1ª Reu­nião Ci­en­tí­fi­ca GER

OftalPro - - PRIMEIRA PÁGINA -

A 1ª Reu­nião Ci­en­tí­fi­ca do GER in­se­re-se no âm­bi­to da mis­são do Gru­po de Es­tu­dos da Re­ti­na: a pro­mo­ção e di­vul­ga­ção na área da re­ti­na e ví­treo, con­tri­buin­do pa­ra a me­lho­ria dos cui­da­dos de saú­de pres­ta­dos aos por­tu­gue­ses. “Foi um ver­da­dei­ro su­ces­so”, nas pa­la­vras de Ru­fi­no Sil­va, o pre­si­den­te do Gru­po. E a se­gun­da edi­ção já tem da­ta mar­ca­da: 25 de mar­ço de 2017.

Of­talP­ro: Que ba­lan­ço faz da 1ª Reu­nião Ci­en­tí­fi­ca GER, em ter­mos de as­sis­tên­cia e fe­ed­back ob­ti­do dos seus pa­res?

Ru­fi­no Sil­va: A pri­mei­ra Reu­nião Ci­en­tí­fi­ca do GER de­cor­reu no Pa­vi­lhão do Co­nhe­ci­men­to em Lis­boa, no dia 13 de fe­ve­rei­ro de 2016. Con­tou com a par­ti­ci­pa­ção de vá­ri­os con­vi­da­dos es­tran­gei­ros e na­ci­o­nais e com uma as­sis­tên­cia nu­me­ro­sa (203 ins­cri­tos). O fe­ed­back re­ce­bi­do foi mui­to po­si­ti­vo, re­al­çan­do es­sen­ci­al­men­te a qua­li­da­de das co­mu­ni­ca­ções e dos pa­les­tran­tes, o pro­gra­ma mui­to di­ver­si­fi­ca­do, a es­tru­tu­ra da reu­nião vi­va e mui­to di­nâ­mi­ca e o cum­pri­men­to ri­go­ro­so dos ho­rá­ri­os.

OF: Quais são os te­mas e os pa­les­tran­tes que des­ta­ca?

RS: A reu­nião in­cluiu um cur­so (Vas­cu­lo­pa­tia Po­li­pói­de – Di­ag­nós­ti­co e Tra­ta­men­to), dois de­ba­tes (um so­bre Re­ti­na Mé­di­ca e ou­tro so­bre Re­ti­na Ci­rúr­gi­ca), qua­tro con­fe­rên­ci­as, dois sim­pó­si­os e um Quiz. A par­ti­ci­pa­ção dos mem­bros do GER foi mui­to va­li­o­sa e te­ve co­mo prin­ci­pal ob­je­ti­vo par­ti­lhar e dis­cu­tir a ex­pe­ri­ên­cia clí­ni­ca de ca­da um na sua área es­pe­cí­fi­ca. Pa­ra a as­sis­tên­cia, que pre­en­cheu a sa­la du­ran­te to­da a reu­nião, foi mui­to útil o mo­de­lo ado­ta­do nos dois de­ba­tes: oi­to per­gun­tas, 16 re­pos­tas, du­as pers­pe­ti­vas di­fe­ren­tes. Con­tá­mos ain­da com a par­ti­ci­pa­ção de con­vi­da­dos in­ter­na­ci­o­nais e na­ci­o­nais (Prof. Ruiz Mo­re­no, Dra. Pa­tri­cia Uda­on­do, Dr. Pe­ar­se Ke­an, Prof. Cu­nha-Vaz) pa­ra as con­fe­rên­ci­as que abor­da­ram te­mas co­mo o OCTA, o tra­ta­men­to ci­rúr­gi­co da ma­cu­lo­pa­tia mió­pi­ca ou os an­ti-VEGF e os Cor­ti­cói­des na prá­ti­ca clí­ni­ca. A co­or­de­na­ção das ses­sões con­tou com a par­ti­ci­pa­ção de fi­gu­ras na­ci­o­nais de gran­de pres­tí­gio. Ter­mi­ná­mos com um Quiz, lú­di­co-ci­en­tí­fi­co, com per­gun­tas sé­ri­as e ou­tras mais di­ver­ti­das e em que a ins­cri­ção re­ver­teu a fa­vor da Mis­são Vi­sao Gui­né, à qual o GER se as­so­cia. Es­te pro­je­to tem co­mo ob­je­ti­vo lu­tar con­tra a ce­guei­ra na Gui­né Bis­sau e efe­tu­ou es­te ano a sua sex­ta mis­são.

OF: Mas, o que é o Gru­po de Es­tu­dos de Re­ti­na?

RS: O GER - Gru­po de Es­tu­dos da Re­ti­na nas­ce es­pon­ta­ne­a­men­te en­tre os mé­di­cos of­tal­mo­lo­gis­tas de­di­ca­dos à re­ti­na. A ami­za­de e o pra­zer em apren­der e par­ti­lhar co­nhe­ci­men­tos e ex­pe­ri­ên­ci­as es­tão na sua ori­gem. É es­ta a gran­de ri­que­za, é es­ta a for­ça do GER. Ao lon­go dos úl­ti­mos 10 anos, um gru­po, pro­gres­si­va­men­te mai­or de of­tal­mo­lo­gis­tas de­di­ca­dos à re­ti­na, foi-se reu­nin­do, três ou qua­tro ve­zes por ano. Com uma no­va vi­são da co­mu­ni­da­de of­tal­mo­ló­gi­ca, ba­se­a­da na ami­za­de, na in­for­ma­li­da­de e no pra­zer de con­vi­ver e tro­car co­nhe­ci­men­tos e ex­pe­ri­ên­ci­as, foi pos­sí­vel que­brar bar­rei­ras, apro­xi­mar os di­ver­sos ser­vi­ços de of­tal­mo­lo­gia e ini­ci­ar a re­a­li­za­ção de uma ati­vi­da­de ci­en­tí­fi­ca mui­to pro­du­ti­va. São exem­plo as di­fe­ren­tes ‘gui­de­li­nes’ ela­bo­ra­das (da DMI, da RD, das oclu­sões ve­no­sas), os vá­ri­os li­vros “25 per­gun­tas, 25 res­pos­tas” (so­bre a DMI, so­bre a RD, so­bre as mem­bra­nas epi­re­ti­ni­a­nas ou so­bre a in­ter­fa­ce ví­treo-re­ti­na) e os ma­nu­ais AMD BO­OK e Ma­nu­al de Re­ti­na. Ao mes­mo tem­po, os mem­bros do GER pro­cu­ra­ram me­lho­rar a sua for­ma­ção em áre­as co­mo ela­bo­ra­ção de ar­ti­gos ci­en­tí­fi­cos, pes­qui­sa bi­bli­o­grá­fi­ca, cus­tos em saú­de, te­le­me­di­ci­na em of­tal­mo­lo­gia, aná­li­se es­ta­tís­ti­ca. To­dos os mem­bros do GER são mem­bros ati­vos e co­la­bo­ran­tes da So­ci­e­da­de Por­tu­gue­sa de Of­tal­mo­lo­gia (SPO) e do Gru­po Por­tu­guês de Re­ti­na e Ví­treo (GPRV). O tra­ba­lho con­jun­to com a SPO e o GPRV po­ten­cia re­sul­ta­dos que em úl­ti­ma aná­li­se con­tri­bui­rão pa­ra o úl­ti­mo ob­je­ti­vo co­mum: poder tra­tar me­lhor os do­en­tes da re­ti­na.

OF: Que pro­je­tos têm men­te?

RS: O GER pre­ten­de con­ti­nu­ar a sua ação fo­ca­do em con­tri­buir, em co­la­bo­ra­ção com a SPO e o GPRV, pa­ra que os do­en­tes de re­ti­na re­ce­bam, ca­da vez mais, me­lho­res cui­da­dos de saú­de. Al­gu­mas das ati­vi­da­des pre­vis­tas a cur­to pra­zo in­clu­em, en­te ou­tras, a atu­a­li­za­ção do AMD­bo­ok, um ma­nu­al que es­ta dis­po­ní­vel na in­ter­net (http://amd­bo­ok. org/) e que con­tou na sua ela­bo­ra­ção com os ele­men­tos do GER e com a co­la­bo­ra­ção de nu­me­ro­sos co­le­gas es­tran­gei­ros; a ela­bo­ra­ção (e a atu­a­li­za­ção) de ‘gui­de­li­nes’ ori­en­ta­do­ras da ati­vi­da­de clí­ni­ca na área da re­ti­na; no­vas pu­bli­ca­ções no âm­bi­to da­que­las a que o GER nos tem ha­bi­tu­a­do: 25 per­gun­tas 25 res­pos­tas; a im­ple­men­ta­ção de uma ba­se de da­dos, fer­ra­men­ta es­sen­ci­al à prá­ti­ca clí­ni­ca es­tru­tu­ra­da e à in­ves­ti­ga­ção. O GER reú­ne no seu seio of­tal­mo­lo­gis­tas por­tu­gue­ses com gran­de ca­pa­ci­da­de ci­en­tí­fi­ca e co­nhe­ci­men­to na área da re­ti­na. Ca­da um dos seus mem­bros co­la­bo­ra, de for­ma al­truís­ta, no tra­ba­lho do gru­po em di­fe­ren­tes ati­vi­da­des, só as­sim tor­nan­do pos­sí­vel a re­a­li­za­ção dos ob­je­ti­vos do GER. É do tra­ba­lho de ca­da um dos seus mem­bros que re­sul­ta a pro­je­ção na­ci­o­nal e in­ter­na­ci­o­nal do GER.

Pa­vi­lhão do Co­nhe­ci­men­to, Lis­boa

Ru­fi­no Sil­va

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.