Re­si­dên­ci­as uni­ver­si­tá­ri­as des­per­tam in­te­res­se dos in­ves­ti­do­res

Publico - Imobiliario - - Semana Da Reabilitação Urbana Do Porto -

Com a re­con­ver­são do edi­fi­ca­do exis­ten­te, fru­to dos in­cen­ti­vos à re­a­bi­li­ta­ção ur­ba­na nos cen­tros his­tó­ri­cos das ci­da­des, a ofer­ta ha­bi­ta­ci­o­nal cres­ceu, mas mui­tos pro­pri­e­tá­ri­os op­ta­ram por ren­ta­bi­li­zar os seus ati­vos no mer­ca­do sa­zo­nal e de cur­to prazo, por opo­si­ção ao mer­ca­do ha­bi­ta­ci­o­nal de lon­ga du­ra­ção.

O mer­ca­do de ar­ren­da­men­to es­tu­dan­til é um des­ses seg­men­tos que mais tem cres­ci­do, des­per­tan­do o in­te­res­se de in­ves­ti­do­res de to­das as di­men­sões. Se­gun­do o es­tu­do Re­si­dên­ci­as de Es­tu­dan­tes, ela­bo­ra­do pe­la Worx e Uni­pla­ces, “ain­da que nu­ma fa­se pou­co ma­du­ra, o se­tor de re­si­dên­ci­as de es­tu­dan­tes em Por­tu­gal co­me­ça a atrair a aten­ção de in­ves­ti­do­res in­ter­na­ci­o­nais”. Até um pas­sa­do mui­to re­cen­te, o in­ves­ti­men­to nes­ta ca­te­go­ria de ati­vo imo­bi­liá­rio era ape­nas en­ca­be­ça­do pe­las pró­pri­as uni­ver­si­da­des, re­fe­re o do­cu­men­to. “Exem­plo dis­so é a apos­ta da Uni­ver­si­da­de de Lis­boa nu­ma no­va re­si­dên­cia de es­tu­dan­tes lo­ca­li­za­da na zo­na do Al­to da Aju­da e que irá apoi­ar as três fa­cul­da­des que de­tém nes­ta zo­na da ci­da­de”. Atu­al­men­te, “o pa­no­ra­ma co­me­ça len­ta­men­te a mu­dar e as­sis­te-se à en­tra­da de no­vos ope­ra­do­res no mer­ca­do”.

Em 2016, foi re­gis­ta­da uma tran­sa­ção de in­ves­ti­men­to por par­te da Tem­pra­no Ca­pi­tal Part­ners com ob­je­ti­vo de re­a­bi­li­tar um edi­fí­cio com 10 mil m2 pa­ra re­si­dên­ci­as de es­tu­dan­tes com apro­xi­ma­da­men­te 330 estúdios, em Lis­boa.

Já em 2017, o no­vo player de mer­ca­do Stu­dent­vil­le, con­ta ter cer­ca de 100 quar­tos na ci­da­de de Lis­boa, dis­tri­buí­dos por um to­tal de três edi­fí­ci­os, nu­ma apos­ta em re­si­dên­ci­as pre­mium. Tam­bém a Uni­ver­sity Hub já ma­ni­fes­tou os seus pla­nos de ex­pan­dir a sua re­de de re­si­dên­ci­as uni­ver­si­tá­ri­as no prazo de três anos, num in­ves­ti­men­to ava­li­a­do em cer­ca de 20 mi­lhões de eu­ros. De ori­gem ale­mã, a MPC Ca­pi­tal quer in­ves­tir 50 a 100 mi­lhões de eu­ros pa­ra es­ta­be­le­cer-se no mer­ca­do de re­si­dên­ci­as uni­ver­si­tá­ri­as em Por­tu­gal.

In­ves­ti­men­to cres­ce no Por­to

No Por­to, o grupo ára­be MEFIC Ca­pi­tal e a bri­tâ­ni­ca Round Hill Ca­pi­tal querem dar o pon­ta­pé de par­ti­da num in­ves­ti­men­to de 100 mi­lhões que com­pre­en­de um pro­je­to de re­a­bi­li­ta­ção ur­ba­na que con­tem­pla a cons­tru­ção re­si­den­ci­al com ca­pa­ci­da­de pa­ra 1200 es­tu­dan­tes.

Pa­ra o efei­to, ad­qui­ri­ram um ter­re­no de 7,8 hec­ta­res, na­que­la que era a an­ti­ga Fá­bri­ca de Cur­tu­mes do Ami­al, no Por­to, pa­ra de­sen­vol­ver um no­vo pro­je­to de re­a­bi­li­ta­ção ur­ba­na, com for­te com­po­nen­te uni­ver­si­tá­ria.

Este no­vo em­pre­en­di­men­to, em Pa­ra­nhos, e pró­xi­mo do cam­pus uni­ver­si­tá­rio da As­pre­la, pre­vê a cons­tru­ção de aco­mo­da­ção pa­ra 1200 es­tu­dan­tes, bem co­mo 200 apar­ta­men­tos re­si­den­ci­ais, um ho­tel, zo­nas co­mer­ci­ais, es­pa­ços de es­cri­tó­ri­os e es­ta­ci­o­na­men­to.

Tam­bém na zo­na da As­pre­la, a Imo­bi­la­sa, imo­bi­liá­ria do grupo têx­til La­sa, es­tá a de­sen­vol­ver o em­pre­en­di­men­to As­pre­la Do­mus, que im­pli­ca um in­ves­ti­men­to de 10,5 mi­lhões de eu­ros, im­plan­ta­do num ter­re­no situado nu­ma es­qui­na en­tre a rua da As­pre­la e a Cir­cun­va­la­ção, jun­to ao IPO e ao Hos­pi­tal de S. João.

O em­pre­en­di­men­to As­pre­la Do­mus com­pre­en­de 86 apar­ta­men­tos, de T0 a T3 e com áreas en­tre os 50 e os 110 m2, bem co­mo oi­to es­pa­ços co­mer­ci­ais, e es­tá lo­ca­li­za­do no co­ra­ção de um dos pó­los uni­ver­si­tá­ri­os do Por­to.

FO­TOS: DR

Se­tor de re­si­dên­ci­as de es­tu­dan­tes be­ne­fi­cia com di­nâ­mi­ca da re­a­bi­li­ta­ção

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.