Des­co­ber­ta ori­gem das cé­lu­las es­ta­mi­nais san­guí­ne­as

OftalPro - - NOTÍCIAS -

Uma equi­pa de in­ves­ti­ga­do­res do Cen­tro de Neu­ro­ci­ên­ci­as e Bi­o­lo­gia Ce­lu­lar (CNC) da Uni­ver­si­da­de de Coim­bra (UC) des­co­briu as cé­lu­las pre­cur­so­ras que dão ori­gem às cé­lu­las es­ta­mi­nais do san­gue (CES) du­ran­te o de­sen­vol­vi­men­to em­bri­o­ná­rio e co­mo po­dem dar ori­gem a to­dos os ti­pos ce­lu­la­res san­guí­ne­os. A ob­ten­ção de CES com­pa­tí­veis com as ca­rac­te­rís­ti­cas de ca­da pes­soa é cru­ci­al na trans­plan­ta­ção ce­lu­lar em ca­sos de do­en­ça gra­ve co­mo o can­cro do san­gue. A iden­ti­fi­ca­ção de pre­cur­so­res de CES em ra­ti­nhos abre o ca­mi­nho pa­ra os des­ven­dar em hu­ma­nos no fu­tu­ro, con­tri­buin­do pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to da me­di­ci­na re­ge­ne­ra­ti­va. Fi­li­pe Pe­rei­ra, co­or­de­na­dor do es­tu­do do CNC, su­bli­nha que “as cé­lu­las pre­cur­so­ras das CES, lo­ca­li­za­das no te­ci­do em­bri­o­ná­rio e na pla­cen­ta, fo­ram iden­ti­fi­ca­das em ra­ti­nhos atra­vés de “mar­ca­do­res” nas cé­lu­las, “eti­que­tas” que nos per­mi­tem ma­pe­ar e des­cre­ver o seu com­por­ta­men­to. A des­co­ber­ta pro­cu­ra dar res­pos­ta a um de­sa­fio de lon­ga da­ta da he­ma­to­lo­gia, ra­mo ci­en­tí­fi­co que es­tu­da o san­gue”. O gru­po do CNC cri­ou igual­men­te um mé­to­do ori­gi­nal que atri­bui às cé­lu­las pre­cur­so­ras as já co­nhe­ci­das pro­pri­e­da­des das CES: au­tor­re­no­va­ção e mul­ti­po­ten­ci­a­li­da­de, o que per­mi­te dar ori­gem a to­dos os ti­pos ce­lu­la­res san­guí­ne­os. A in­ves­ti­ga­ção re­sul­ta de um tra­ba­lho de três anos e foi ago­ra pu­bli­ca­da na De­ve­lop­men­tal Cell, uma das re­vis­tas ci­en­tí­fi­cas in­ter­na­ci­o­nais com mais im­pac­to na área da bi­o­lo­gia do de­sen­vol­vi­men­to. Es­ta des­co­ber­ta sur­ge na sequên­cia de um an­te­ri­or es­tu­do re­a­li­za­do pe­la equi­pa, em 2013, na “con­ver­são” de cé­lu­las da pe­le em CES, atra­vés de re­pro­gra­ma­ção ce­lu­lar. As “eti­que­tas” das cé­lu­las fo­ram ori­gi­nal­men­te iden­ti­fi­ca­das du­ran­te aque­le pro­ces­so de re­pro­gra­ma­ção, as quais per­mi­ti­ram iden­ti­fi­car pre­cur­so­res em em­briões e pla­cen­tas. Pos­te­ri­or­men­te foi de­sen­vol­vi­do um mé­to­do pa­ra pro­vo­car a ma­tu­ra­ção des­tes pre­cur­so­res que ori­gi­na as CES. “Além de pro­vi­den­ci­ar uma no­va fonte po­ten­ci­al de CES, os re­sul­ta­dos ob­ti­dos po­dem le­var ao de­sen­vol­vi­men­to de mé­to­dos mais efi­ca­zes pa­ra au­men­tar as CES do cor­dão um­bi­li­cal e da me­du­la ós­sea, de mo­do a que as trans­plan­ta­ções te­nham mais su­ces­so. Adi­ci­o­nal­men­te, o nos­so es­tu­do for­ne­ce in­for­ma­ção pre­ci­o­sa pa­ra me­lho­rar a “cri­a­ção” de CES a par­tir de fon­tes al­ter­na­ti­vas co­mo as cé­lu­las da pe­le ou cé­lu­las es­ta­mi­nais em­bri­o­ná­ri­as”, es­cla­re­ce o in­ves­ti­ga­dor. A in­ves­ti­ga­ção foi re­a­li­za­da em co­la­bo­ra­ção com o Ichan Scho­ol of Me­di­ci­ne at Mount Si­nai, em No­va Ior­que, nos Es­ta­dos Uni­dos, e o We­athe­rall Ins­ti­tu­te of Me­di­ci­ne da Uni­ver­si­da­de de Ox­ford, no Rei­no Uni­do, e be­ne­fi­ci­ou de apoi­os dos nor­te-ame­ri­ca­nos Na­ti­o­nal Ins­ti­tu­tes of He­alth e Rev­son Foun­da­ti­on em No­va Ior­que.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.