Ave­nue tem mais 130 mi­lhões pa­ra in­ves­tir em Lis­boa e Porto

De­pois de in­ves­ti­dos 70 dos 100 mi­lhões de eu­ros de­fi­ni­dos pa­ra o trié­nio 2015-17, a Ave­nue pro­je­ta no­vos em­pre­en­di­men­tos até 2020

Publico - Imobiliario - - Atualidade - Su­sa­na Cor­reia

Em­bo­ra até ago­ra a apos­ta te­nha es­ta­do cen­tra­da na re­a­bi­li­ta­ção pa­ra o mer­ca­do re­si­den­ci­al de lu­xo, no fu­tu­ro a Ave­nue pon­de­ra di­ver­si­fi­car o seu fo­co de atu­a­ção, es­tre­an­do-se na pro­mo­ção de edi­fí­ci­os de es­cri­tó­ri­os e, even­tu­al­men­te, na cri­a­ção de em­pre­en­di­men­tos re­si­den­ci­ais es­pe­ci­al­men­te con­ce­bi­dos pa­ra co­lo­car no mer­ca­do de ar­ren­da­men­to.

Atu­an­do num mer­ca­do de ci­clos de lon­ga du­ra­ção, e on­de o pro­du­to de­mo­ra por ve­zes anos a fi­car con­cluí­do, pa­ra o bra­ço por­tu­guês do fun­do pan-eu­ro­peu Pe­rel­la Wein­berg Re­al Es­ta­te Fund, não exis­tem fór­mu­las pa­ra­das no tem­po: “Qu­e­re­mos adap­tar sem­pre a nos­sa ati­vi­da­de aque­la que se­rá a pro­cu­ra. E es­se é o nos­so gran­de de­sa­fio: an­te­ci­par e sa­ber qual se­rá a ten­dên­cia da pro­cu­ra nos anos se­guin­tes”, ex­pli­cou o seu pre­si­den­te, Ani­ce­to Vi­e­gas.

Nos cer­ca de dois anos des­de que ini­ci­ou a sua ati­vi­da­de, a Ave­nue já in­ves­tiu cer­ca de 70% dos 100 mi­lhões de eu­ros pre­vis­tos pa­ra o mer­ca­do por­tu­guês no trié­nio 2015/16/17. Es­te va­lor foi apli­ca­do nos três pro­je­tos de ha­bi­ta­ção de lu­xo já em de­sen­vol- vi­men­to em Lis­boa (Li­ber­da­de 203, Li­ber­da­de 40 e Orpheu XI Chi­a­do) e na­que­le que es­tá a pro­mo­ver no Porto (Ali­a­dos 107), a que se so­mam já ou­tros dois ain­da fa­se de pro­je­to (Li­ber­da­de 266 – no edi­fí­cio da antiga se­de do DN – e o The Cor­don Chi­a­do) e num sex­to ati­vo que se en­con­tra atu­al­men­te em fa­se de com­pra. Es­te pla­no de in­ves­ti­men­to de­ve­rá fi­car con­cluí­do até ao fi­nal do ano, com a aqui­si­ção de mais dois a três ati­vos em Lis­boa e no Porto.

En­tre­tan­to, con­ta Ani­ce­to Vi­e­gas, “es­ta­mos já a tra­ba­lhar na pró­xi­ma fa­se do nos­so pla­no de in­ves­ti­men­tos, no âm­bi­to do qual te­mos um pouco mais de 100 mi­lhões de eu­ros pa­ra in­ves­tir no trié­nio 2018/2020”.

Pro­cu­ra di­ta as regras

Em 2015, quan­do se es­tre­ou no mer­ca­do na­ci­o­nal – on­de até re­cen­te­men­te atu­a­va sob o no­me Nic­kel Re­al Es­ta­te – a de­ci­são foi a de apos­tar no mer­ca­do re­si­den­ci­al de lu­xo nas zo­nas pri­me de Lis­boa e Porto, pois “ha­via aí uma pro­cu­ra for­te la­ten­te na al­tu­ra”, con­ta Ani­ce­to.

O que não sig­ni­fi­ca con­tu­do que o fu­tu­ro te­nha de pas­sar só por es­se seg­men­to, no­ta o pre­si­den­te da Ave- nue. “Te­mos uma es­tra­té­gia mui­to fle­xí­vel, o que sig­ni­fi­ca que no fu­tu­ro não te­nha­mos de fa­zer ape­nas ha­bi­ta­ção de lu­xo e co­mér­cio de rua pri­me. Po­de­mos mui­to bem vir a fa­zer pro­du­to re­si­den­ci­al pa­ra o seg­men­to mé­dio, por exem­plo”, afir­ma.

Ani­ce­to Vi­e­gas re­co­nhe­ce ago­ra ou­tra opor­tu­ni­da­de la­ten­te, des­ta fei­ta no mer­ca­do de es­cri­tó­ri­os de Lis­boa. “Ain­da não es­ta­mos a tra­ba­lhar em ne­nhum pro­je­to, mas é sem dúvida uma área que nos in­te­res­sa e pa­ra a qual es­ta­mos a olhar com aten­ção”, diz, acres­cen­tan­do que “mui­to pro­va­vel­men­te, den­tro de al­gum tem­po en­tra­re­mos na pro­mo­ção de es­cri­tó­ri­os, pois é um seg­men­to que ca­re­ce de in­ves­ti­men­to”.

“Acre­di­ta­mos que a pra­zo, o nos­so fu­tu­ro de­ve­rá pas­sar por es­ta área, mas tam­bém pe­lo de­sen­vol­vi­men­to de ha­bi­ta­ção pa­ra ren­di­men­to” em Lis­boa, con­ti­nu­ou o pre­si­den­te da Ave­nue, pa­ra quem “es­te é um mer­ca­do que ain­da es­tá pouco de­sen­vol­vi­do, mas que tem um es­pa­ço in­te­res­san­te pa­ra cres­cer”. En­quan­to is­so não acon­te­ce, “o que ve­mos pa­ra o nos­so fu­tu­ro mais pró­xi­mo é con­ti­nu­ar a in­ves­tir na ha­bi­ta­ção de lu­xo”.

Ave­nue pon­de­ra di­ver­si­fi­car o seu fo­co de atu­a­ção em Lis­boa e Porto

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.