Millennium bcp tem es­cri­tó­ri­os de gran­de di­men­são pa­ra ven­da no Por­to

Publico - Imobiliario - - Oportunidades -

Nu­ma al­tu­ra em que exis­te “uma pro­cu­ra cres­cen­te de gran­des es­pa­ços pa­ra a ins­ta­la­ção de em­pre­sas no Por­to” e em que “são já pou­cos os es­pa­ços ade­qua­dos à pro­cu­ra exis­ten­te, de acor­do com Nu­no Mar­çal, Res­pon­sá­vel de Ven­da – Gran­des Imó­veis Nor­te da Di­re­ção de Ne­gó­cio Imo­bi­liá­rio do Millennium bcp, o Ban­co tem al­guns ati­vos em ven­da que po­de­rão dar res­pos­ta a es­ta pro­cu­ra. Pro­pri­e­tá­rio de di­ver­sos es­pa­ços de es­cri­tó­ri­os na ci­da­de, o Ban­co des­ta­ca que “pa­ra uma em­pre­sa que quei­ra um es­pa­ço de­fi­ni­ti­vo pa­ra a sua ati­vi­da­de, a aqui­si­ção se­rá sem­pre mais van­ta­jo­sa”, já que, “ten­do em con­ta os pro­du­tos fi­nan­cei­ros exis­ten­tes, co­mo a lo­ca­ção fi­nan­cei­ra, as pres­ta­ções daí re­sul­tan­tes po­dem ser, na mai­o­ria dos ca­sos, mais in­te­res­san­tes que o ar­ren­da­men­to”.

Um des­tes ati­vos é um edi­fí­cio si­tu­a­do na rua La­ti­no Co­e­lho, nú­me­ros 142-144, per­to da Pra­ça do Marquês, ser­vi­do por uma boa re­de de trans­por­tes pú­bli­cos e “nu­ma zo­na de cres­ci­men­to da Bai­xa, que co­me­ça a ter pro­cu­ra fa­ce ao po­ten­ci­al de cres­ci­men­to exis­ten­te”. Com 6 pi­sos aci­ma do so­lo e apro­vei­ta­men­to do só­tão, tem uma área de es­cri­tó­ri­os de 2.334 m2, dis­pon­do de pi­sos am­plos com open spa­ce, que po­de ser au­men­ta­do “com a re­ti­ra­da de es­tru­tu­ras amo­ví­veis que fo­ram cri­a­das pa­ra a com­par­ti­men­ta­ção em ga­bi­ne­tes”. Uma boa ex­po­si­ção so­lar com am­plas ja­ne­las é ou­tro dos atri­bu­tos do imó­vel, que es­tá de­vo­lu­to e que é o úl­ti­mo edi­fí­cio que o Ban­co tem pa­ra ven­da na In­vic­ta. “É uma so­lu­ção óti­ma pa­ra se­de de em­pre­sas, es­cri­tó­ri­os em re­gi­me de cowor­king ou qual­quer ti­po de ser­vi­ços que se pre­ten­da ins­ta­lar”, ex­pli­ca Nu­no Mar­çal, que acres­cen­ta ain­da que uma al­te­ra­ção de uso não es­tá des­car­ta­da, “des­de que au­to­ri­za­da pe­las en­ti­da­des com­pe­ten­tes”. Em ven­da por 2.950.000 eu­ros, o edi­fí­cio tem uma su­cur­sal do Ban­co no pi­so tér­reo, mas “em por­ta e fra­ção au­tó­no­ma”, pos­suin­do ain­da dois pi­sos sub­ter­râ­ne­os pa­ra es­ta­ci­o­na­men­to e ar­ru­mos com uma área to­tal abai­xo do so­lo de 543 m2.

Tam­bém no Por­to, em ple­no co­ra­ção do Foco e com en­tra­da pe­la ave­ni­da da Bo­a­vis­ta, a zo­na mais no­bre da ci­da­de, o Ban­co de­tém o pi­so 1 da Torre do Foco, edi­fí­cio que com­bi­na es­cri­tó­ri­os (nos pi­sos 1 e 2) com ha­bi­ta­ção (nos res­tan­tes pi­sos). Os es­pa­ços de es­cri­tó­ri­os dis­põem de en­tra­da pró­pria e o pi­so 1, à ven­da por 1.185.000 eu­ros, tem du­as por­tas de aces­so ao am­plo lobby on­de es­tá o ele­va­dor. Ini­ci­al­men­te o es­pa­ço era com­pos­to por 17 es­cri­tó­ri­os in­de­pen­den­tes, com uma área con­jun­ta de 1.255 m2, que fo­ram trans­for­ma­dos nu­ma área úni­ca e in­ter­li­ga­da que in­te­gra tam­bém as áre­as an­te­ri­or­men­te co­muns, au­men­tan­do as­sim o es­pa­ço ini­ci­al­men­te dis­po­ní­vel pa­ra a ins­ta­la­ção de em­pre­sas. Pos­sui 16 lu­ga­res de es­ta­ci­o­na­men­to em ca­ve, “ne­ces­si­tan­do de al­gu­mas obras an­tes de ser ocu­pa­do”, re­fe­re Nu­no Mar­çal.

Nu­ma zo­na com vá­ri­as áre­as co­mer­ci­ais, ho­téis e res­tau­ran­tes, en­tre a Ro­tun­da da Bo­a­vis­ta e a pra­ça do Bom Su­ces­so, o edi­fí­cio Pe­nín­su­la in­te­gra tam­bém uma ofer­ta de es­cri­tó­ri­os pro­pri­e­da­de do Millennium bcp. O es­pa­ço (es­cri­tó­rio nº 701) si­tua-se no sé­ti­mo pi­so des­te edi­fí­cio e tem uma área bru­ta pri­va­ti­va de 629 m2, a qual po­de­rá ser “re­or­ga­ni­za­da con­so­an­te as ne­ces­si­da­des dos ocu­pan­tes”, per­mi­tin­do am­pli­ar es­pa­ços co­muns ou man­ter com­par­ti­men­ta­ção por ga­bi­ne­tes. À ven­da por 950.000 eu­ros, es­te es­cri­tó­rio não pos­sui es­ta­ci­o­na­men­to, mas o “edi­fí­cio dis­põe de es­ta­ci­o­na­men­to ge­ri­do por uma en­ti­da­de au­tó­no­ma”.

Além des­tes três ati­vos, Nu­no Mar­çal des­ta­ca ain­da o es­pa­ço com cer­ca de 822 m2 na rua do Cam­po Ale­gre, nº 17, 2º pi­so, re­sul­tan­te da in­ter­li­ga­ção de 3 fra­ções de es­cri­tó­ri­os, por um pre­ço de 660.000 eu­ros.

O edi­fí­cio La­ti­no Co­e­lho, 142-144, é um dos ati­vos de es­cri­tó­ri­os que o Millennium bcp tem em ven­da no Por­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.