A 5.ª CO­LU­NA

PC Guia - - NEWS - AN­DRÉ RO­SA Twit­ter: @an­drer757 Mem­bro fun­da­dor do Par­ti­do Pi­ra­ta Por­tu­guês

Olá a to­dos. Es­te mês va­mos de­ba­ter o pro­ble­ma da pri­va­ci­da­de na In­ter­net. In­fe­liz­men­te, não pu­de es­tar pre­sen­te na Ini­ci­a­ti­va Por­tu­gue­sa do Fó­rum da Go­ver­na­ção da In­ter­net de­vi­do à dis­tân­cia e por ter si­do num dia de se­ma­na. Ain­da as­sim, acom­pa­nhei o que se ia di­zen­do no Twit­ter (a mi­nha fon­te foi a as­so­ci­a­ção D3, @di­rei­tos­dig) so­bre o even­to e al­gu­mas de­cla­ra­ções pre­o­cu­pa­ram-me.

Es­sas de­cla­ra­ções são de uma res­pon­sá­vel de uma em­pre­sa de se­gu­ran­ça, o que me pre­o­cu­pa ain­da mais. Foi di­to que as pes­so­as «con­fun­dem mui­to a pri­va­ci­da­de com o ano­ni­ma­to», que o cri­me acon­te­ce por­que as «pes­so­as con­se­guem es­tar anó­ni­mas ou por­que es­tão em ju­ris­di­ções não al­can­çá­veis» ou que «en­quan­to não hou­ver me­ca­nis­mos que per­mi­tam a pri­va­ci­da­de, mas não o ano­ni­ma­to, o ci­ber­cri­me vai con­ti­nu­ar a cres­cer». Pri­mei­ro, não exis­te qual­quer con­fu­são en­tre ‘pri­va­ci­da­de’ e ‘ano­ni­ma­to’: o ano­ni­ma­to é uma das for­mas de ga­ran­tir, pre­ci­sa­men­te, a pri­va­ci­da­de de qual­quer pes­soa; a pri­va­ci­da­de é a con­di­ção ne­ces­sá­ria pa­ra o li­vre de­sen­vol­vi­men­to pes­so­al de ca­da um, li­vre das res­tri­ções que a vi­da em so­ci­e­da­de ne­ces­sa­ri­a­men­te im­põe.

Sem is­to, a so­ci­e­da­de é pri­va­da do me­lhor meio pa­ra cor­ri­gir os seus pró­pri­os er­ros e o re­sul­ta­do é a es­tag­na­ção. Lo­go, não há me­ca­nis­mos pos­sí­veis que per­mi­tam a pri­va­ci­da­de sem ga­ran­tir o ano­ni­ma­to.

Ape­nas sob man­da­to ju­di­ci­al de­ve ser le­van­ta­do es­se ano­ni­ma­to, ca­so ha­ja pro­vas cre­dí­veis da prá­ti­ca de cri­me, sen­do que mes­mo as­sim os ar­ti­gos 10.º e 11.º da De­cla­ra­ção dos Di­rei­tos do Ho­mem se man­têm.

Até ao pró­xi­mo mês!

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.