Co­nhe­ça a Fol­low­pri­ce, a star­tup por­tu­gue­sa que aju­da a es­tar a par das va­ri­a­ções de pre­ço nas lo­jas on­li­ne.

Quan­tas ve­zes é que já pes­qui­sou um pro­du­to nu­ma lo­ja on­li­ne, mas fez aque­la conversa do «vou es­pe­rar que o pre­ço bai­xe» e de­pois nun­ca mais se lem­brou? A Fol­low­pri­ce é a start-up por­tu­gue­sa que o vai aju­dar a re­ce­ber aler­tas de al­te­ra­ções de pre­ços e mui

PC Guia - - ÍNDICE -

NOS ÚL­TI­MOS DOZE ME­SES, A FOL­LOW­PRI­CE GEROU MAIS DE 1,8 MI­LHÕES DE EU­ROS EM NO­VAS VEN­DAS.

Tu­do co­me­çou com um al­mo­ço e um PowerPoint de ape­nas dois sli­des, em 2014. Sal­te­mos no tem­po: a Fol­low­pri­ce é a res­pon­sá­vel pe­la so­lu­ção que já es­tá qua­tro­cen­tos si­tes de co­mér­cio on­li­ne, com um bo­tão que é um aler­ta uni­ver­sal de pre­ço e dis­po­ni­bi­li­da­de no co­mér­cio elec­tró­ni­co. De acor­do com os fun­da­do­res, des­ta for­ma, «os vi­si­tan­tes po­dem guar­dar os seus pro­du­tos nu­ma só ‘mon­tra’ uni­ver­sal, subs­cre­ven­do a re­cep­ção de aler­tas de pre­ço e stock dos si­tes on­li­ne atra­vés de email e no­ti­fi­ca­ções de Fa­ce­bo­ok». Mas não são só os cli­en­tes que vêem a vi­da fa­ci­li­ta­da – tam­bém há van­ta­gens pa­ra qu­em ven­de: «Os si­tes de e-com­mer­ce ga­nham va­li­o­sos in­sights da pro­cu­ra e ten­dên­ci­as de mer­ca­do sa­ben­do que pro­du­tos es­tão a ser se­gui­dos e po­dem con­tac­tar es­tes po­ten­ci­ais com­pra­do­res di­rec­ta­men­te». As­sim, a Fol­low­pri­ce ba­seia o seu mo­de­lo de ne­gó­cio no de­sem­pe­nho da so­lu­ção, com co­mis­sões por ven­da ge­ra­da. A ideia ini­ci­al pa­ra es­te pro­jec­to par­tiu de João Al­mei­da Lei­tão, que, en­quan­to em­pre­en­de­dor e ges­tor de uma lo­ja on­li­ne, iden­ti­fi­cou a «ne­ces­si­da­de de uma fer­ra­men­ta que au­men­tas­se as co­mu­ni­ca­ções de pro­mo­ções com pes­so­as re­al­men­te in­te­res­sa­das nos seus pro­du­tos», ex­pli­cam.

DA IN­CU­BA­DO­RA A CARNEGIE MELLON

A ori­gem da Fol­low­pri­ce co­me­ça na In­cu­ba­do­ra de Em­pre­sas do Ta­gus­park. De­pois dis­so, con­tou com vá­ri­os apoi­os ao pro­jec­to, co­mo foi o ca­so do pro­gra­ma Blu­es­tart, da Por­tu­gal Te­le­com. A Fol­low­pri­ce in­te­grou tam­bém o pro­gra­ma de ace­le­ra­ção pro­mo­vi­do pe­lo Lis­bon Chal­len­ge, que se tra­du­ziu em men­to­ria pe­la par­te de Pedro Ro­cha Vi­ei­ra, da Be­ta-i. Além dis­to, in­te­gra tam­bém o por­te­fó­lio da Star­tup Lis­boa. Pa­ra con­ti­nu­ar es­ta vi­a­gem, a so­lu­ção ul­tra­pas­sou fron­tei­ras, no­me­a­da­men­te com o pro­gra­ma de ace­le­ra­ção nos Es­ta­dos Uni­dos, pro­mo­vi­do pe­la Carnegie Mellon Uni­ver­sity, que le­vou a Fol­low­pri­ce até Pitts­burgh. Com a pas­sa­gem por com­pe­ti­ções de em­pre­en­de­do­ris­mo em São Fran­cis­co, Bos­ton ou Lon­dres, se­guia-se o in­ves­ti­men­to. «Con­se­gui­mos an­ga­ri­ar o pri­mei­ro in­ves­ti­men­to pa­ra a Fol­low­pri­ce, no va­lor de 645 mil eu­ros, com o gran­de ob­je­ti­vo de cons­truir uma equi­pa, uma so­lu­ção, e ex­pan­dir o ne­gó­cio», lem­bram os fun­da­do­res.

A AQUI­SI­ÇÃO DA PEPFEED

Re­cen­te­men­te, a Fol­low­pri­ce ad­qui­riu uma ou­tra em­pre­sa por­tu­gue­sa, a PepFeed, uma app que fun­ci­o­na co­mo um as­sis­ten­te de com­pras vir­tu­al, pa­ra evi­tar más es­co­lhas ou ar­re­pen­di­men­tos. «Acre­di­ta­mos que, com es­ta fu­são, es­ta­mos ain­da mais pre­pa­ra­dos pa­ra de­sen­vol­ver no­vas so­lu­ções que pos­sam me­re­cer a aten­ção dos mer­ca­dos de e-com­mer­ce», di­zem os res­pon­sá­veis pe­la Fol­low­pri­ce. A vi­são da Fol­low­pri­ce pa­ra o fu­tu­ro é am­bi­ci­o­sa: «Ser um check­point obri­ga­tó­rio pa­ra qual­quer com­pra­dor on­li­ne an­tes de re­a­li­zar qual­quer com­pra di­gi­tal», con­clu­em os fun­da­do­res des­ta start-up.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.