Ban­dei­ra bran­ca

PC Guia - - ON - A L E X A N D R E S I LV E I R A apon­ta­e­a­mo­la@gmail.com

De­pois de mui­tos anos a com­ba­ter nas trin­chei­ras a ba­ta­lha dos sis­te­mas ope­ra­ti­vos pa­ra smartpho­nes, a Mi­cro­soft le­van­tou fi­nal­men­te a ban­dei­ra ndei­ra bran­ca e as­su­miu a ren­di­ção. A re­ve­la­ção foi fei­ta no Twit­ter por um vi­ce-pre­si­den­te que as­su­miu que o in­ves­ti­men­to no Windows Pho­ne não é uma das pri­o­ri­da­des pa­ra a em­pre­sa de Red­mond. Se­gun­do to­dos os ana­lis­tas, a ra­zão des­te de­sin­ves­ti­men­to tem que ver com o re­du­zi­do nú­me­ro de apps. Por sua vez, o bai­xo nú­me­ro de uti­li­za­do­res do Windows Pho­ne es­ta­rá na ba­se do de­sin­te­res­se dos pro­gra­ma­do­res em in­ves­tir em apps pa­ra es­ta pla­ta­for­ma por­que di­fi­cil­men­te as irão ren­ta­bi­li­zar. Foi es­te cír­cu­lo vi­ci­o­so que le­vou a es­te des­fe­cho e que já ti­nha ex­pul­so do mer­ca­do sis­te­mas ope­ra­ti­vos co­mo o WebOS e o Sym­bi­an. A Mi­cro­soft sem­pre nos acos­tu­mou a es­tar do ou­tro la­do. Nor­mal­men­te, apon­ta­va a uma área de tec­no­lo­gia e in­ves­tia até ex­pul­sar o con­cor­ren­te do­mi­nan­te: foi as­sim com a Lo­tus 1-2-3 vs. Ex­cel, com o Nets­ca­pe vs. In­ter­net Ex­plo­rer e com o Netwa­re da No­vell vs. Windows Ser­ver. Pa­ra is­so, a Mi­cro­soft apos­ta­va no de­sen­vol­vi­men­to de ofer­tas tec­ni­ca­men­te evo­luí­das e usa­va o seu po­der de mer­ca­do pa­ra im­por o seu pro­du­to até do­mi­nar o seg­men­to. No en­tan­to, na área dos sis­te­mas ope­ra­ti­vos pa­ra smartpho­nes, a con­cor­rên­cia não se li­mi­tou a apre­sen­tar uma ex­ce­len­te ofer­ta: quer a Go­o­gle, quer a Ap­ple, al­te­ra­ram com­ple­ta­men­te as re­gras do jo­go. A Ap­ple op­tou por apos­tar nu­ma ofer­ta pre­mium, in­te­grar o hard­ware e o soft­ware e de­sen­vol­ver um ecos­sis­te­ma de apps. A Go­o­gle apos­tou num mo­de­lo de fre­ewa­re com o An­droid, e com os fa­bri­can­tes de smartpho­nes con­se­guiu re­pli­car o mesmo ti­po de ecos­sis­te­ma. Qu­an­do a Mi­cro­soft ten­tou re­a­gir já foi tar­de. A com­pra da No­kia foi a úl­ti­ma ten­ta­ti­va de ga­nhar es­pa­ço no mer­ca­do, mas ra­pi­da­men­te se per­ce­beu que não foi a me­lhor jo­ga­da. Na in­dús­tria de tec­no­lo­gia a his­tó­ria nun­ca fi­ca por aqui. A Mi­cro­soft, pro­va­vel­men­te, irá apos­tar em apps mul­ti­pla­ta­for­ma ou fa­zer al­gu­ma aqui­si­ção pa­ra ter uma pa­la­vra a di­zer na área dos sis­te­mas ope­ra­ti­vos pa­ra smartpho­ne. De uma ma­nei­ra ou de ou­tra, é de es­pe­rar uma ten­ta­ti­va pa­ra co­lo­car a sua ban­dei­ra nes­te ter­ri­tó­rio.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.