No­vo res­pon­sá­vel da Por­to Vi­vo as­se­gu­ra con­ti­nui­da­de

Jo­sé Car­los Nas­ci­men­to re­fe­re “con­ti­nui­da­de e re­no­va­ção” em “no­vos de­sa­fi­os” e dei­xou um com­pro­mis­so de “tra­ba­lho em es­trei­ta co­la­bo­ra­ção com a au­tar­quia”

Publico - Imobiliario - - Atualidade - Fernanda Cer­quei­ra

Na sua pri­mei­ra in­ter­ven­ção pú­bli­ca na qua­li­da­de de no­vo pre­si­den­te da Por­to Vi­vo – So­ci­e­da­de de Re­a­bi­li­ta­ção Ur­ba­na da Bai­xa Por­tu­en­se (Por­to Vi­vo – SRU), que te­ve lu­gar no workshop ‘Co­mo in­ves­tir no imo­bi­liá­rio na­ci­o­nal – in­ves­ti­men­to in­di­vi­du­al e es­tru­tu­ra­do’, pro­mo­vi­do pe­la As­so­ci­a­ção Por­tu­gue­sa de Pro­mo­to­res e In­ves­ti­do­res Imo­bi­liá­ri­os (APPII), Jo­sé Car­los Nas­ci­men­to fa­lou na “con­ti­nui­da­de e re­no­va­ção” em “no­vos de­sa­fi­os” e dei­xou um com­pro­mis­so de “tra­ba­lho em es­trei­ta co­la­bo­ra­ção com a au­tar­quia, nu­ma re­la­ção aber­ta e pau­ta­da pe­la trans­pa­rên­cia com to­dos os agen­tes e de diá­lo­go pro­fí­cuo”.

Re­cor­de-se que o mes­mo res­pon­sá­vel ha­via já da­do no­ta da “pri­o­ri­da­de aos pro­ble­mas das pes­so­as no que se re­fe­re ao re­for­ço da re­a­bi­li­ta­ção do Cen­tro His­tó­ri­co da Ci­da­de do Por­to” em co­mu­ni­ca­do.

A Por­to Vi­vo - So­ci­e­da­de de Re­a­bi­li­ta­ção Ur­ba­na (SRU) re­cor­da que o pro­fes­sor da Uni­ver­si­da­de do Mi­nho Jo­sé Car­los Ba­tis­ta do Nas­ci­men­to e Sil­va subs­ti­tui Ál­va­ro San­tos.

Qu­an­to ao “re­for­ço da re­a­bi­li­ta­ção do Cen­tro His­tó­ri­co da ci­da­de do Por­to, se­rá re­a­li­za­do ten­do co­mo en­fo­que pri­o­ri­tá­rio os pro­ble­mas das pes­so­as, as­se­gu­ran­do a di­ver­si­fi­ca­ção de fun­ções e a di­ver­si­da­de so­ci­al e cul­tu­ral” da zo­na his­tó­ri­ca. A SRU acres­cen­ta ain­da que irá ado­tar mo­de­los de atu­a­ção fa­ci­li­ta­do­ra, fle­xí­vel e de va­lo­ri­za­ção das ener­gi­as da ci­da­de e da co­la­bo­ra­ção en­tre ins­ti­tui­ções, sen­do que pa­ra o efei­to te­rá em con­ta os con­cei­tos de “Smart Ci­ti­es” e de “Trans­for­ma­ção Di­gi­tal”.

Pro­cu­ra di­ver­si­fi­ca- se

A As­so­ci­a­ção Por­tu­gue­sa de Pro­mo­to­res e In­ves­ti­do­res Imo­bi­liá­ri­os (APPII) re­co­nhe­ce uma no­va di­nâ­mi­ca no imo­bi­liá­rio na­ci­o­nal com o se­tor a dar “no­tó­ri­os si­nais de cres­ci­men­to qua­li­ta­ti­vo” não só em Lis­boa, mas tam­bém no Por­to, num mo­vi­men­to que se es­ten­de a to­do o país.

“É com gran­de sa­tis­fa­ção que ve- jo o se­tor do imo­bi­liá­rio a evo­luir de uma for­ma qua­li­ta­ti­va no­tá­vel”, dis­se o pre­si­den­te da APPII, Hen­ri­que Po­lig­nac de Bar­ros no mes­mo even­to.

A re­a­bi­li­ta­ção ur­ba­na trou­xe um “no­vo âni­mo” que es­tá não só a “re­no­var o te­ci­do ur­ba­no mas tam­bém so­ci­al das ci­da­des”, re­fe­riu An­tó­nio Ta­va­res, Pro­ve­dor da San­ta Ca­sa da Mi­se­ri­cór­dia do Por­to (SCMP). Na oca­sião o res­pon­sá­vel su­bli­nhou ain­da o im­pac­to do Pro­gra­ma Re­a­bi­li­tar pa­ra Ar­ren­dar, pro­mo­vi­do pe­lo Ins­ti­tu­to da Ha­bi­ta­ção e Re­a­bi­li­ta­ção Ur­ba­na ( IHRU), na re­a­bi­li­ta­ção do pa­tri­mó­nio da SCMP, “num es­for­ço de apro­xi­ma­da­men­te 10 mi­lhões de eu­ros”.

DR

Re­a­bi­li­ta­ção ur­ba­na trou­xe um âni­mo que es­tá a re­no­var o te­ci­do so­ci­al das ci­da­des

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.