Re­por­ta­gem: Sau­flon Ibe­ria

Opticapro - - Sumário -

Du­ran­te o mês de maio, a Sau­flon apre­sen­tou-se aos óp­ti­cos por­tu­gue­ses. As vá­ri­as ci­da­des que re­ce­be­ram es­te even­to fo­ram Por­to, Coimbra, Lis­boa, Évo­ra e Vi­la­mou­ra, em es­pa­ços dis­tin­tos e com qua­li­da­de ex­ce­ci­o­nal. A pri­mei­ra lo­ca­li­da­de a aco­lher a mar­ca bri­tâ­ni­ca foi o Por­to, no dia 6. O Es­pa­ço Por­toC­ruz reu­niu cer­ca de 40 pro­fis­si­o­nais que fi­ca­ram a co­nhe­cer me­lhor a his­tó­ria des­ta em­pre­sa e des­co­bri­ram, em pri­mei­ra mão, as van­ta­gens de um dos seus pro­du­tos mais ino­va­do­res: a len­te Cla­ri­ti 1 Day Mul­ti­fo­cal. Car­los Ma­tos, o di­re­tor ge­ral da Sau­flon Ibe­ria, e Ti­a­go Fer­rei­ra, o di­re­tor dos ser­vi­ços pro­fis­si­o­nais da em­pre­sa pa­ra Por­tu­gal e Es­pa­nha, fi­ze­ram as hon­ras da ca­sa e re­ce­be­ram os vá­ri­os óp­ti­cos do nor­te do país. Por volta das 21h00, de­pois de uma agra­dá­vel ‘soft drink' de re­ce­ção, deu-se iní­cio à ses­são de apre­sen­ta­ção da mar­ca. A pri­mei­ra in­ter­ven­ção foi de Car­los Ma­tos, que se en­car­re­gou de des­cre­ver a his­tó­ria da Sau­flon e de fa­lar da evo­lu­ção e das ten­dên­ci­as do mer­ca­do das len­tes de con­tac­to. “A Sau­flon tem 29 anos de exis­tên­cia, ori­en­ta­dos ex­clu­si­va­men­te pa­ra os óp­ti­cos. Te­mos

uma cul­tu­ra ba­se­a­da em par­ce­ria, su­por­te, con­fi­an­ça, qua­li­da­de, for­ma­ção e ino­va­ção”. O res­pon­sá­vel con­ti­nu­ou e re­ve­lou que “o nos­so com­pro­mis­so é ser um par­cei­ro e aju­dar a cres­cer o se­tor da Óp­ti­ca, man­ten­do a nos­sa vi­são ‘only for op­ti­ci­ans'”. De fac­to, é al­go que dis­tin­gue a Sau­flon das res­tan­tes ope­ra­do­ras do mer­ca­do, co­mo nos re­fe­riu Car­los Ma­tos no fi­nal da apre­sen­ta­ção. “Exis­te um pon­to fun­da­men­tal que nos de­fi­ne: a es­tra­té­gia co­mer­ci­al as­sen­te no no­me “Sau­flon only for op­ti­ci­ans”. A Sau­flon não ven­de os seus pro­du­tos a dis­tri­bui­do­res de­di­ca­dos à in­ter­net. Que­re­mos pro­te­ger o ne­gó­cio dos óp­ti­cos ao má­xi­mo, de for­ma a que se­ja sem­pre va­lo­ri­za­do e al­go sus­ten­tá­vel. Daí, a apos­ta na ven­da tra­di­ci­o­nal e no de­sen­vol­vi­men­to de pro­du­tos ino­va­do­res, que per­mi­tam ter os me­lho­res re­sul­ta­dos e ga­ran­tam a má­xi­ma qua­li­da­de jun­to dos con­su­mi­do­res, pa­ra que es­tes vol­tem à lo­ja e fi­de­li­zem a re­la­ção”.

Os pro­du­tos

Na se­gun­da par­te da ses­são, Ti­a­go Fer­rei­ra to­mou a pa­la­vra pa­ra fa­lar so­bre os pro­du­tos da em­pre­sa, afir­man­do que a Sau­flon é o pri­mei­ro e úni­co fa­bri­can­te mun­di­al a de­sen­vol­ver uma fa­mí­lia com­ple­ta de len­tes diá­ri­as de si­li­co­ne hi­dro­gel. “Tra­ta­se do me­lhor ma­te­ri­al em len­tes, o mais ino­va­dor e sau­dá­vel, aque­le que per­mi­te ofe­re­cer a me­lhor saú­de ocu­lar aos pa­ci­en­tes. A ideia é mes­mo sa­tis­fa­zer as ne­ces­si­da­des vi­su­ais dos pa­ci­en­tes que ne­ces­si­tam de cor­re­ções es­fé­ri­cas, tó­ri­cas ou mul­ti­fo­cais com a mes­ma qua­li­da­de e saú­de ocu­lar”. Com o sur­gi­men­to de uma no­va ge­ra­ção de pres­bi­tas, o res­pon­sá­vel des­ta­cou no even­to a Cla­ri­ti 1 Day Mul­ti­fo­cal. “Es­ta len­te mul­ti­fo­cal apre­sen­ta ní­veis de adap­ta­ção nun­ca an­tes ex­pe­ri­men­ta­dos, pro­por­ci­o­nan­do ex­ce­len­te vi­são a to­das as dis­tân­ci­as e sa­tis­fa­ção oti­mi­za­da aos pa­ci­en­tes. Aliás, a acei­ta­ção des­tas len­tes tem si­do ex­tra­or­di­ná­ria. “Al­gu­mas das ca­rac­te­rís­ti­cas diferenciadoras des­ta len­te são a sua pro­te­ção UV, a ele­va­da per­cen­ta­gem de água, o bai­xo mó­du­lo de elas­ti­ci­da­de, um de­se­nho de cen­tro per­to com per­ce­ção si­mul­tâ­nea e um pro­ce­di­men­to de fa­bri­co (Ad­van­ce Ed­ge Te­cho­no­logy) que per­mi­te um con­for­to ele­va­do ao uti­li­za­dor. To­das es­tas van­ta­gens en­con­tram-se nu­ma len­te diá­ria de si­li­co­ne hi­dro­gel, a úni­ca do mer­ca­do, tor­nan­do-se as­sim em mais um pro­du­to di­fe­ren­ci­a­dor que a Sau­flon apre­sen­ta. Es­ta­mos cá pa­ra for­ne­cer aqui­lo que os cli­en­tes que­rem e en­ten­dem ser o me­lhor pa­ra fa­zer fa­ce às su­as ne­ces­si­da­des”, começou por di­zer à equi­pa da Óp­ti­caP­ro. “O mer­ca­do es­tá a mu­dar e nós, en­quan­to fa­bri­can­tes, te­mos que an­te­ci­par es­sas mu­dan­ças e apre­sen­tar as me­lho­res so­lu­ções, de for­ma a pro­por­ci­o­nar­mos a me­lhor saú­de vi­su­al pos­sí­vel. Além dis­so, os con­su­mi­do­res têm di­fe­ren­tes ne­ces­si­da­des e ob­je­ti­vos com o

uso de len­tes de con­tac­to e, nes­te âm­bi­to, os pro­fis­si­o­nais de­vem ter os pro­du­tos pa­ra res­pon­der a es­sas ne­ces­si­da­des. Ou se­ja, que­re­mos che­gar ao con­su­mi­dor fi­nal, mas sem­pre atra­vés do nos­so ca­nal de ven­da ex­clu­si­vo: os óp­ti­cos”. Car­los Ma­tos cor­ro­bo­rou e dis­se-nos que não tem dú­vi­das do su­ces­so da Sau­flon em ter­ri­tó­rio ibé­ri­co.”Te­mos a am­bi­ção de ser um dos gran­des ‘players' do mer­ca­do, mas pa­ra tal te­mos que o pro­var di­a­ri­a­men­te, com de­di­ca­ção e hu­mil­da­de. Exis­tem atu­al­men­te qua­tro gran­des ope­ra­do­ras, que já es­tão ins­ta­la­das, e a en­tra­da de uma quin­ta em­pre­sa vai me­xer com o ‘sta­tus'. Te­mos, por is­so, que de­sen­vol­ver a nos­sa es­tra­té­gia e ga­ran­tir a sua im­ple­men­ta­ção ali­nha­da com os ob­je­ti­vos dos nos­sos cli­en­tes. A Óp­ti­ca ne­ces­si­ta de ser va­lo­ri­za­da, es­ta­mos pe­ran­te um se­tor que pres­ta cuidados de saú­de vi­su­al à po­pu­la­ção e, as­sim, é aos óp­ti­cos-op­to­me­tris­tas que te­mos que cri­ar to­das as con­di­ções pa­ra que te­nham o me­re­ci­do re­co­nhe­ci­men­to jun­to dos con­su­mi­do­res. Só des­ta for­ma é pos­sí­vel pres­tar um ser­vi­ço de ex­ce­lên­cia, per­so­na­li­za­do e di­fe­ren­ci­a­dor, cri­an­do con­di­ções pa­ra ter os cli­en­tes fi­de­li­za­dos”.

Sau­flon che­gou es­te ano a Por­tu­gal e Es­pa­nha

A Sau­flon co­me­mo­ra atu­al­men­te o seu 29º ani­ver­sá­rio, ten­do sur­gi­do no Rei­no Uni­do co­mo fa­bri­can­te de lí­qui­dos de ma­nu­ten­ção e am­pli­an­do, em 2002, a sua ga­ma de pro­du­tos com o fa­bri­co de len­tes de con­tac­to, com a aber­tu­ra de du­as fá­bri­cas, no Rei­no Uni­do e Hun­gria. A mar­ca es­tá ho­je dis­po­ní­vel pa­ra óp­ti­cos, op­to­me­tris­tas, of­tal­mo­lo­gis­tas e ou­tros pro­fis­si­o­nais de saú­de ocu­lar em mais de 60 paí­ses no mun­do, co­brin­do cin­co con­ti­nen­tes. A Sau­flon es­tá pre­sen­te no mer­ca­do ibé­ri­co des­de o prin­cí­pio do ano, es­tan­do nes­ta fa­se a cons­truir a sua es­tru­tu­ra co­mer­ci­al ibé­ri­ca. A em­pre­sa tem uma gran­de par­ti­cu­la­ri­da­de que se tor­na uma van­ta­gem com­pe­ti­ti­va “So­mos uma em­pre­sa 100 por cen­to de ca­pi­tais in­gle­ses, com uma vi­são de ne­gó­cio a lon­go pra­zo, o que nos per­mi­te de­fi­nir es­tra­té­gi­as de cres­ci­men­to con­so­li­da­do em con­jun­to com os nos­sos par­cei­ros óp­ti­cos”. Car­los Ma­tos con­cluiu di­zen­do que a sua “pre­sen­ça na Sau­flon de­ve-se à fi­lo­so­fia que es­tá na ba­se da cri­a­ção da em­pre­sa e que é as­se­gu­ra­da pe­lo seu fun­da­dor Alan Wells, que viu co­mo uma opor­tu­ni­da­de úni­ca na in­dús­tria a pro­te­ção dos pro­fis­si­o­nais pe­lo es­for­ço re­a­li­za­do na pres­cri­ção de len­tes de con­tac­to.

Sau­flon Ibe­ria

Ti­a­go Fer­rei­ra

Car­los Ma­tos

Óp­ti­cos pre­sen­tes no even­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.