OE 2018 tem de an­te­ci­par no­vas po­lí­ti­cas da ha­bi­ta­ção

Publico - Imobiliario - - Opinião - Reis Cam­pos

Na pas­sa­da se­ma­na ou­vi­mos o Se­nhor Pri­mei­ro Mi­nis­tro, no de­ba­te quin­ze­nal, na As­sem­bleia da República, re­a­fir­mar a im­por­tân­cia da ha­bi­ta­ção, co­mo área pri­o­ri­tá­ria nas po­lí­ti­cas pú­bli­cas. Apre­sen­tou um con­jun­to de me­di­das in­te­gra­das, de­sig­na­das por “No­va Ge­ra­ção de Po­lí­ti­cas da Ha­bi­ta­ção”. É mui­to po­si­ti­vo que te­nha fei­to, pois con­si­de­ra­mos im­pres­cin­dí­vel a de­fi­ni­ção de uma po­lí­ti­ca es­tra­té­gi­ca, que as­su­ma o es­pa­ço ur­ba­no nas su­as múl­ti­plas di­men­sões, co­mo po­lo de cres­ci­men­to e cen­tro mo­bi­li­za­dor do co­nhe­ci­men­to, da ciência, da cul­tu­ra e do la­zer, sem des­cu­rar as ques­tões de na­tu­re­za so­ci­al.

Es­tão em cau­sa pro­ble­mas co­mo a ha­bi­ta­ção so­ci­al e a de­fi­ni­ção de me­to­do­lo­gi­as de com­ba­te à po­bre­za e ex­clu­são so­ci­al, mas, tam­bém, a ne­ces­si­da­de de ver no imo­bi­liá­rio a opor­tu­ni­da­de que o mes­mo re­pre­sen­ta pa­ra o tu­ris­mo, pa­ra o co­mér­cio, pa­ra a in­dús­tria e lo­gís­ti­ca, en­tre mui­tas ou­tras ati­vi­da­des. É es­ta res­pos­ta, su­fi­ci­en­te­men­te am­pla, que, nes­te mo­men­to se exi­ge. É uma ques­tão trans­ver­sal e in­tem­po­ral que re­cla­ma um po­si­ci­o­na­men­to do Go­ver­no, das au­tar­qui­as lo­cais e ins­ti­tui­ções re­gu­la­do­ras, bem co­mo de to­dos os par­ti­dos po­lí­ti­cos e, de igual mo­do, de en­ti­da­des pri­va­das, co­mo é o ca­so das ins­ti­tui­ções fi­nan­cei­ras, que per­mi­ta ver na ha­bi­ta­ção um te­ma cen­tral do de­ba­te so­ci­al, eco­nó­mi­co e po­lí­ti­co.

Se es­te é um de­sa­fio pa­ra o fu­tu­ro, é fun­da­men­tal que o Go­ver­no não se es­que­ça das ne­ces­si­da­des ime­di­a­tas, às quais, a bem do de­sen­vol­vi­men­to eco­nó­mi­co, da cri­a­ção de em­pre­go e da co­e­são so­ci­al e ter­ri­to­ri­al, tem de cor­res­pon­der. A Lei do Or­ça­men­to do Es­ta­do pa­ra 2018, cu­ja pro­pos­ta é apre­sen­ta­da na pró­xi­ma sex­ta-fei­ra, cons­ti­tui o mo­men­to ade­qua­do pa­ra lhes dar res­pos­ta. Se o in­ves­ti­men­to pú­bli­co, que se en­con­tra a ní­veis de há 30 anos atrás, tem de ser re­lan­ça­do, de­sig­na­da­men­te, pe­la con­cre­ti­za­ção dos pro­je­tos es­tru­tu­ran­tes que fo­ram pen­sa­dos nu­ma óti­ca de cres­ci­men­to e de com­pe­ti­ti­vi­da­de e que fo­ram am­pla­men­te con­sen­su­a­li­za­dos – o PETI3+ -, o in­ves­ti­men­to pri­va­do, que tem cons­ti­tuí­do o prin­ci­pal fa­tor di­na­mi­za­dor de Por­tu­gal, tem de ser po­ten­ci­a­do. Nes­te âm­bi­to, é in­dis­cu­tí­vel o pa­pel que o imo­bi­liá­rio tem de­sem­pe­nha­do.

Re­cor­do que os da­dos do PIB re­la­ti­vos ao se­gun­do tri­mes­tre, re­ve­la­ram um cres­ci­men­to de 2,9%, fac­to que foi re­co­nhe­ci­do co­mo mui­to po­si­ti­vo. Mas no­te-se que o In­ves­ti­men­to em Cons­tru­ção e Imo­bi­liá­rio foi res­pon­sá­vel por pra­ti­ca­men­te um quar­to (24,4%) des­se cres­ci­men­to. A exem­plo do que se pas­sa na ge­ne­ra­li­da­de das eco­no­mi­as eu­ro­pei­as, o con­tri­bu­to es­tru­tu­ran­te do se­tor é uma re­a­li­da­de in­con­tor­ná­vel e não po­de ser ig­no­ra­do.

Po­rém, pa­ra ga­ran­tir a sus­ten­ta­bi­li­da­de des­ta re­cu­pe­ra­ção e o ade­qua­do apro­vei­ta­men­to do bom mo­men­to que o País atra­ves­sa, é ne­ces­sá­rio pro­mo­ver um qua­dro de es­ta­bi­li­da­de, sen­do que a Lei do Or­ça­men­to do Es­ta­do de­sem­pe­nha um pa­pel pre­pon­de­ran­te nes­ta ma­té­ria.

As­se­gu­rar a equi­da­de e a es­ta­bi­li­da­de fis­cal, ga­ran­tir a efi­cá­cia dos pro­gra­mas de cap­ta­ção de in­ves­ti­do­res es­tran­gei­ros, co­mo é o ca­so do Pro­gra­ma dos Vis­tos Gold, e di­na­mi­zar a re­a­bi­li­ta­ção ur­ba­na são ve­to­res es­sen­ci­ais, já pa­ra o OE’2018.

Se o in­ves­ti­men­to pú­bli­co, que se en­con­tra a ní­veis de há 30 anos atrás, tem de ser re­lan­ça­do, de­sig­na­da­men­te o PETI3+, o in­ves­ti­men­to pri­va­do, que tem cons­ti­tuí­do o prin­ci­pal fa­tor di­na­mi­za­dor de Por­tu­gal, tem de ser po­ten­ci­a­do

Presidente da CPCI – Con­fe­de­ra­ção Por­tu­gue­sa da Cons­tru­ção e do Imo­bi­liá­rio

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.