O va­lor da me­di­a­ção

Publico - Imobiliario - - Opinião - Luís Li­ma

Na pas­sa­da se­ma­na, uma es­ta­ção te­le­vi­si­va trans­mi­tiu uma pe­ça em que su­ge­ria aos seus te­les­pe­ta­do­res al­ter­na­ti­vas de pou­pan­ça de di­nhei­ro na ven­da de ca­sas, trans­mi­tin­do a ideia er­ra­da de que uma das des­pe­sas que mais en­ca­re­ce o va­lor dos imó­veis é a co­mis­são a pa­gar às agên­ci­as imo­bi­liá­ri­as.

Pro­pu­nha- se en­tão às pes­so­as que tran­sa­ci­o­nas­sem os seus imó­veis pe­los seus pró­pri­os mei­os, sem re­cur­so ao ser­vi­ço de me­di­a­do­res imo­bi­liá­ri­os. Por ou­tro la­do, su­ge­ri­a­se o apoio de ou­tro ti­po de pro­fis­si­o­nais, cu­ja fun­ção e o tra­ba­lho não po­de nem de­ve con­fun­dir-se com o do me­di­a­dor.

Com­prar uma ca­sa é uma das de­ci­sões e in­ves­ti­men­tos mais im­por­tan­tes na vi­da das fa­mí­li­as. A lei por­tu­gue­sa não obriga com­pra­do­res ou pro­pri­e­tá­ri­os a ad­qui­ri­rem ou a ven­de­rem os seus ati­vos atra­vés de agen­tes imo­bi­liá­ri­os, no en­tan­to, o re­cur­so a uma em­pre­sa de­vi­da­men­te li­cen­ci­a­da pe­lo ór­gão regulador (IMPIC), ga­ran­te van­ta­gens inequí­vo­cas, na me­di­da em que o seu know how so­bre o mer­ca­do ga­ran­ti­rá um acon­se­lha­men­to pro­fis­si­o­nal aos seus cli­en­tes.

E, na gran­de mai­o­ria das ve­zes, es­te acon­se­lha­men­to evi­ta que quem está a ten­tar ven­der per­ca di­nhei­ro por de­fi­nir mal o pre­ço de mer­ca­do da sua ha­bi­ta­ção, ou por não ter a ca­pa­ci­da­de ne­go­ci­al que um pro­fis­si­o­nal da área tem.

Por ve­zes, o ba­ra­to sai ca­ro e in­fe­liz­men­te, em Por­tu­gal ain­da exis­te al­gum pre­con­cei­to so­bre a ati­vi­da­de dos me­di­a­do­res imo­bi­liá­ri­os, ha­ven­do uma ideia vul­ga­ri­za­da de que es­tes se li­mi­tam a pro­mo­ver o en­con­tro en­tre a oferta e a pro­cu­ra.

Mas o ser­vi­ço de um me­di­a­dor imobiliário tem mui­to tra­ba­lho de bas­ti­do­res, que pas­sa pe­la ela­bo­ra­ção de es­tu­dos de mer­ca­do ou pe­lo acon­se­lha­men­to so­bre ques­tões co­mo lo­ca­li­za­ção, di­men­são do imó­vel, qua­li­da­de de cons­tru­ção, es­co­lha do ban­co com me­lho­res van­ta­gens de fi­nan­ci­a­men­to, mo­da­li­da­des, pres­ta­ções, se­gu­ros obri­ga­tó­ri­os e com­ple­men­ta­res, en­car­gos adi­ci­o­nais e fis­ca­li­da­de.

In­de­pen­den­te­men­te do ti­po de imó­vel que se pre­ten­da ad­qui­rir, é sem­pre acon­se­lhá­vel fa­zer um es­tu­do pré­vio so­bre as im­pli­ca­ções le­gais e ou­tras que pos­sam exis­tir no pro­ces­so ne­go­ci­al. Nes­te as­pe­to, as me­di­a­do­ras imo­bi­liá­ri­as mais qua­li­fi­ca­das co­la­bo­ram com ga­bi­ne­tes ju­rí­di­cos ha­bi­li­ta­dos a es­cla­re­cer o cli­en­te so­bre to­das as dú­vi­das que pos­sam sur­gir em ma­té­ri­as le­gais, bem co­mo a pre­pa­rar e a acom­pa­nhar to­da a tra­mi­ta­ção que en­vol­ve o ne­gó­cio.

Acres­ce que es­tas em­pre­sas são obri­ga­das, por lei, a de­ter um Se­gu­ro de Res­pon­sa­bi­li­da­de Ci­vil, ao qual os cli­en­tes po­de­rão re­cor­rer em ca­so de res­pon­sa­bi­li­da­de com­pro­va­da do me­di­a­dor na cir­cuns­tân­cia da exis­tên­cia de qual­quer li­tí­gio, es­tan­do des­ta for­ma os in­te­res­ses e di­rei­tos do con­su­mi­dor de­vi­da­men­te sal­va­guar­da­dos.

Es­tes são só al­guns dos exem­plos da­que­le que é o ser­vi­ço pres­ta­do pe­los me­di­a­do­res imo­bi­liá­ri­os, e que foi to­tal­men­te des­con­si­de­ra­do na­que­la rú­bri­ca, que mo­ti­vou a Di­re­ção da APEMIP a di­ri­gir uma car­ta for­mal ao ca­nal de­mons­tran­do o seu de­sa­gra­do, e cu­ja res­pos­ta por par­te da Di­re­ção de In­for­ma­ção do ca­nal, re­al­çou a im­por­tân­cia des­ta pro­fis­são no te­ci­do eco­nó­mi­co por­tu­guês.

O bom mo­men­to do mer­ca­do imobiliário tem fei­to com que pro­li­fe­rem falsos pro­fis­si­o­nais e en­ti­da­des que fa­zem me­di­a­ção imo­bi­liá­ria ile­gal­men­te. É im­por­tan­te que quem cum­pre as re­gras e vi­ve do seu es­for­ço e tra­ba­lho ár­duo, ve­ja re­co­nhe­ci­do o seu pro­fis­si­o­na­lis­mo que não po­de nun­ca ser con­fun­di­do com quem atua à mar­gem da lei. O re­cur­so a me­di­a­do­res li­cen­ci­a­dos é van­ta­jo­so e o cli­en­te sai sem­pre a ga­nhar!

Pre­si­den­te da APEMIP luis­li­ma@apemip.pt

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.