ÓCU­LOS BUSHWICK,

Opticapro - - Primeira Página -

Bushwick é uma mar­ca re­cen­te e to­tal­men­te de­li­ne­a­da por Mi­guel Mei­ra e Ti­a­go Car­va­lho Araú­jo. São dois jo­vens bra­ca­ren­ses que acre­di­tam no ‘hand­ma­de in Por­tu­gal’ e no con­cei­to da sim­pli­ci­da­de co­mo uma for­ma de es­tar na mo­da e, cla­ro, na vi­da. Cri­a­ram as­sim uma co­le­ção de ócu­los de sol que apos­ta nu­ma es­té­ti­ca sim­plis­ta e, ao mes­mo tem­po, ar­ro­ja­da.

Óp­ti­caP­ro: Co­mo nas­ceu a Bushwick?

Mi­guel e Ti­a­go : A Bushwick nas­ceu do gos­to pe­la mo­da, pe­lo ‘de­sign’, pe­la ar­te, pe­la ino­va­ção. Do de­se­jo de cri­a­ção de um con­cei­to ge­nuí­no, de ofe­re­cer um pro­du­to ven­dá­vel, di­fe­ren­ci­a­do, on­de a co­e­rên­cia e ri­gor da ima­gem as­su­mis­sem con­tor­nos de gran­de re­le­vân­cia. E o no­me Bushwick ad­vém de um bair­ro si­tu­a­do em Bro­o­klin, No­va Ior­que, que res­pi­ra cul­tu­ra. Foi re­cen­te­men­te ata­ca­do por um cul­to de no­vas ten­dên­ci­as, to­nan­do-se num cen­tro de ar­te ur­ba­na, ar­ro­ja­do, on­de no­vas idei­as nas­cem to­dos os di­as. Apre­ci­a­mos a evo­lu­ção, iden­ti­fi­ca­mo-nos com es­ta ver­ten­te e, por is­so, as­su­mi­mos a de­sig­na­ção. A par­tir do no­me, e prin­ci­pal­men­te da vi­vên­cia atu­al de Bushwick ( bair­ro), criá­mos um pe­que­no slo­gan, mui­to uti­li­za­do no nos­so ‘ bran­ding’, que re­pre­sen­ta um mo­do de es­tar: “It’s Very Bushwick”.

OP: E porquê a fi­lo­so­fia “Fe­el mi­ni­mal, but sophis­ti­ca­ted”?

Me T: Uma das mais mar­can­tes per­so­na­li­da­des afir­mou que “a sim­pli­ci­da­de é o úl­ti­mo grau de so­fis­ti­ca­ção”. Re­fe­ri­mo-nos a Le­o­nar­do Da Vin­ci e con­cor­da­mos ple­na­men­te com es­te ma­ni­fes­to. A Bushwick de­fi­ne-se atra­vés de uma es­té­ti­ca sim­plis­ta, mas ri­go­ro­sa de prin­cí­pi­os for­mais es­cru­pu­lo­sa­men­te pon­de­ra­dos. Não ne­ces­si­ta­mos de gran­des ador­nos pa­ra nos po­der­mos afir­mar, pre­ten­de­mos ser no­ta­dos sem ser­mos os­ten­si­vos. A di­fe­ren­ça

OP: Co­mo se de­sen­vol­ve a cri­a­ção e a pro­du­ção dos ócu­los?

Me T: To­da a ima­gem da mar­ca foi con­ce­bi­da por nós. Pa­ra a pro­du­ção, so­cor­re­mo-nos de agen­tes ex­ter­nos. Fe­liz­men­te, te­mos gen­te mui­to ca­paz em Por­tu­gal e, com a nos­sa su­per­vi­são e aper­ta­do con­tro­lo de pro­du­to, co­lo­ca­mos no mer­ca­do um ob­je­to, si­mul­ta­ne­a­men­te uti­li­tá­rio e de Ti­a­go Filipe Fra­ga Car­va­lho Araú­jo é na­tu­ral de Bra­ga, ten­do nas­ci­do a 12 de se­tem­bro de 1988. Pos­sui uma li­cen­ci­a­tu­ra em Eco­no­mia, pe­la Fa­cul­da­de de Eco­no­mia da Uni­ver­si­da­de de Coim­bra (FEUC), e for­ma­ções em Mar­ke­ting & Vendas, Neu­roMar­ke­ting e Mar­ke­ting Social Me­dia (FEUC). Con­ta ain­da com um Mi­niMBA (Ca­tó­li­ca Bu­si­ness Scho­ol) e com um cur­so de Mar­ke­ting Di­gi­tal (TecMi­nho). A par da par­ce­ria com Mi­guel Mei­ra, na Bushwick, é só­cio da “CA, So­luc­ções de Mo­bi­liá­rio, SA”, em­pre­sa se­di­a­da no Bra­sil, e só­cio-ge­ren­te da ador­no, de se­lo por­tu­guês, o que mui­to nos or­gu­lha. Te­mos ofe­re­ci­do gran­de des­ta­que a es­se fac­to no nos­so ‘ bran­ding’ e comunicação. O pro­ces­so de cri­a­ção des­ta pri­mei­ra co­le­ção foi de cer­ta for­ma re­pes­ca­da na cul­tu­ra e li­nhas ‘vin­ta­ge’ dos anos ‘80. Pro­cu­rá­mos che­gar a um mo­de­lo(s) que ma­te­ri­li­zas­se a nos­sa ideia – se­gu­ro na for­ma, ca­ti­van­te, sem ex­tra­va­gân­ci­as e com a ele­gân­cia que fa­çam de­le um ob­je­to al­go pe­re­ne. Dos pri­mei­ros es­bo­ços e ma­que­tas cum­pri­mos um cal­vá­rio de mui­tos me­ses até aqui che­gar­mos. A fren­te pro­du­ti­va tam­bém foi mui­to so­fri­da e, de­pois de al­gu­mas ten­ta­ti­vas fa­lha­das, en­con­trá­mos um par­cei­ro à al­tu­ra das nos­sas exi­gên­ci­as. Sen­ti­mo-nos uns afor­tu­na­dos, por ter­mos em­pre­sa “Nú­me­ro de Es­pé­cie, Lda.”, ins­ta­la­da em Por­tu­gal, am­bas de­di­ca­das à edi­ção e co­mer­ci­a­li­za­ção de mo­bi­liá­rio de es­cri­tó­rio. Mi­guel Cam­pos Mei­ra e Cas­tro nas­ceu a 2 de ou­tu­bro de 1987, tam­bém em Bra­ga. É li­cen­ci­a­do em Ges­tão de Mar­ke­ting, pe­lo IPAM (Ins­ti­tu­to Por­tu­guês de Ad­mi­nis­tra­ção de Mar­ke­ting), com es­pe­ci­a­li­za­ções em De­sign e De­sign Grá­fi­co. Atu­al­men­te, e pa­ra além de só­ci­o­ge­ren­te da Bushwick, tra­ba­lha co­mo ges­tor de mar­ke­ting na em­pre­sa Bo­omBapWe­ar.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.