+

Publico - Fugas - - PRIMEIRA PÁGINA -

ne­gra (tin­ta de cho­co) de lín­guas de ba­ca­lhau com pu­ré ne­gro de ce­bo­la e san­gue (7,50€). O ri­sot­to de co­gu­me­los em alu­ci­na­ção (14€) bor­bu­lha mas não tem qual­quer efei­to se­cun­dá­rio, mas tan­to a sa­la­da de ba­ca­lhau con­fi­ta­do com to­ma­te, grão e ovo (7€), co­mo o ba­ca­lhau com broa, ba­ta­ta a mur­ro e ce­bo­la­da de pre­sun­to (16€) ou o na­co de no­vi­lho na bra­sa (18€) são de sa­tis­fa­ção e pra­zer ga­ran­ti­dos.

“A vi­da po­de ser cru­el. Co­ma e es­que­ça”, lem­bra a car­ta. Mas de­pois da mul­ti­fa­ce­ta­da de­gus­ta­ção não é fá­cil es­que­cer a ri­que­za da com­bi­na­ção de sa­bo­res, tex­tu­ras e tem­pe­ra­tu­ras que fa­zem da du­pla vi­si­ta uma ex­pe­ri­ên­cia gra­ti­fi­can­te.

Pa­ra is­so con­tri­bui o con­cei­to cri­a­ti­vo e bem afi­na­do, on­de cru­el­da­de e vin­gan­ça são ape­nas o pre­tex­to pa­ra pro­por­ci­o­nar uma vi­a­gem gas­tro­nó­mi­ca que bem se re­co­men­da.

Ao con­cei­to en­tre­ti­do, jun­tam-se es­pa­ços atra­en­tes e bem de­co­ra­dos, num es­ti­lo mo­der­no, con­ti­do e re­che­a­do de ele­men­tos vin­ta­ge. No Vin­gan­ça há ain­da, no pi­so in­fe­ri­or, um con­vi­da­ti­vo ter­ra­ço ex­te­ri­or, par­ti­cu­lar­men­te ade­qua­do pa­ra es­tes me­ses de Ve­rão. Ao am­bi­en­te des­con­traí­do e qua­se fes­ti­vo as­so­cia-se o ser­vi­ço sim­pá­ti­co, efi­ci­en­te e jo­vi­al que aju­da tam­bém a re­for­çar o con­cei­to.

Tam­bém as car­tas de vi­nhos, igual­men­te cúm­pli­ces e com­ple­men­ta­res, pro­cu­ram mar­car pe­la di­fe­ren­ça, com uma ten­dên­cia de pro­pos­tas al­ter­na­ti­vas e ajus­ta­das à ofer­ta gas­tro­nó­mi­ca. Co­brin­do as prin­ci­pais re­giões, no­ta-se ape­nas a fal­ta dos es­pu­man­tes da Bair­ra­da que tão bem vão com a ló­gi­ca de par­ti­lha e diversificação.

O ter­ra­ço do Vin­gan­ça é par­ti­cu­lar men­te con­vi­da­ti­vo nes­tes me­ses de Ve­rão

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.