Pa­ra dar ale­gria à co­zi­nha, es­co­lha os tons que mais gos­ta

Bar­bot dei­xa con­se­lhos prá­ti­cos pa­ra dar no­va ca­ra à sua co­zi­nha sem gas­tar mui­to tem­po e di­nhei­ro

Publico - Imobiliario - - Cozinhas & Inovação -

Com a pri­ma­ve­ra chega a von­ta­de de dar cor ao nos­so lar e re­de­co­rar al­gu­mas di­vi­sões. Com mais de 90 anos de ex­pe­ri­ên­cia no se­tor das tin­tas, a Bar­bot é o ali­a­do ide­al pa­ra dar uma no­va “ca­ra” à sua ca­sa. A mar­ca por­tu­gue­sa ofe­re­ce vá­ri­as so­lu­ções e pro­du­tos ca­pa­zes de sa­tis­fa­zer to­dos os gos­tos, além de dis­po­ni­bi­li­zar fer­ra­men­tas pa­ra que a re­mo­de­la­ção não se trans­for­me nu­ma enor­me dor de ca­be­ça.

Pro­va­vel­men­te a di­vi­são que to­dos pen­sam ser mais com­pli­ca­da de re­mo­de­lar é a co­zi­nha, que é pal­co de pro­lon­ga­das re­fei­ções de fa­mí­lia nas es­ta­ções mais quen­tes do ano. Com os pro­du­tos Bar­bot, es­pe­ci­a­li­za­dos pa­ra es­tes es­pa­ços e de fá­cil apli­ca­ção, o pro­ces­so de cri­a­ção se­rá in­tui­ti­vo.

Con­se­lhos prá­ti­cos

An­tes de pôr “mãos à obra” é im­por­tan­te ter em aten­ção al­guns por­me­no­res. An­tes de apli­car qual­quer es­que­ma de pin­tu­ra ve­ri­fi­que se é ne­ces­sá­rio re­pa­rar a su­per­fí­cie a pin­tar. Re­pa­re os de­fei­tos que en­con­trar, uti­li­zan­do pro­du­tos ade­qua­dos. Cer­ti­fi­que-se tam­bém que as pa­re­des são pre­vi­a­men­te lim­pas e se en­con­tram isen­tas de po­ei­ras ou gor­du­ras. Uma vez que es­tes fa- to­res po­dem com­pro­me­ter a apa­rên­cia, du­ra­bi­li­da­de e qua­li­da­de da pin­tu­ra.

Tam­bém de­ve ana­li­sar se com a re­mo­de­la­ção pre­ten­de com­ba­ter a hu­mi­da­de da co­zi­nha. Se for es­se o ca­so, a Bar­bot apre­sen­ta a Tin­ta An­ti-Con­den­sa­ção. Uma tin­ta aquo- sa pa­ra te­tos que ori­gi­na uma pe­lí­cu­la que re­duz sig­ni­fi­ca­ti­va­men­te a con­den­sa­ção de água e apre­sen­ta ele­va­da re­sis­tên­cia aos fun­gos.

No que to­ca às pa­re­des, de­ve sem­pre uti­li­zar um pri­má­rio, pois es­te uni­for­mi­za a ab­sor­ção da su­per­fí­cie, im­pe­din­do que gran­de quan­ti­da­de de tin­ta se­ja ab­sor­vi­da. As­sim, ob­te­rá um mai­or ren­di­men­to do pro­du­to de aca­ba­men­to. Além dis­so, qu­an­to es­ti­ver a es­co­lher as tin­tas, te­nha em con­ta que aque­las com bri­lho des­ta­cam as im­per­fei­ções da pa­re­de. Por is­so, em su­per­fí­ci­es com im­per­fei­ções mui­to vi­sí­veis op­te sem­pre pe­las so­lu­ções ma­te.

No ca­so de pin­tu­ra de azu­le­jos, a Bar­bot re­co­men­da a uti­li­za­ção de Bar­bo­vi­tra. Ide­al pa­ra su­per­fí­ci­es ce­râ­mi­cas, es­ta é uma tin­ta de fá­cil apli­ca­ção e mui­to re­sis­ten­te. Após apli­ca­da, ide­al­men­te em três de­mãos, apre­sen­ta um aca­ba­men­to ace­ti­na­do.

Pa­ra dar ale­gria à co­zi­nha, es­co­lha os tons que mais gos­ta. A Bar­bot pro­põe es­que­ma de pin­tu­ra com­pos­to por dois pas­sos. Pri­mei­ro: Apli­ca­ção do Pri­má­rio Mul­ti-Su­per­fí­ci­es (de se­ca­gem rá­pi­da à ba­se de re­si­nas es­pe­ci­ais, com boa ade­rên­cia so­bre di­ver­sas su­per­fí­ci­es co­mo azu­le­jos, ce­râ­mi­ca, vi­dro, PVC rí­gi­do, ma­dei­ras e até mes­mo em me­tais). Se­gun­do: Apli­ca­ção da tin­ta de aca­ba­men­to afi­na­da à cor pre­ten­di­da. Pa­ra es­te efei­to, a mar­ca su­ge­re três pro­du­tos: Bar­bo­silk (uma tin­ta aquo­sa, a es­co­lha cer­ta pa­ra um aca­ba­men­to ace­ti­na­do, sem odor e mui­to re­sis­ten­te às la­va­gens); Bar­bo­soft (pa­ra ob­ter um bri­lho se­mi ma­te e um aca­ba­men­to com gran­de fa­ci­li­da­de na la­va­gem e sem odor); IN OUT (de fá­cil apli­ca­ção, é a so­lu­ção ide­al pa­ra quem pro­cu­ra ob­ter um ele­va­do bri­lho).

FOOT: DR

An­tes de pôr “mãos à obra” é im­por­tan­te ter em aten­ção vá­ri­os por­me­no­res que per­mi­ti­rão pou­par tem­po e di­nhei­ro

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.