josé m. so­a­res

Opticapro - - Ópticapro 165 Notícias - José So­a­res

José So­a­res de­sen­vol­ve pro­je­tos de ar­qui­te­tu­ra já há al­guns anos, mas a li­ga­ção aos es­pa­ços co­mer­ci­ais, no­me­a­da­men­te óti­cas, sur­giu há cer­ca de dois.

Óp­ti­caP­ro: Qu­an­do é que a José M. So­a­res Ar­qui­tec­to co­me­çou a re­mo­de­lar óti­cas?

José So­a­res: A ar­qui­te­tu­ra de es­pa­ços co­mer­ci­ais apa­re­ceu na mi­nha vi­da há cer­ca de dois anos. Sem­pre foi uma área que me fas­ci­nou, e as óti­cas em par­ti­cu­lar, pois ne­las exis­tem vá­ri­os “am­bi­en­tes” que são bem de­fi­ni­dos: ga­bi­ne­tes, ofi­ci­na, área de aten­di­men­to ao pú­bli­co... são mun­dos pró­pri­os, cada um com a sua es­pe­ci­fi­ci­da­de. O nos­so ob­je­ti­vo pri­mei­ro é o de har­mo­ni­zar to­do o es­pa­ço man­ten­do as su­as sin­gu­la­ri­da­des.

OP: Co­mo se pro­ces­sa to­do o tra­ba­lho, des­de o de­sen­vol­vi­men­to do pro­je­to até à fi­na­li­za­ção da obra?

JS: Fei­to o le­van­ta­men­to ar­qui­te­tó­ni­co ao es­pa­ço, com me­di­ções, fo­to­gra­fi­as e de­se­nhos, o processo co­me­ça a de­sen­ro­lar-se em ate­li­er com a exe­cu­ção das pe­ças de­se­nha­das, ma­que­tas fí­si­cas e si­mu­la­ções3D. Apro­va­do pelo cli­en­te, o pro­je­to avan­ça pa­ra uma fa­se on­de são por­me­no­ri­za­dos te­tos, por­tas, mo­bi­liá­rio, en­tre ou­tros, ga­ran­tin­do in­for­ma­ção su­fi­ci­en­te pa­ra que os res­tan­tes in­ter­ve­ni­en­tes no processo - sejam eles car­pin­tei­ros, ele­tri­cis­tas ou pe­drei­ros - pos­sam ela­bo­rar cor­re­ta­men­te os seus or­ça­men­tos. Em obra, a in­for­ma­ção pres­ta­da de­ve­rá ser clara e de sim­ples com­pre­en­são e o acom­pa­nha­men­to, no ca­so dos es­pa­ços co­mer­ci­ais, qua­se diá­rio.

OP: Qu­an­to tem­po de­mo­ra, em mé­dia, a re­mo­de­la­ção de uma óti­ca?

JS: Uma óti­ca que se­ja pa­ra ins­ta­lar num es­pa­ço no­vo, sem obras de cons­tru­ção ou res­tau­ro pro­fun­do, po­de­rá de­mo­rar en­tre cin­co a seis me­ses a fi­car con­cluí­da, des­de o processo de de­se­nho até à sua inau­gu­ra­ção. É cla­ro que ter uma equi­pa de pro­fis­si­o­nais com­pe­ten­tes nas di­ver­sas áre­as da cons­tru­ção e mo­bi­liá­rio/de­co­ra­ção, as­sim co­mo um acom­pa­nha­men­to efi­caz e cons­tan­te em to­das as fa­ses do processo, é com cer­te­za ga­ran­tia do cum­pri­men­to dos pra­zos.

“As óti­cas têm “am­bi­en­tes” pró­pri­os”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.