí­veis de avariar. Ire­mos co­lo­car es­ta má­qui­na no mer­ca­do a pre­ços mui­to com­pe­ti­ti­vos, sen­do um equi­pa­men­to ex­tre­ma­men­te rá­pi­do e fiá­vel. Es­ta foi a ino­va­ção que lan­çá­mos ao ní­vel de ofi­ci­na. LUÍS FILIPE MO­REI­RA DA CRUZ DU­AR­TE nas­ceu a 30 de maio de 1971, no Por­to. To­da a es­co­la­ri­da­de foi efe­tu­a­da na ci­da­de na­tal. Fre­quen­tou o cur­so su­pe­ri­or de En­ge­nha­ria, mas não che­gou a fi­na­li­zar es­ta for­ma­ção. Li­cen­ci­ou-se de­pois em Ges­tão de Mar­ke­ting e con­cluiu o mes­tra­do tam­bém em Ges­tão de Mar­ke­ting, no IPAM (Ins­ti­tu­to Por­tu­guês de Ad­mi­nis­tra­ção de Mar­ke­ting). “Co­me­cei a tra­ba­lhar na área da óti­ca em 1995, na Es­si­lor. Até 2001, es­ti­ve li­ga­do à par­te téc­ni­ca e as­sis­tên­cia de equi­pa­men­tos. Saí da em­pre­sa pa­ra in­te­grar a ex­tin­ta A.Winter, on­de per­ma­ne­ci du­ran­te um ano. Vol­tei de­pois pa­ra a Es­si­lor, mas des­ta vez pa­ra a par­te co­mer­ci­al de len­tes e ins­tru­men­tos, on­de fi­quei até 2008. A Alain Afflelou Por­tu­gal foi o pro­je­to que se se­guiu, até ao ano de 2011. De­pois da ex­pe­ri­ên­cia ad­qui­ri­da nu­ma em­pre­sa não re­la­ci­o­na­da com es­te se­tor (Ide­al Drinks), vol­tei ao ra­mo da óti­ca em 2014, pa­ra fa­zer par­te da equi­pa da Bri­ot Por­tu­gal”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.