“A ÓTI­CA ES­TÁ SEM­PRE EM TRANS­FOR­MA­ÇÃO” NU­NO CAR­VA­LHO, OPTICENTER, ES­PI­NHO E BAR­CE­LOS

Opticapro - - Primeira Página -

Des­lo­cá­mo-nos a Bar­ce­los - no dia 14 de mar­ço - pa­ra as­sis­tir à inau­gu­ra­ção da 14ª lo­ja Opticenter. Nu­no Car­va­lho é o ros­to por trás des­te no­vo es­pa­ço, pro­fis­si­o­nal que co­me­çou es­ta aven­tu­ra no ano pas­sa­do, em Es­pi­nho. “Nes­te mo­men­to, sou o úni­co fran­chi­sa­do com du­as lo­jas. Iden­ti­fi­co-me em ple­no com a fi­lo­so­fia do gru­po e de­ci­di, por is­so, abra­çar es­te no­vo de­sa­fio”. Rui Silva, di­re­tor ge­ral do gru­po, en­trou tam­bém na con­ver­sa e ex­pli­cou-nos as van­ta­gens que os óti­cos têm ao per­ten­cer à Opticenter.

Óp­ti­caP­ro: Abriu a pri­mei­ra lo­ja há ape­nas se­te me­ses, em Es­pi­nho...

Nu­no Car­va­lho: Sim, foi a 12 de ju­lho. A óti­ca de Bar­ce­los é já a se­gun­da e es­pe­ro que o ne­gó­cio con­ti­nue a cor­rer de “ven­to em po­pa”. A Opticenter mos­trou uma aber­tu­ra mui­to gran­de em re­la­ção a es­ta se­gun­da lo­ja, o que aju­dou na mi­nha de­ci­são. Nes­te mo­men­to, sou o úni­co fran­chi­sa­do com du­as lo­jas. Iden­ti­fi­co­me em ple­no com a fi­lo­so­fia do gru­po e, por is­so, de­ci­di abra­çar es­te no­vo de­sa­fio.

OP: E que fi­lo­so­fia é es­sa de que fa­la? NC: A óti­ca es­tá sem­pre em trans­for­ma­ção.

Ou se­ja, o con­cei­to de con­su­mo foi-se mu­dan­do nos úl­ti­mos anos e a Opticenter adap­tou-se à no­va re­a­li­da­de do mer­ca­do. Ten­ta­mos ir ao en­con­tro das ne­ces­si­da­des da po­pu­la­ção: um ser­vi­ço ‘pre­mium’ a pre­ços ‘low-cost’. É is­so que de­fen­de­mos!

OP: A inau­gu­ra­ção da lo­ja de Bar­ce­los foi mui­to con­cor­ri­da. Co­mo ex­pli­ca es­ta ade­são?

NC: Em pri­mei­ro lu­gar, con­tá­mos com a pre­sen­ça do ator Fer­nan­do Men­des, que é o em­bai­xa­dor do gru­po Opticenter. E, o fac­to de ser uma fi­gu­ra pú­bli­ca mui­to re­co­nhe­ci­da, ca­ti­va lo­go a aten­ção das pes­so­as. As aber­tu­ras das lo­jas Opticenter têm si­do um ver­da­dei­ro fe­nó­me­no de ade­são pú­bli­ca. A par de to­da a es­tra­té­gia de mar­ke­ting que pre­pa­ra­mos, a pre­sen­ça do nos­so em­bai­xa­dor é, sem dú­vi­da, uma mais-va­lia pa­ra es­se fe­nó­me­no.

OP: A Opticenter vai abrir mais uma lo­ja, ain­da du­ran­te o dia de ho­je, não é ver­da­de Rui?

Rui Silva: Sim, é a nú­me­ro 15 do gru­po Opticenter e es­tá se­di­a­da em Bra­ga. E, até ao fi­nal do ve­rão, pre­ve­mos inau­gu­rar mais cin­co lo­jas, de norte a sul de Por­tu­gal. Es­ta­mos a expandir-nos pa­ra to­do o país. Te­mos um pla­no de ex­pan­são de­fi­ni­do, no qual con­ta­mos com a co­la­bo­ra­ção de vá­ri­os óti­cos de re­no­me no mer­ca­do além do Nu­no Car­va­lho, que es­tá a pre­pa­rar já a sua ter­cei­ra lo­ja.

OP: Quais são as mais-va­li­as do gru­po Opticenter?

RS: A Opticenter dis­po­ni­bi­li­za uma ofer­ta mui­to va­ri­a­da ao mer­ca­do e ca­rac­te­ri­za­se por uma po­lí­ti­ca co­mer­ci­al trans­pa­ren­te, com um pre­ço “fe­cha­do”. Ou se­ja, o pre­ço que co­mu­ni­ca­mos ao cli­en­te é o pre­ço re­al. Além dis­so, as­so­ci­a­da à nos­sa po­lí­ti­ca de “pre­ço cer­to”, pri­vi­le­gi­a­mos as mar­cas pró­pri­as e de fa­bri­co na­ci­o­nal. So­mos o úni­co gru­po em Por­tu­gal que pos­sui uma fá­bri­ca de ar­ma­ções (Fá­bri­ca de Ócu­los OCPORT - em Leça do Ba­lio), equi­pa­da com a mais mo­der­na tec­no­lo­gia de pro­du­ção de ar­ma­ções em ace­ta­to. A nos­sa po­lí­ti­ca de pre­ços aces­sí­veis, pri­man­do pe­la qua­li­da­de e pe­lo bom ser­vi­ço, é o nos­so mo­tor de de­sen­vol­vi­men­to. A re­ce­ti­vi­da­de dos cli­en­tes tem si­do fan­tás­ti­ca!

OP: Desde que co­me­çou o pro­ces­so de ex­pan­são, há cer­ca de três anos, co­mo po­de­mos des­cre­ver o gru­po Opticenter?

RS: A pri­mei­ra lo­ja do gru­po nas­ceu em 2003, co­me­çan­do co­mo uma em­pre­sa fa­mi­li­ar de três pes­so­as. Em 2009, já ti­nha três lo­jas e no­ve co­la­bo­ra­do­res. Atu­al­men­te, a Opticenter con­ta com 15 lo­jas, das quais oi­to são fran­chi­sa­das, e mais de 60 co­la­bo­ra­do­res di­re­tos e in­di­re­tos. Em 2009, ti­ve­mos uma fa­tu­ra­ção de 100 mil eu­ros. Em 2015, a pre­vi­são de fa­tu­ra­ção é de 10 mi­lhões de eu­ros. En­tre 2014 e 2015, du­pli­cá­mos o nú­me­ro de lo­jas, ven­den­do mais de cin­co mil ócu­los por mês.

Rui Silva nas­ceu a 13 de agos­to de 1975, em Ma­to­si­nhos. Em 1994, in­gres­sou o en­si­no su­pe­ri­or, op­tan­do pe­la li­cen­ci­a­tu­ra em Ci­ên­ci­as da Comunicação. Após a con­clu­são do cur­so, ini­ci­ou fun­ções no jor­nal O Pri­mei­ro de Ja­nei­ro. Che­gou à Bri­ot em 2002, co­mo co­mer­ci­al na zo­na norte, e tri­lhou um per­cur­so de re­le­vo que cul­mi­nou na sua no­me­a­ção co­mo di­re­tor ge­ral da em­pre­sa, fun­ção que exer­ceu até 2014. Nes­se mes­mo ano, de­ci­diu abra­çar o pro­je­to de fa­mí­lia Opticenter, sen­do o res­pon­sá­vel pe­la ex­pan­são da mar­ca. Nu­no Car­va­lho nas­ceu a 31 de agos­to de 1975, em Vi­la No­va de Gaia. Co­me­çou a tra­ba­lhar na óti­ca quan­do ti­nha ape­nas 14 anos, co­mo apren­diz de óti­ca, no Ocu­lis­ta Gui­li­bal­do. “De­pois, pas­sei pe­la ex­tin­ta A.Winter, em­pre­sa li­ga­da à área das len­tes, on­de de­sem­pe­nhei vá­ri­as fun­ções, desde ‘call cen­ter’, de­le­ga­do co­mer­ci­al, de­le­ga­do de in­for­ma­ção mé­di­ca, etc.. Ti­ve ain­da uma bre­ve pas­sa­gem pe­la Ati­tóp­ti­ca e, mais tar­de, tra­ba­lhei na Sha­mir, na al­tu­ra com ou­tra no­men­cla­tu­ra”. Em 2005, Vas­co Car­va­lho in­te­grou a Sà­fi­lo, ten­do fi­ca­do res­pon­sá­vel por de­sen­vol­ver a mar­ca Carrera. “De­pois des­ta ex­pe­ri­ên­cia, vol­tei à óti­ca, des­ta vez pa­ra o fran­chi­sing Opticenter. Sin­to que fe­chei um ci­clo e que ini­ci­ei ou­tro”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.