Ofer­ta de no­va ha­bi­ta­ção de­ve­rá avo­lu­mar-se no pró­xi­mo ano

Publico - Imobiliario - - Oportunidades -

Em co­men­tá­rio ao que se­rão as prin­ci­pais ten­dên­ci­as a mar­car o imo­bi­liá­rio nos pró­xi­mos anos, Jo­sé Araú­jo, di­re­tor da Di­re­ção de Ne­gó­cio Imo­bi­liá­rio do Mil­len­nium bcp, des­ta­ca que o vo­lu­me de ofer­ta de ha­bi­ta­ção no­va de­ve avo­lu­mar-se de for­ma mais ex­pres­si­va no pró­xi­mo ano. “Os me­di­a­do­res quei­xam­se da fal­ta de pro­du­to no­vo e o mer­ca­do da ha­bi­ta­ção que não é no­va es­tá tam­bém qua­se es­go­ta­do nas gran­des ci­da­des”, co­me­ça por di­zer. Mas “há pro­mo­ção a ar­ran­car em for­ça” e “a ha­bi­ta­ção pa­ra a clas­se mé­dia vai apa­re­cer. A pro­cu­ra por ter­re­nos a cus­tos mais bai­xos na pe­ri­fe­ria das gran­des ci­da­des e nas su­as pro­xi­mi­da­des já es­tá a su­ce­der”, diz. Gaia, Maia, Le­ça, Ama­do­ra, Ca­ma­ra­te, Lu­mi­ar, Mon­ti­jo, Odi­ve­las, Pal­me­la ou Sei­xal”, só pa­ra citar “al­guns bons exem­plos”, são lo­cais on­de o ban­co tem “ti­do ne­go­ci­a­ções com ter­re­nos”.

Pa­ra es­te res­pon­sá­vel, com es­ta ati­vi­da­de, “va­mos dei­xar de ter só re­a­bi­li­ta­ções a pre­ços ele­va­dos e en­con­trar mais al­ter­na­ti­vas gra­du­al­men­te com pro­du­to fi­nal em mai­or nú­me­ro, tal­vez não em 2018, mas cla­ra­men­te em 2019”.

Nos es­cri­tó­ri­os, Jo­sé Araú­jo con­si­de­ra que em Lis­boa “se­rá mais com­pli­ca­do sur­gi­rem no­vos es­pa­ços em abun­dân­cia, pois há ain­da es­pa­ço li­vre de mé­dia di­men­são e no­vos pro­je­tos em cons­tru­ção nas ave­ni­das no­vas e Par­que das Na­ções”. No Por­to, “sim, no­ta-se já mui­to a fal­ta de es­cri­tó­ri­os de cer­ta di­men­são”.

Em jei­to de con­clu­são, glo­bal­men­te “a ten­dên­cia dos pre­ços se­rá pa­ra su­bi­da nes­te ano, man­ten­do-se em ní­veis ele­va­dos nas gran­des ci­da­des com al­gu­ma mai­or con­ten­ção no se­gun­do se­mes­tre, po­den­do acal­mar em 2019”. Con­cre­ta­men­te no “pro­du­to de de­sin­ves­ti­men­to ban­cá­rio, a su­bi­da de pre­ços ape­nas acom­pa­nha a va­lo­ri­za­ção do mer­ca­do”, pe­lo que “os pró­xi­mos anos são bons pa­ra apro­vei­tar o pro­du­to que exis­te ao re­dor das ci­da­des, nos ter­re­nos, nas lo­jas e nas bo­as opor­tu­ni­da­des em se­gun­da ha­bi­ta­ção, es­pe­ci­al­men­te no Al­gar­ve, co­mo é o ca­so da nos­sa car­tei­ra”, ter­mi­na.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.